sábado, novembro 19, 2011

A IMPRENSA SUPREMA

Ao chegar em casa, assim que fechou a porta atrás de si, sentiu a melancólica atmosfera opressora lhe esmagar como se um saco de sessenta quilos de tristeza lhe fosse recolocado sobre sua cabeça.

A situação não era tão difícil enquanto estava na rua. Talvez por distrair-se observando o vai e vem das pessoas. O fato é que, ao ver a casa vazia e os habituais cantos costumeiros de seu pai agora desocupados, a poeira sorrateira acumular-se sobre a poltrona verde musgo reclinável, as pilhas de jornais intactos crescerem feito planta nos cantos da sala, um arrependimento liquefeito invadia a chaga aberta na alma após a última discussão que tiveram. A discussão que antecedeu ao sumiço do velho. Parou de pé diante da cozinha, e começou a recordar aquela manhã.


Era como se pudesse ver perfeitamente toda a cena: Era hora do café, café fresco e pães à mesa. O velho enxugou as mãos no pano de pratos encardido que trazia sobre o ombro esquerdo e sentou-se e tomou o jornal nas mãos. Vestia o velho roupão vinho em tecido acetinado, o mesmo que usava todos os dias a mais de cinco anos, desde o falecimento da esposa por atropelamento. Por baixo do roupão, o que era possível notar pelas descuidadas pernas abertas, usava sempre uma das calcinhas da falecida. O rapaz fingia não saber dessa excêntrica forma de nostalgia do pai. Nunca mencionara o assunto. O velho repousou o jornal sobre a mesa, acendeu um cigarro, reabriu o jornal e comentou a queda de mais um ministro: “Em dez meses de mandato da presidenta, já são seis os ministros que entregaram o cargo. Já viu algo parecido? Vê só o nível da roubalheira que essa gente vive?”


Thor Nelson fez questão de demonstrar seu desconforto pela fumaça do cigarro do pai, mas o velho, vendo que o incomodava, fazia por onde direcionar ainda mais a fumaça ao rapaz. Ele queria saber o que o filho achava de mais um ministro cair em tão pouco tempo de mandato da presidenta, apenas dez meses de mandato. O rapaz disse que não se importava, e que aquilo era um jogo de interesses pelo qual não se interessava.


O velho deu um murro na mesa que fez com que as xícaras e a faca da manteiga tilintassem. “Aí, ta vendo como você é? Ta vendo? Você não se interessa por nada mesmo. Nunca vai ser ninguém nessa vida. Onde já se viu não querer saber da política do país? Fica aí, metido com esses romancistas idiotas, esse bando de fracassados, bêbados, doidos, drogados. É isso que você quer ser, esse é o seu ideal de vida? Ser um desajustado como são todos esses vagabundos que se dizem escritores, intelectuais?”


Thor Nelson ficou surpreso pela reação desproporcional do pai. Desde a morte de sua mãe, eram os únicos na casa, e o que restou da família.

Apanhou seu pão e sua xícara de café e caminhou até a porta da cozinha como que para tomar um pouco de ar fresco e despoluído, e evitar a discussão. Ali, decidiu expor seu ponto de vista ao iracundo pai. “Essa onda de denúncias da imprensa, em minha opinião, é algo leviano e contraproducente. O que vai mudar se tiver um escândalo a cada semana? Tirando o lucro dos jornais e o movimento da famigerada imprensa, nada muda de fato. Acho que o trabalhador não ganha nada com isso. Apenas se revolta cada vez mais e vai ficando descrente e desmotivado”.


“Ah, e você se diz um democrata... Que grande democrata você é! Quer saber? Você não existe, Thor! Você é um caso pra ser estudado, estudado por uma junta de especialistas. Seus pensamentos são absurdos. Você não existe!”


Thor Nelson sabia que aquilo era em parte pelo Alzheimer. Seu pai ficava cada vez menos previsível e cada vez mais descompensado. Irava-se por nada. Suas reações eram desproporcionais. Não demorava cinco minutos para que se desculpasse. Mas naquele dia Thor Nelson não quis ficar para uma reconciliação. Disse que não agüentava mais o velho e que arranjaria um lugar para si. Bateu a porta e partiu. Ao retornar, só encontrou a casa vazia. Percebeu que uma mala e parte das roupas de seu pai haviam desaparecido, inclusive as calcinhas da falecida mãe, todas. E daquela triste manhã, já havia quatro meses que não via o velho. Dois dias depois, após falar com os conhecidos, que só teriam visto o velho descer a rua bem vestido pela hora do almoço, decidiu prestar queixa de desaparecimento à polícia.


