Amigos

sábado, abril 28, 2012

ONDE OS FRACOS NÃO TÊM VEZ – PARTE I

Pilosa vida! E quando ela abriu a porta do seu mundo ela abriu mesmo. Abriu a porta da frente, escancarou-a. E não foi que o remelento resolveu sair justamente pela porta dos fundos, a que se reserva ao despejo do sujeito sem honra, da sujeira. Já era! Já foi. E o coração galopava e parecia tudo estar completo quando estava ao lado dele. Foi verdadeiro enquanto durou e durante um bom tempo bom. E que pena, que pena que acabou! Poderia ter se casado com ele, ter tido filhos com a cara dele, meninos e meninas. Geraria com gosto filhos daquele homem em quem ela sempre reconheceu algo do crápula romântico que fora seu pai. Ele era duro de grana, feio de compleições, não tinha nem onde cair morto sem fazer prestações no cartão de crédito, mas ela o amou com todo o coração que dispunha no momento. Não se importava com a vida modesta que ele lhe prometia. Perdeu completamente o juízo. Entregou-se de uma maneira que atualmente não se vê nem na tevê e nem nos livros mais ou menos realistas. De uma maneira nada aconselhável nos dias atuais. Na ponte Rio/São Paulo colocou toda sua ansiedade. Foi colecionando um relicário de delicadas memórias em comum. O casamento da amiga, a formatura do amigo, o aniversário do pequeno filho da outra amiga, o velório do parente velho e acabado... E hoje, após tantos dias no amargor da decepção, mal dizendo tudo que é homem que anda sobre a face da terra e veste calças, e gosta de mulher. Perdeu a noção de quantas vezes passou o pano sobre o chão limpo de seu quarto. Arrumou até o que já estava arrumado. E o pior não foi acabar, foi a maneira triste e barata como tudo acabou. Tão sem esperança, tão sem ter do que se orgulhar, do que sentir saudades. A saudade seria uma fraqueza sua. Francamente, a saudade, ali no caso, seria um desvio de caráter, uma falha de amor próprio, baixa auto estima. E agora? E agora José? O que fazer? Juntar alguns trocados e cacos e sair pela cidade maravilhosa sob a sombra do azar de encontrar um outro crápula? Quantas vezes ela se apaixonasse, quantas vezes ela se entregaria de corpo e alma a outro daqueles? Seria aquilo um substantivo masculino carma? Seriam o seu fraco os homens fracos? E nem a saudade lhe era de direito, nem isso. Mas o que que é isso?! Este mundo não é justo! It's not right, this is not good.

41 comentários:

  1. A saudade ser uma vergonha é a parte mais certa dessa dor, e a mais sentida. Mas um dia o fim acontece que nem se dá conta. Nem a saudade.

    Bravo!
    E parabéns atrasado para o Blog!
    inté

    ResponderExcluir
  2. Não é justo, o mundo. Se fosse, apertaria demais... ótimo texto!

    ResponderExcluir
  3. Você é mesmo uma pessoa de muita imaginação , e o melhor consegue escrever para que outros a compartilhem admiro isso
    pois imaginação fértil muita gente tem , agora conseguir expressar tão bem é arte de poucos.parabéns

    ResponderExcluir
  4. Excelente texto.. ela que não sinta culap em sentir saudade .. amamos os fracos e talvez algo em nós esteja errado.. ou talvez não.. Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Belo texto....nos faz vivenciar cada palavra escrita!!!
    Parabéns!!!
    Bjuss!!

    ResponderExcluir
  6. òtimo texto, obrigada pela visita e pelo comentário!!!Sucesso!!!

    ResponderExcluir
  7. Bem, passei por aqui para conferir a leitura que me recomendou !
    Também lhe dou os parabéns !
    Gostei bastante...vou seguir !
    Beijo e obrigada por visitar o Lab.Med.Vet !

    ResponderExcluir
  8. Olá, parabéns Jefh! Belíssimos texto vc escreve amigo, Até mais e bom feriado.

    ResponderExcluir
  9. Definitivamente não justo mesmo, Jeffão! Viver na honestidade e no caminho correto é cruel e difícil...os "bonzinhos" sempre se f***.

    Abraços, meu velho!

    Rafael
    Desce Mais Uma!

    ResponderExcluir
  10. "E o pior não foi acabar, foi a maneira triste e barata como tudo acabou. Tão sem esperança, tão sem ter do que se orgulhar, do que sentir saudades"

    Narraste uma triste realidade cada vez mais comum nos dias de hoje, e acho que de ontem também... afinal sempre existirá quem acredite em algo e se decepcione vez ou outra e não saiba como reconstruir-se depois... Ótimo texto meu amigo, e vim aqui pq vc sempre me deixa saudades! hehe...

    ResponderExcluir
  11. Oi Jeferson,
    Obrigada pela sua visita. Aliás belo texto!!
    Pode deixar que eu irei sim divulgar o teu blog. =D

    ResponderExcluir
  12. Talvez não seja justo mesmo, nada é... Obg pela visita, amei seu blog e adorei o texto!

    ResponderExcluir
  13. A história das mulheres bipolares...

    ResponderExcluir
  14. Devo lhe dizer com prazer que o texto está ótimo, na verdade já havia lido uma vez atrás um de seus textos e de fato está de parabéns.
    Tenha uma ótima quinta-feira querido.

    ~NPDL ♥

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bom ?
    belo texto, parabéns .
    Obrigada pela visita, já estou te seguindo, se puder retribuir :D
    Beijos :*

    sosbeleeza.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oi, obrigada pela visita... como encontrou meu blog? Seu blog tem um segmento legal, eu escrevo tb, mais no momento estou somente no profissional, vou passar aqui, abraço Juliane.

    ResponderExcluir
  17. Olá, Jeferson!

    Obrigada por seu comentário no http://www.didamayol.com

    Texto fantástico!
    Ganhou mais uma leitora assídua.

    ResponderExcluir
  18. Oiii obrigada pelo comentário.
    Adorei o texto.
    AH! A Cecília sempre manhosa, sabe quando faz tempo que não tem um baby na familia, né? Bem assim!!!

    Até mais!

    ResponderExcluir
  19. Olá Jefh, obrigado pela sua visita e comentário no meu blog.
    Gostei dos seus textos e vou segui-lo.
    Espero que vc continue vendo o meu blog, pois afinal quem não gosta de viajar?
    Bjos

    ResponderExcluir
  20. E agora? Agora ela teria emagrecido uns 8 quilos. De tanta vontade de mudar tudo, teria mudado de casa, ido morar em um apartamento em cima da padaria. Pra combinar com a mudança de casa, teria cortado os cabelos bem curtinhos e repicados. Matriculou-se na academia e conheceu outro cara, aquele corria na esteira ao lado dela, todas as noites. E, quando menos esperava, já estava outra vez sonhando alto, sonhando cor-de-rosa...
    Ah, desculpe! Entrei na sua história! Mas, quando um amor acaba, a gente pensa que o mundo acabou com a gente. Passa um tempo e tudo começa de novo. O amor é infinito!

    Adorei seu texto!

    Cláudia

    ResponderExcluir
  21. Muito bom o seu texto! Narrou com muita propriedade o processo ilusório do encantamento e desencantamento do amor!
    Obrigada pela visita ao meu blog!
    Abração
    Si

    ResponderExcluir
  22. Olá Jeferson.. Gostaria de agradecer pelo seu cometario, para mim foi uma honra te-lo em meu humilde.. rs
    Já está seguidinho e divulgado na minha pagina!

    Bjos e Sucesso!

    ResponderExcluir
  23. Adorei a postagem que me recomendaste.
    Desde de já,te parabenizo pelo excelente blog que tens,e agradeço a visita que fez ao meu blog http://apenasmaisumagarotaapaixonada.blogspot.com.br/ e ao comentário que deixastes lá.
    Achei interessante seu blog e agora sou uma de suas seguidoras.

    ResponderExcluir
  24. Bom Dia!!!
    Que seu dia seja recheado de paz!!!
    Com temperos do amor!!!
    Com carinho,
    Cleia

    ResponderExcluir
  25. Olá querido,
    obrigada pelo carinho, acabei de criar o blog de artesanato, vc é a primeira pessoa a conhecê-lo, ainda não tinha recebido nenhum comentário...rs...
    volte sempre....será um prazer "te ver" por lá...bjs

    ResponderExcluir
  26. e que feliz descoberta.. o seu blog! Voce escreve muito bem. Talvez pela simplicidade das palavras a gente se encaixe no texto.. ou talvez seja só o meu momento mesmo.. Enfim, ganhou uma leitora! rs

    abs

    ResponderExcluir
  27. Oi Jeferson.
    Obg,pela visita,como me encontrou.
    Gostei dos seus textos e vou segui-lo.
    Se puder retribuir :D
    Beijos Mary...*-*

    ResponderExcluir
  28. Oi Jeferson! Obrigada pela visita e pelo gentil comentário no meu blog...muito simpático você! Quanto ao texto sugerido,li,gostei muito e acho que para sua heroína dois finais a aguardam:mulheres como ela parece que sente-se atraídas sempre pelo mesmo tipo de homem cafajeste,pois, adoram ficar nessa postura da eterna sofredora.A outra, (confesso ser a minha preferida),fazer uma pós em Paris sem tempo para acabar...quer lugar melhor para encontrar um novo amor?

    ResponderExcluir
  29. ola, como estas, gostei do seu blog, estou seguindo...
    da uma olhada no sorteio que eu estou fazendo...

    :)

    http://www.wscom.com.br/blog/fabiola_beltrao

    ResponderExcluir
  30. Olá. Obrigada pela visita.
    Parabéns pelo blog.
    http://saltoaltodamoda.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Excelente texto!
    Aaahh o amor. Como é difícil. E como é gostoso sentí-lo.
    Ruim,quando faz mal,e a saudade maltrata o pobre coração,que mesmo sofrido,sente falta.

    Um abraço
    Débora Moura

    ResponderExcluir
  32. RECADO ´PARA A COLEGA: DEPOIS DE 40 ANOS, DESCOBRI O OBVIO: TUDO QUE MULHER NAO PODE SER E AMELIA. O RESTO DA PARA ENCARAR
    P.S.:
    : FHC - MEU COMPUTADOR COLOCA ACENTOS DOBRADOS, FORA DA LETRA,. OPTEI POR NAO ACENTUAR NADA. PRAGA DE EX-ALUNO, SO PODE SER.

    ResponderExcluir
  33. Obrigada Jhef, pela visitinha e comentário no meu blog vc é mt atencioso já q gostou do meu blog vc está convidado a passar sempre por lá!
    Em relação ao seu blog gostei muito e achei os textos marcantes e excelentes por sinal,parabéns pelo trabalho e muito sucesso p vc! bjs http://espelhodomake.blogspot.com.br/ divulgue o meu blog tbm,estou divulgando(e seguindo)o seu! :D

    ResponderExcluir
  34. Obrigada, Jeff, pela visita ao meu "canal", ele é afluente de um grande rio...desagua num marzão, composto pela enchente de sentimentos, verdades, mentiras, ilusões, dores, amores, frustrações...isso aí que você está falando...que eu já falei, que outros falarão, apenas mudando a ordem das palavras e a cronológia dos acontecimentos.

    Um abraço muito bom texto.

    ResponderExcluir
  35. ..."Seria aquilo um substantivo masculino carma"? (ADOREI ISSO), bela sacada!

    ResponderExcluir
  36. Como sempre um ótimo texto, meu amigo. Parabéns! Você coloca sentimentos e palavras com uma sensibilidade tal que os personagens se tornam palpáveis, saem da imaginação para uma presença conhecida.
    Abraços

    ResponderExcluir
  37. Oi Jeferson!

    Legal vc ter visto meu Blog e musica sempre tras um relaxamento e significado muito bom na vida da gente.

    Tb te convido para ler e comentar os textos do meu BLog
    papy-escrevendopalavras.blogspot.com.br

    Seu texto é muito bom! parabéns e continue com sua criatividade.

    Um abraço

    Fatima

    ResponderExcluir
  38. Oi Jefh,
    adorei seu blog... e já sou mais uma expectadora... dessa história!! Abraços

    ResponderExcluir
  39. Adorei o texto, como sempre maravilhoso o que escreve...

    ResponderExcluir
  40. Jefh obrigado pela visita ao meu blog,esta convidado para passar la sempre q tiveres um tempinho.e parabéns pelo seu blog esse texto é incrivel ameiiii...bjksss da sua nova seguidora

    ResponderExcluir
  41. Oi Jefh!
    Texto bonito, parabéns .
    Já estou te seguindo, se puder retribuir http://papy-escrevendopalavras.blogspot.com.br/
    Um abraço

    ResponderExcluir

Comente. É isso que o autor espera de você, leitor.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails