Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2009

Um Pouco De Tudo

Um Pouco de Tudo

A fonte da juventude,
O tempo,
O universo.

O livro,
A vida,
A morte.

O sonho,
A poesia,
O amor. Ah, o amor!

A saudade,
O sorriso,
A lágrima.

Eu,
Você,
Eles.
(por Jefhcardoso)



Cartas a Tás (60 de 60) "O Fim"

Ituverava, 22 de outubro de 2009.



Para finalizar falarei do tempo, amigo. E não me refiro ao tempo que chove ou não chove, mas do tempo que passa, passa, passa...
Não é segredo algum a admiração que tenho por seu trabalho, por sua pessoa, pelos seus queridos. Também fui moleque no meio da molecada da R: José Sandoval. Tenho a alma encardida pelo sopro da nossa Bela Morena Rubra, mas hoje estou triste, e não é somente por ver o fim de um projeto ao qual muito me afeiçoei, nem pela falta de um coquetel ou aplausos, mas é por um amigo ituveravense que partiu após cento e uma primaveras de marcantes risadas.
Conheci o homem recentemente. Convivi com ele por apenas três meses (21.07 / 21.10), porém, foi o bastante para ter uma impressão fortíssima daquele senhor de seu século inteiro e mais um ano de vida.
Incrível, Cocão, o homem conservava a memória, a visão, a audição e o senso de humor levemente ácido; era um mau-humor cômico, proposital, meio maroto. Se lhe perguntassem se estava tudo bem…

Cartas a Tás (59 de 60) "O Meio"

Ituverava, 21 de outubro de 2009. O desafio ao qual me propus não foi qualquer coisinha que se faça em um final de semana, eram 60 textos e mais de 60 fotos.
Como sabe, Cocão, sou pai de família, sou um profissional liberal com uma carga horária que dura o período em que se vê a luz do dia até o cair das primeiras trevas noturnas, e meu trabalho, apesar de eu gostar, não é bolinho; inicio o dia dentro de uma unidade de terapia intensiva e no restante do tempo visito as famílias ituveravenses com o propósito de levar qualidade de vida, com as minhas mãos e conhecimento, aos seus entes enfermos.
O que me resta de tempo não é algo que se diga: “como este sujeito possui tempo!”
Mas é isso, desafio é desafio. Tive meus percalços, andei meio abandonado por alguns dias, esquecido pelos amigos, mas para minha surpresa angariei leitores. Você crê, amigo? Hoje tenho mais de 2100 visualizações contabilizadas a partir do dia 20 de maio de 2009, ocasião em que instalei a ferramenta que registra as vis…

Cartas a Tás (58 de 60) "O Inicio"

Ituverava, 20 de outubro de 2009. Sei que deve ter lhe causado estranheza saber que um conterrâneo, um Jefhcardoso, lhe renderia uma homenagem em 60 capítulos. Não pense que me escapa esta dosagem de esquisitice que há em uma obra tão inusitada. Até mesmo aqui em casa encontrei uma resistência inicial ao meu projeto. Déia que viu minha escrita pública nascer dizia: isso não é o seu estilo, ta “humorístico” demais. Tive que explicar por mais de dezena de vezes o propósito nobre de meu projeto.
Deve ter lhe causado espanto ainda maior o fato de ignorar eu ser um escritor em potencial. Sei que a língua pátria me é muitas vezes como um cavalo selvagem que salta, da coices e corre de meu alcance, mas não há cavalo indomável a quem esteja realmente disposto e razoavelmente munido de recursos físicos e cognitivos para tal intento.

Ao contrário de você que sempre se destacou na escrita e em tudo que envolvia comunicação eu era um menino quieto, um estudante modesto e muito tímido. Minhas redaçõ…

Cartas a Tás (57 de 60) Amas tua terra?

Ituverava, 19 de outubro de 2009. Olá caro amigo! Esta nossa terra possui mesmo encantos bastante incomuns aos olhos dispostos a apreciar a exuberância da natureza como um todo, em contraste com as construções urbanas.
Ontem tivemos chuva por aqui. É sempre incrível quando chove em nossa cidade após alguns dias de intenso calor.
Nossas primaveras são sempre assim; faz um calor que beira o insuportável, depois há uma mudança repentina no humor do clima, venta forte; e em grande parte das vezes caem volumosas gotas de chuva; trata-se de uma chuva esparsa, e de curta duração, mas às vezes, conforme ocorreu ontem, após grande ventania sobrevém água em abundância, num furor de vento e gotas aglomeradas a formar pequenas placas que arrebentam nas telhas, paredes, asfalto e janelas mornas. À noite o clima que beirava o insuportável torna-se deveras agradável. Uma deliciosa brisa fresca, com cheiro de terra úmida, perdura após o cessar da chuva e pela manhã temos um sol brilhante sobre o asfalto…

Cartas a Tás (56 de 60) Pobre Vincent

Ituverava, 18 de outubro de 2009. Meu caro quase irmão, como deve ter notado tenho tido certa dificuldade em lhe escrever as últimas cartas da série. Ocorreu que com a exclusão do conto “O Cobrador”, decisão da qual não me arrependo, entrei em numa situação difícil quanto ao fechamento da série. É que tendo chegado a uma carta com uma imagem que, digamos, encerra a série de forma quase mágica, ficou difícil falar de outros assuntos senão de nosso encontro, amigo.
Tenho tido visualizações que, sem dúvida alguma, superam grandemente as minhas expectativas, uma vez que meu propósito sempre fora simplesmente ver-te novamente identificado com as causas comuns a todo ituveravense romântico e de alma encardida.
Ao ver-lhe falar de tantas coisas com especial carinho; das ruas nas quais arrancou a ponta do dedão ao tentar dar a bicuda do século sobre os paralelepípedos; do cine Regina e os filmes de Mazzaropi; seu sincero clamor por uma restauração de nossa querida estação férrea, cuja qual retra…

CARTAS A TAS (55 de 60) - NA TERRA BATIDA DA CADEIA

Ituverava, 18 de outubro de 2009

Cocão, meu velho, o que poucas pessoas sabem é de sua aptidão para o esporte bretão, que arrasta multidões por toda extensão continental de nosso Brasil a fora.

Certo é que, fora um verdadeiro demônio com a bola nos pés, meu amigo. 


Em outra carta, uma de número 19, cheguei a mencionar sua habilidade para conduzir a gorduchinha no campo das memoráveis peladas, velhaco. Sócrates nunca admitiu, mas foi com você que o doutor Magrão aprendeu a valer-se do calcanhar para ludibriar os adversários.


Você, seu matreito, possuía um bom chute de direita, mas era com a perninha esquerda, torta e forrada de densos furúnculos, alguns já adormecidos e outros plenamente ativos, perna forrada de perebas sobre perebas e banhada em pus,  que impunha o mais pleno terror aos goleiros de nossa época. Eles tremiam nas bases com seus potentes chutes a qualquer distância que fosse do gol. Era imprevisível o seu arremate, brejeiro. Com o semblante fechado, a cara contorcida em ódio…

Cartas a Tás (54 de 60) Feliz dia das crianças!

Ribeirão Preto, 12 de outubro de 2009. Viu como ia ficando minha série Cartas a Tas, amigo?
Andei pensando e ao contrário do que eu havia decidido anteriormente, sobre incluir o conto “O Cobrador” na série que lhe homenageia, decidi guardá-lo por mais algum tempo, e quem sabe enviá-lo a uma editora quando achar ser oportuno, mas antes, como você bem sabe, precisarei realizar alguns estudos da gramática.
Se conservasse o grande conto na série de cartas o meu projeto de resgatar tua identidade ituveravense conheceria seu final na sexta-feira, dia oito de outubro, de dois mil e nove. Ao excluir o conto a série retrocedeu sete partes; numero de capítulos de “O Cobrador” que havia postado.
O conto que escrevi originalmente era para ter dez capítulos, mas na adequação para envio ao jornal de nossa cidade acabou ganhando um formato com mais capítulos, apesar de conservar o conteúdo de origem, com acréscimo de apenas um ou dois capítulos que me surgiram durante as transcrições.
Enfim, ocorreu que …

Cartas a Tás (53 de 60)

Ituverava, 11 de outubro de 2009. A primeira referência à nossa bela morena Ituverava, aparecida em obra impressa, é a de Luiz D’Alincourt, em sua conhecida “Memória”. Disse ele: “antes de chegar-se ao Calção de Couro, pouco mais de légua, existe agora uma capela sita em terreno desafogado, com mais de quinze moradas de casa, o que não havia em 1818; chamam a este lugar simplesmente Capela”. Naquela época quem imaginaria que o celebre Tas nasceria numa daqueles humildes casebres contidos no Largo Velho?
Estas palavras do oficial português do Corpo de Engenheiros não são bastante inspiradoras, Tas? Sim, sei que são...
Diziam ainda os primeiros exploradores, ao contemplar nossa querida morena de pele rubra: “é um terreno desafogado; a linha do horizonte é muito distante para todos os quadrantes, exceto para oeste, diga-se. Não vejo nenhuma elevação digna de nota. O assoalho urbano levanta-se lento, preguiçosamente de leste para oeste, do Rio do Carmo para a estação ferroviária”. Magnífico,…

Cartas a Tás (52 de 60)

Ituverava, 03 de outubro de 2009.
Pensando bem, o fato de estar na internet, e simplesmente na internet, não é algo ruim, amigo. Afinal, se me fecham as portas os periódicos de nossa terrinha, “Folha do Nordeste de São Paulo” e “Estadão da Mogiana”, não me é natural entregar-me ao rancor. Dou razão a quem diz ficar no hospedeiro tal sentimento mesquinho, contaminante.
E de que me valeria trazer tal sentimento uma vez que sou desprovido do dispositivo de aplicação deste veneno? Sim, é de minha inapetência à vingança que falo. Não sou vingativo; não no sentido maligno da coisa; minha vingança seria “benigna”.
Vitória; este será meu anjo vingador.
Não estou mais sendo publicado por ninguém, velho Tás. Resolveram dar-me as costas e fechar-me as portas. Se um dia fui colaborador, sequer obrigado. Fato é que não sei qual a razão para que os que fizeram questão de se afigurar como amigos, incentivadores, entusiastas, me dessem de ombros agora, me abandonassem. Primeiro minha querida professora: …

Cartas a Tás (51 de 60) Mulher mais sexy do mundo!?

Ituverava,02 de outubro de 2009. Lembrei-me de você, Old Boy, ao ver estes resultados fajutos para apontar a mulher mais sexy do mundo. Imaginei você a suspirar e dizer: “Dizem estas asneiras por não conhecerem a Luzia Picolezeira no ápice de seus vistosos 50 anos!”
Concordo plenamente com você, Old Boy. No entanto não nascem mais beldades como as de nossos tempos; são todas... não sei, meio comuns, sem grandes atrativos, se é que você me entende, velhaco.Segundo uma revista norte-americana “Esquire” a atriz Kate Beckinsale, de 36 anos, é a mulher mais sexy do mundo, neste ano, é claro. Afinal a beleza é algo perecível. Mas me diga: é possível eleger algo deste tipo? Digo; é possível alguém superar as bilhões restantes? E mais: é possível ter opinião neste mundo?
(foto retirada da folha online/divulgação reuters)


Nesta mesma categoria, no dia 23 de junho de 2009, a atriz Megan Fox, de 23 anos, havia sido eleita, pelo segundo ano consecutivo, como a mulher mais sexy do mundo segundo os le…

Cartas a Tás (50 de 60) Último episódio de "Paraíso"

Ituverava, 02 de outubro de 2009. O amor é lindo e incondicional. Quem duvidou de um final feliz para a "Santinha", Nathalia Dill, aí está a bela a contracenar com o ator ituveravense, "Óia o Truvão". Quem via o pangaré do Tas, a trotar nas comemorações da semana da pátria, pelas ruas de nossa bela morena rubra, Ituverava, jamais imaginaria que aquele parente de asno se tornaria um ator famoso.
O eqüino era meio difícil, trotão, avesso a um cabresto, ruim de cela, como dizem por aqui. Mas o jovem Tás tinha algo em sua voz, em seu jeito, que encantava as bestas e essas lhe seguiam onde fosse, como a um flautista de Hamelin, porém sem flauta, apenas com os lábios a assoviar estridentemente.
“Óia o Truvão” era um “podro”, como dizem por aqui, hostil, traiçoeiro, indomável. Tás era garoto de sete anos, ainda não dizia uma palavra, todos o achavam um menino estranho, problemático. Era uma manhã de céu fechado, tempo nublado, quando o pequeno se colocou escorado na cerca de …

Cartas a Tás (49 de 60) Por que não nós, Dão?

Ituverava, 04 de outubro de 2009. Tás, acho que cada qual deve ser o que é, e pronto. Sei que assim como eu, você que é cidadão aqui da terrinha, sentiu uma mordida de inveja ao ver que o Rio se Candidatou e venceu Madri, após Chicago e Tóquio serem eliminadas na primeira rodada de votação.
Esta decisão tornou a Cidade Maravilhosa em primeira cidade sul-americana a sediar uma Olimpíada em toda história.
Tudo bem que a campanha do Rio contou com o ilustre apoio de Lula, e Pelé, como dupla de ataque, mas nenhum dos dois é carioca, um é pernambucano natural de Caetés, na ocasião distrito de Garanhuns e o outro, como todos bem sabem, é mineiro “Tricardiaco”.
Por que não apoiariam uma candidatura ituveravense? Por que não? Afinal somos uma potência agrícola, temos altos índices de qualidade de vida e ficamos a um pulinho de 400 km de São Paulo, 100 km de Ribeirão Preto, uns 90 de Franca e pertim de Beraba também, uai. Lembrando que todas as cidades supracitadas possuem boas rodovias que nos le…

Cartas a Tás (48 de 60)

Velho amigo Tás, tempos difíceis estes que estou atravessando.
Num momento me senti nas nuvens. Provei o sabor de ser uma micro celebridade instantânea. Durante alguns dias vinha mais de 80 pessoas verem meu blog.
Fiquei feliz, radiante. Pensei que aquilo seria o início de uma grande escalada, que meus textos figurariam em vários lares e que, quem sabe, até uma editora poderia se interessar pelo que escrevo. Mas de uma hora para outra vi o sonho tornar-se, não um pesadelo, mas uma dura realidade. Meus leitores foram retornando para os modestos números do início desta empreitada. Numa semana eram 15 pessoas que me visitavam diariamente, noutra semana eram 6.
Os dias passaram, tive problemas com meu computador, o que me impediu de trabalhar com as postagens; fiquei mais de 10 dias sem internet. Neste período aproveitei para fazer outras coisas; li um pouco mais, dormi um pouco mais, e até andei de bicicleta por um longo trecho da cidade indo de minha casa á casa de um amigo.
Não posso omiti…