Obs. Este conto conhece sua continuação em GIVANILDO CASA GRANDE. Se ler, não se acanhe, comente. Abraço!

70 Comentários:

Blogger Mi disse...

bom domingo, beijinhos

19 de novembro de 2011 19:46  
Blogger Simone butterfly disse...

TADINHO ESSE ESTADO DE MELÂNCOLIA É TRISTE..., VC RELATA TÃO BEM QUE ACABDO PENSANDO QUE É REAL RS,RS BEIJOS

20 de novembro de 2011 03:33  
Blogger Leonardo Camilo disse...

Fugaz e penetrante história Senhor Jefferson vc como sempre escreve textos arrebatadores!
FORTE ABRAÇO

20 de novembro de 2011 05:48  
Blogger Leonardo Camilo disse...

postagem arrebatadora vc prende o leitor!
parabéns estimado cronista

20 de novembro de 2011 05:50  
Blogger Bruh Floripa disse...

Gosto do jeito que vc escreve!
Vim ler e desejar uma boa semana...
Mas melancolia... bem, não me permito sentir esse tipo de sentimento... acredito que sou totalmente responsável pela vibração ao meu redor, então eu simplesmente sorrio muito todos os dias. =D Afinal, eu acredito que tudo muda a partir de você.

Bjokas mágicas da Bruh! =***

20 de novembro de 2011 06:32  
Blogger Rosa Carioca disse...

É sempre prazeroso ler seus textos.

20 de novembro de 2011 12:42  
Anonymous Luzinete disse...

“Tenha como regra na vida nunca se arrepender e nunca olhar para trás. O arrependimento é um terrível desperdício de energia; você não pode construir sobre ele, e ele é bom apenas para se ficar revolvendo.”
( Katherine Mansfield )
*********************************************

Desejo ao meu querido amigo uma ótima semana com muitas alegrias.Abraços ***

20 de novembro de 2011 14:27  
Blogger osmar disse...

O velho evaporou-se né?!
Tudo belezinha em sua vida?
boa noite Jefh, e boas escritas!

20 de novembro de 2011 16:38  
Blogger Rafael Castellar das Neves disse...

Caramba, Jefhão!! Isso que é intensidade...deu pra sentir a atmosfera que você descreveu..muito bom mesmo!

Parabéns pelo terceiro ano de blog...sabemos muito bem como é difícil mantê-lo assim por tanto tempo!

Grande abraço!

21 de novembro de 2011 04:52  
Blogger Nathy M. disse...

Oi Jefh!
Gostei do texto, muito interessante seu estilo.
Boa semana pra você também.
Abraços

21 de novembro de 2011 06:33  
Blogger Feminina e Vaidosa disse...

Adorei o texto! Mas Thor Nelson? Como assim? Quem tem um nome assim? Algo tão Luma de Oliveira ...
Já deixo o "lindas" especificado por ter muuuitas visitas femininas, mas você está convidado a retornar, ok?
Adorei sua visitinha, voto em ti.
(você é casado? rs)
beijos

21 de novembro de 2011 07:31  
Blogger Pepa disse...

Oi Jefh, é a Vi,idoso sofre, pois além de ter um serie de doenças, sofrer com a perda de pessoas amadas, ainda por cima muitas das vezes não é compreendido.
Boa semana,abraços,Vi

21 de novembro de 2011 08:00  
Anonymous Anônimo disse...

Boa tarde querido Jefh!
Thor Nelson,posso dizer que é meu irmão,pois é fanático com política.
E eu o rapaz, que não fica louco com notícias diárias de jornais que nem sempre dizem a verdade.
Agora o Thor sumir por uma discussão relacionada a pessoas alheias isso sim precisa de tratamento médico.
Ou melhor precisava, agora ele se escafedeu mesmo.
Tadinho.
(risos)

21 de novembro de 2011 09:21  
Blogger Ceiça disse...

Oi Jefh! Coitado do velho né! Por que os filhos sempre fazendo pouco caso e não aprendem a dar uma atenção especial para seus pais quando chegam na velhice.Parece até que não chegarão nessa fase...Por onde anda esse pobre velho usando as calcinhas da falecida.kkkkkkkkkkkkkkkks Que imaginação esse sua hem! Fértil até demais...Viajo nos seus brilhantes textos...Que mente formidável! Adorei!!!!!!!!!Parabéns! Um abraço amigo!

21 de novembro de 2011 09:34  
Blogger Janaína Pupo disse...

Nossa, e onde ele foi?
Seus textos sempre deixando um gostinho de quero mais!
Beijos meu querido!

21 de novembro de 2011 11:06  
Blogger Mauricia disse...

Muito bacana!

Isso tudo nos faz pensar sobre o respeito, a aceitação, o saber falar/escutar, acreditar na mudança...

Abraço fraterno!

um mundo melhor e digno!

Agir, eis a inteligência verdadeira. Serei o que quiser. Mas tenho que querer o que for. O êxito está em ter êxito, e não em ter condições de êxito. Condições de palácio tem qualquer terra larga, mas onde estará o palácio se não o fizerem ali?
Fernando Pessoa

21 de novembro de 2011 11:42  
Blogger Debora Camargo disse...

Adorei a maneira com que escreve, muito interessante e envolvente! Seguindo você!

Abraços, Débora.

21 de novembro de 2011 14:08  
Anonymous jan disse...

OI JEFH.
QUE CONTO CONFLITANTE, HEIN?!?!!
ESPERO QUE SEJA TOTALMENTE FICTÍCIO.

BEIJÃO E OBRIGADA PELA SENSIBILIDADE E CARINHO, QUE VC DEMONSTROU NO MEU BLOG.

JAN

21 de novembro de 2011 14:32  
Anonymous Fernanda Summers disse...

Oi jefh!
Vim para agradecer o comentário e dizer que você sumiu hein?
Adorei o texto,como sempre muito detalhista!!

21 de novembro de 2011 16:32  
Blogger ana costa disse...

Mais uma vez e em grande estilo, você aborda temáticas bem reais: a terceira idade e todos os problemas que ela traz consigo.
A doença, e o peso que ela acarreta para as famílias, a saturação dos familiares pela sua não preparação para lidar com ela, e o despoletar de todas essas situações...
Meu amigo, não me vou perder em grandes conversas, somente digo: Parabéns!
Beijo e uma linda semana para você

22 de novembro de 2011 01:55  
Blogger Magno Dantas disse...

Texto delicado e povoado de citações que emocionam o ser mais frio existente na face da terra. Tenho comigo fé de que, nós pobres mortais, ainda sobrevivemos porque temos coração e alma. Saudações camaradas
Magno Dantas

22 de novembro de 2011 03:21  
Blogger ELAINE ÁLVARES disse...

Olá Jeferson, muito obrigada pela visita ao meu blog,e pelo comentário, o seu blog é muito interessante!
já votei!

Quando o Caminho se faz resistente faça com resistência o caminho. Deus te Abençoe. ...

22 de novembro de 2011 03:42  
Blogger Ju disse...

Olá Jeferson!
Gostei muito do texto, sua intensidade...visceral!!!
Meu pai era uma pessoa super inteligente que até o final da vida lutou contra os "emperramentos" da mente e muuuitas vezes me deparei com situações de confronto.Ah! Se eu soubesse que eram seus últimos dias...
Adorei sua visitinha!!!

22 de novembro de 2011 04:12  
Blogger Bell disse...

Thor?!
É mto envolvente sua forma de escrever, adoro....e sempre que posso dou uma passada!!

Beijos meus!

WWW. TUDODENOSTODOS.BLOGSPOT.COM

22 de novembro de 2011 05:14  
Blogger JULIANDRA ALENCAR disse...

Olá amigo! Mais uma vez aqui lendo seus textos, estou ficando viciada neles, hein! rsrsr... Tambem passei pra agradecer o comentário em meu blog.
Em relação ao texto, vejo que mais uma vez retrata a realidade vivida nos dias de hoje, quando se refere a queda dos ministros e tambem vem retratando a diferença de interesse pela política dos mais velhos e dos mais novos. Infelizmente uma realidade do país todo, pois os jovens que deveriam acreditar e tentar fazer algo pra melhorar, já não mais acredita em seu poder, e os mais velhos que teem sede de justiça correndo em suas veias, já não mais se sentem uteis para lutar. E com isso o conflito de opiniões cada vez mais vai afastando as pessoas. Triste fim essa história, mas verídica e reflexiva.
Amigo! Parabéns novamente. Excelente texto.
Abraços da amiga Juliandra Alencar.

22 de novembro de 2011 06:39  
Blogger Renata Bardelli disse...

Oi Jeferson. Não connhecia seu blog.
O texto está muito bom!
Vc já tem o meu voto no Top Blog!
ok?
Renata

22 de novembro de 2011 07:02  
Anonymous Liliane disse...

Jefh, seus posts são o máximo.
Grande abraço
www.caminhodagula.blogspot.com

22 de novembro de 2011 07:25  
Anonymous Anônimo disse...

ooo legal vc é bom!!

22 de novembro de 2011 08:56  
Blogger Amanda Grazielly disse...

Nossa adorei seu blog, voce escreve muito bem!
Legal para refletir...
Vou te seguir tbm!!!

Obrigado pelo Post, bolsa de mulher é uma loucura.

22 de novembro de 2011 09:28  
Blogger professora Ana Cláudia disse...

Parabéns! Que talento maravilhoso você tem!
Gostei muito dos seus textos.

22 de novembro de 2011 13:44  
Blogger http://www.comprasnetvirtual.com.br/ disse...

Seguindo..

visitinha???

loja virtual - http://www.comprasnetvirtual.com.br/

blog - http://comprasnetvirtual.blogspot.com/

22 de novembro de 2011 14:30  
Blogger JR. Produções disse...

O texto é muito interessante... vc descreve maravilhosamente o estado melancólico do velhinho... na verdade o que vc escreveu,acontece dentro de nossos próprios lares!Deixamos os velhinhos de lado como se fosse um objeto q não tem mais valor! Parabéns de verdade..adorei..vou continuar de seguindo!

22 de novembro de 2011 14:47  
Blogger RÊh disse...

Nossa jefh , adorei ''suas histórias '' vc as que cria? , muito obrigada por ter elogiado meu Blog , afinal eu adoro um comentario e uma critica da história.

22 de novembro de 2011 15:12  
Anonymous heddy dayan disse...

muito bem pensado, se nada cai do céu, é preciso voar até lá. Parabéns, já votei no teu blog, tomara que ganhe o top, o topo, o céu!

22 de novembro de 2011 15:26  
Blogger Veronica Rosalie disse...

Oi Jeferson ! Adorei o texto ! Parabéns , e pode contar com o meu voto. :)

22 de novembro de 2011 15:51  
Blogger Cleo disse...

Olá Jefh,

Parabéns! Gostei muito do seu blog e continuarei seguindo. Meu voto já é seu!
E obrigada pela visita ao http://vaientrandoquetemvaga.blogspot.com
Apareça lá outras vezes! Ah...e quando vier à Bahia, me procure.
Abraços.
Cleo Miranda.

22 de novembro de 2011 17:46  
Blogger porai disse...

Adorei, Jé! E fiquei com vontade de saber mais sobre esse homem comum, de vida comum..Espero pelo próximo!beijão, Lilian

22 de novembro de 2011 19:21  
Blogger a verdadeira arte é viver.. disse...

Bem! nem sei oque dizer,mas quero aqui agradecer os seus comentários no meu humilde blogger,passa longe do seu,que é simplesmente perfeito,agora esse textos,sem comentário é muito lindo e totalmente real!! Parabéns!!bjsss e sucesso!

23 de novembro de 2011 03:16  
Blogger Monikinhaflor disse...

Nossa parabéns pelo blog. Adorei ler o texto viajei na historia, muito bom.
tem cont??/
seg seu blog
bjos

23 de novembro de 2011 03:37  
Blogger Nyce Pinto. disse...

Bom dia amigo "blogueiro", (gostei disso )(sorioo) para mim você será sempre amigo real!!
Jefh, mais uma vez você "mistura" a realidade com a ficção, mas tudo muito sério! No dia a dia observamos tantas situações semelhantes, o
Alzheimer "visitando" e se alojando sem convite na vidas das pessoas...Em relação ao filho, penso que deveriamos ter um cuidado maior com todas as nossas atitudes, deixamos marcas nos outros, marcas profundas muitas vezes, feridas que não cicatrizaram com facilidade... Mas que possamos adotar a atitude do "faixo de luz" que ilumina e nunca no "retrovisor" que só enxerga o que passou, olhando para trás uma vez ou outra, aprendemos, mas se nos "prendermos" apenas e tão somente as "cenas" já vividas, nos atrasaremos no caminho a percorrer e que está ai ...a nossa frente! Se erramos, adotemos o auto-perdão e continuemos! Grande, imensoooo abraço querido Jefh... Cada dia mais sucesso!

23 de novembro de 2011 04:36  
Anonymous Anônimo disse...

Gostei!abraço.

23 de novembro de 2011 06:45  
Blogger rubia cossette disse...

Olá Jeferson
Que texto hein?! Gostei muito e confesso que prendeu minha atenção até o final.História boa.A maneira como o filho enxerga a política...a posição do pai...nos faz refletir...o final foi triste...mas isso acontece afinal...gostei muito.
Abraços e boa semana.

23 de novembro de 2011 08:28  
Blogger rubia cossette disse...

Ahhh tentei votar ...mas não consegui...acho que já encerrou..

23 de novembro de 2011 08:29  
Blogger Vida de Garota disse...

Vim retribuir visita!

Bom, ao visitar seu blog, percebe-se que você é muito inteligente!!

Beijos Julia, www.vdgbr.blogspot.com

23 de novembro de 2011 08:37  
Blogger Samanta Holtz disse...

Oiii!
Tudo bom???

Obrigada por seu comentário em meu blog!! Ainda não conhecia o seu, e devo dizer que adorei os poucos textos que li até agora... parabéns, você escreve muito bem!!!

Vou votar em seu blog, sim!!! Primeiro, porque realmente gostei... e, segundo, porque os escritores desse país devem ser incentivados!!


Ah! Quem nasce em Porto Feliz é portofelicense! :)


Estou postando as fotos da minha entrevista para a TV lá no blog, passe lá pra ver depois!

E, em janeiro, vou lançar meu romance, "O Pássaro"... você pode conhecê-lo no Skoob ou no Facebook! Espero que goste!

Abração!!!

23 de novembro de 2011 14:14  
Blogger Samanta Holtz disse...

PS: A votação popular está encerrada!! Que pena...

Mas espero que seu blog tenha sido bem votado!!


Abração!

23 de novembro de 2011 14:16  
Blogger sonia disse...

Jefh!Adorei o texto.Que Deus te ilumine e continue com essa criatividade, realmente você é dez!!!
A sabedoria não é outra coisa senão a ciência da felicidade.
Um grande abraço Sônia Andrade.

23 de novembro de 2011 16:18  
Blogger Janice Tolentino disse...

Oi Jeferson, Obrigada por visitar meu blog e pelo comentário sobre meu trabalho.
Passei por aqui para deixar meu agradecimento e Li seu texto. Adorei! Parabéns! Conte com meu voto! Tudo de Bom pra você!

23 de novembro de 2011 16:55  
Blogger Roseli Blitzkow de Souza disse...

Obrigada peala visita ao nosso blog
Visite também
http://rsblitzkow.blogspot.com/
mais tarde volto para ler tudo
beijinhos amigo

24 de novembro de 2011 03:12  
Blogger Elaine Cândida disse...

Muito intensa sua forma de escrever, Jefh! O texto realmente nos leva à uma dimensão onde quase participamos da história também...

Que o Senhor continue aprimorando essa capacidade tão linda de redigir e relatar fatos reais para gente real. Infelizmente, nossos dias têm revelado mentira sobre mentira, fantasia após fantasia... E a vida correndo enquanto muitos dormem.

Obrigada por sua adorável presença em nosso blog. Seja sempre bem-vindo!

Paz do Senhor Jesus seja com você e sua família.

Elaine Cândida

24 de novembro de 2011 03:35  
Blogger Evelyn Santos disse...

Gostei muito daqui. Tenha certeza que virei mais vezes..
Estou a seguir-te .
Um beijo

24 de novembro de 2011 07:18  
Anonymous jose nicolau da silva neto disse...

Olha, confesso que estou curioso pra saber um pouco mais sobre esse homem comum. Parabéns Fera!!!

24 de novembro de 2011 08:28  
Blogger walnize carvalho disse...

Caro Jeferson,
Cheguei tarde para a votação(só hoje li sua postagem lá no "Quarto de segredos").Adorei seu blog.Parabéns!
Walnize Carvalho

24 de novembro de 2011 10:16  
Blogger Jú Freitas disse...

Olá, enquanto lia a postagem, não conseguia enxergar Thor Nelson sentado naquela mesa, e sim eu. Fumante passiva, ouvindo que não vou ser nada na vida.

24 de novembro de 2011 10:23  
Blogger Iasmim Kudo disse...

caraka! vc escreve muito bem!!
o Sangue devido meu "trauma" de vida é morte que eu vivi..estive perto da morte uma vez e através de uma transfusão tive outra chance..minha poética fala disso!
Obrigada pelo comentário!

24 de novembro de 2011 16:01  
Blogger ginabyte disse...

Nossa! Me senti um pouco triste ... Vc passa a realidade do fato com sua forma real e direta de descrever. Parabéns!

24 de novembro de 2011 18:47  
Blogger Dicas Femininas disse...

Olá querido parabéns adorei seu post..super aprovado bjs


http://rosanadicasfemininas.blogspot.com/

25 de novembro de 2011 03:11  
Anonymous Quenia da Mata disse...

Gostei muito do texto! Estou curiossa pra saber o final dessa história...

25 de novembro de 2011 03:48  
Blogger Jacilene Silva disse...

Leitura muito agradável.
Muito bons seus textos!
Parabéns!
Abraço.

http://jacifoiodiscovoador.blogspot.com

25 de novembro de 2011 09:03  
Anonymous Anônimo disse...

/),,/) DEUS abriu
( ‘;’ ) a janela do
(,,)(,,) céu e perguntou:
Qual seu desejo para hoje?
Eu respondi: Cuide bem de
quem esta lendo esta msg!!BjOs
Um final de semana abençoado e uma nova semana com muita saúde e paz!
Bjokas da Bia!

25 de novembro de 2011 12:07  
Blogger Danny Mystério disse...

Olá obrigado por gostar das minhas postagens.... mas aho q naum sou muito bem compreendida.. rsrsrsrs

25 de novembro de 2011 16:49  
Blogger Dia a dia com uma gordinha disse...

Olá, obrigada pela visita!
Muito interessante seus textos!
Tenha um ótimo FDS!

26 de novembro de 2011 05:05  
Blogger Pensa se eu fosse rica!!! disse...

Texto muito bem escrito..

Bjinhos Mayara Lopes

http://www.pensaseeufosserica.com/

26 de novembro de 2011 09:28  
Anonymous Anônimo disse...

Oi Jefh, saudades!!! Tenha um ótimo fim de semana!!! Um abraço, Eliana.

26 de novembro de 2011 11:15  
Anonymous Sou-Poesia disse...

Excelente Jefh!! Eu que digo pra vc: Uau!! Você explícita a problemática do texto com muita suavidade. Parabéns!!

27 de novembro de 2011 09:59  
Blogger Ma Ferreira disse...

Oi Jeferson... acho que deveria ter lido esta postagem antes da ultima que li.

Desnecessário elogiar a tua escrita. Voce ja sabe a admiração que tenho por vc e pela sua arte de escrever.

Gostei muito do tema. Uma cena que se repete diariamente em vários lares.

Mas voce com seu talento consegue fazer com que nossa atenção se prenda..até tomando partido entre os personagens!!

Um abraço com carinho...

27 de novembro de 2011 14:19  
Blogger Cris Leal disse...

Adorei o texto! E já vi que tem continuação. Oba!! Parabéns, vc escreve muitíssimo bem.
Um abraço e uma ótima semana.

27 de novembro de 2011 17:57  
Blogger Lysa T. disse...

Retribuindo a visita (:
Você escreve muito bem !
Beijos

29 de novembro de 2011 09:21  
Anonymous Anônimo disse...

Boa Tarde Meu Querido Amigo!
A gente procura palavras perfeitas...ou pelo menos combinações que definam as pessoas como elas são...
porém existem pessoas as quais jamais nenhuma palavra ou gesto será suficiente,para demonstrar a elas o quanto se tornaram queridas em nossas vidas!!! E você é uma delas!!!
Te adoro e sinto-me feliz em lhe visitar sempre.
Feliz final de semana e uma nova semana mega abençoada!
Bjokas...da Bia!

3 de dezembro de 2011 10:37  
Blogger Gabriele Stein disse...

oi
Adorei a maneira com que escreve, muito interessante e envolvente! Seguindo você!
E obrigada pela visita
by:Gabi

19 de dezembro de 2011 14:44  

Postar um comentário

Comente. É isso que o autor espera de você, leitor.

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial