sábado, outubro 15, 2011

A PEQUENA LOJA

Caminhava, quando, ao passar pela pequena Rua da Ladeira, vi o anúncio fixo ao vidro da portinhola da estreita porta de uma das muitas lojinhas espalhadas entre velhos edifícios e sobrados residenciais e comerciais do bairro que já fora centro comercial em tempos remotos. O anúncio dizia: “CONTRATAMOS!”

Em minha cabeça, o peso de três meses de aluguel vencidos, contas e dívidas, cobranças, inadimplência na faculdade, e meu pai desaparecido há quatro meses. Sem sombra de dúvida, o período mais sombrio de toda minha vida.

Fato que nunca havia notado aquele comércio. Na adolescência, passava por aquela calçada com freqüência. Mesmo não sendo um grande observador, creio que, ao menos daquela quadra, posso descrever de olhos fechados todos os edifícios ali sitos. Frequentei demais aquela calçada para não o fazer. Como teria me escapado um comércio naquele lugar tão familiar?

Por mais acanhado que fosse o negócio, estaria ali há tempos. Tinha um aspecto de velhice consolidada. A estreita parede da fachada, na cor mostarda, desbotada e descascada a margear os portais de madeira escura, imbuia; tudo parecia devastado pelo tempo. Aquela loja existiria ali certamente há muitas décadas. Até o pequeno vidro retangular da portinhola tinha o aspecto destorcido dos vidros que envelhecem e parecem escorrer para a base como que derretidos pela passagem de muitas décadas... Sim. Admito. Nunca havia notado o lugar.

Nas vezes em que ali passei, nas muitas vezes em que ali passei, devo ter andado distraído. Ou então, devo ter imaginado que fosse apenas mais uma porta residencial; assim a inclui no montante de pequenas portas residenciais ao longo da rua.

Era uma loja velha e escura onde um corredor longo e estreito, também escuro, levava a uma sala de tamanho médio que dava acesso a outros dois portais sem portas. Havia uma inscrição sobre o batente da porta de entrada. Porém, de tão velha, descascada e apagada, não era possível ler o nome da pequena loja. Lia-se apenas: “LOJ M SH K’ S T OW” e o resto era mera especulação.

Em meu favor, apenas o fato de que, quando garoto, eu tinha mania de andar olhando para o chão. Erguia a cabeça somente vez ou outra. Hábito adquirido em decorrência das incontáveis vezes que queimei a sola dos pés descalços nas bitucas de cigarro. Fazia uma espécie de varredura das calçadas com o olhar. Passei naquela rua quando adulto também. Mas apressado como todos somos, quem é que nota pequenas portas?

Não importa. O fato é que a velha loja estava ali e poderia saciar minha necessidade por emprego. Era minha chance.

Ao atravessar a pequena porta, era um longo, e estreito, e escuro corredor que conduzia ao interior de uma sala quadrada pouco iluminada. Dentro da sala, pude ver que o chão era de tacos em péssimo estado de conservação; foscos, riscados, com falhas. Entre dois portais, havia um pequeno balcão de madeira escura, imbuia. Atrás do balcão, um velho computador na cor bege, um dos primeiros modelos. Diante do monitor da máquina, estava sentada uma jovem de cabelos castanhos escuros com as pontas loiras, e de óculos de aros largos e lentes grossas. Ela tinha o olhar fixo na tela refletida em suas lentes. Dirigi-me a ela que parecia não ter ouvido soar a campainha musical no momento em que atravessei o portal da rua adentrando o estreito corredor. Não ouviu ou talvez tenha simplesmente ignorado minha chegada como deveria fazer toda vez que estivesse compenetrada em uma conversa no MSN.



“Oi” Disse eu.

“Oi” Respondeu ela, e sem desviar os olhos da tela.



“Vi lá fora que estão contratando...”

“Uhnrhum”



Eu não queria dizer que não sabia do que se tratava aquele comércio, isso poderia denunciar minha extrema necessidade por um emprego, fosse qual fosse. Naquela situação desesperadora, qualquer trabalho fixo aliviaria parte de minhas preocupações e dívidas, e, mais que isso, seria terapêutico por abstrair-me do emaranhado de problemas comprimidos em minha cabeça quente.

“Quem é o responsável pelas contratações?” Falei assim apenas para valorizar o evento, pois me pareceu que ao dizer ‘contratações’, e não simplesmente ‘contratação’, elevaria o status da empresa. Ela olhou-me pela primeira vez e, com ar de extremo enfado, perguntou mascando um chiclete: “É currículo?”

E vendo que eu não dizia nada, mas já transparecia em minha face uma ligeira afetação pelo descaso da recepção, completou: “Se for currículo, pode deixar aí em cima do balcão que eu entrego pro Seu João na hora em que ele voltar”

Agora eu sabia que quem detinha o poder de melhorar o meu destino se chamava Seu João e provavelmente estaria almoçando às onze horas da manhã, e com efeito retornaria ao meio dia para que a moça do MSN fosse por seu turno almoçar.

Emendei: “A que horas o Seu João volta?” Ela certamente queria me irritar. Se não queria, indubitavelmente possuía o dom. “É currículo?” Ela disse outra vez, num rápido desvio de olhar da tela para mim e, antes de esperar por qualquer resposta, voltou a teclar uma mensagem para o provável velho gordo maníaco pelado tarado escroto casado pai de família com quem ela falava a manhã toda no computador. Bastava. Aquela moça, com seus modos displicentes e mal educados, acabara de fechar uma porta que poderia ajudar a melhorar minha vida tão necessitada de melhorias. Um soco no balcão e alguns desaforos seriam a exata medida de meu desabafo e pedido de demissão prévio ao analise de currículo, entrevista e contratação.

Foi quando saiu do portal da esquerda um jovem magro, pálido, descabelado, esquálido, de óculos parecidos com os da recepcionista, visivelmente estrábico, vestindo calça jeans justa e camisa xadrez, com alguns livros velhos nas mãos e perguntando: “Ingrid, você sabe se esses aqui já foram catalogados?”

Sem desviar os olhos da tela, ela respondeu que não sabia, e que era para ele deixá-los sobre o balcão que ela veria depois. Ele não se importou com a pouca atenção; pareciam se entender. Ele disse: “Então ta” Olhou-me ali parado diante do balcão, e retornou pelo portal que havia surgido como num evento de materialização seguido por desmaterialização. Ao ver que a falta de atenção da moça do MSN, a Ingrid, não era algo pessoal, fiquei mais calmo e vi se esvair o meu ímpeto de esmurrar o balcão e desaforá-la. Como eu não trazia em mãos nenhuma cópia do meu currículo, saí para providenciar. Decidi voltar no dia seguinte, talvez.


Obs. Esta postagem é comemorativa do terceiro ano do blog, a completar-se no dia 01.01.12, e também comemora a adesão de mais de 3500 generosas pessoas que me apóiam. Quer saber o que aconteceu em seguida? Este conto continua em “XONGAS” [se ler, por favor, comente]

79 Comentários:

Blogger Juliana Matos. disse...

Eu acredito,
uma vida simples não precisa ser regada a má educação, a atenção e a certeza de bons modos realmente vem de berço! Bela história/reflexão/conto, adorei!
Um abraço querido!
Juliana

15 de outubro de 2011 18:59  
Anonymous Luzinete disse...

Pequenas coisas que-passam-pela-nossas-vidas fazem a diferença,uma delas e ética e a falta de atenção. Tudo que passa ao nosso redor, deve ser analizado antes de qualquer atitude. Legal a história parabéns.

15 de outubro de 2011 20:43  
Anonymous Luzinete disse...

Parabéns,por fazer de seu Blog lindas histórias realmente e òtimo ``Te desejo sucesso`´

15 de outubro de 2011 20:56  
Anonymous Anônimo disse...

Sinceramente amigo desejo que o narrador da história não consiga esse emprego. Ô lugarzinho de gente mal sem educação. Poxa esse vício de internet deixa muitos além de sem educação com cara de robô. Provavelmente o outro rapaz de blusa xadrez tinha seu computador em sua salinha também. (risos).
Nosso querido narrador merece serviço melhor em um local arejado e ventilado.
Um forte abraço e continue postando você me alegra ao ler seus textos.
Beijos da Bia!

16 de outubro de 2011 07:29  
Anonymous Fernanda Summers disse...

Oi Jefh,adorei o comentário carinhoso.E vim para dizer que encontrei vários amigos que gostam de ler.então espere que logo logo vai ter um milhão de fãs seus.Ah!quero que você me ajude também a achar mais pessoas como você,que curtem uma brincadeirinha como a Daphne.
Outra vez você me surpreendeu com a riqueza de detalhes que você conta.Amei.me lembrei do livro que li quando estudava Encontro Marcado de Fernando Sabino.Não que seja parecido,não entenda mal,é a riqueza dentro da história,sem desviar do assunto.Espero que você atualize seu blog todos os dias.Porque acho que tô viciada.
Bjs para vc,a ana e o davi.fale que estou esperando os desenhos viu♥

16 de outubro de 2011 09:11  
Blogger Danelize Gomes disse...

"Nunca havia notado aquele comércio". Falta de atenção dele à lugares que ele via com frequência. Baita falta de atenção da mocinha displicente mascando chiclete,hein. Eu ri com a tua história. :}

16 de outubro de 2011 10:23  
Blogger Eliana disse...

Poxa Jefh, tudo que você escreve, tenho certeza, que ninguém consegue ler só um pedacinho, tem que ler tudo. Pois, sua escrita tem esse poder... acredite!
Que história viu, e essa moça sem atenção em, que feio! Ah! O computador bege me lembrou o meu primeiro computador rsrs... PARABÉNS JEFH, E QUE DEUS CONTINUE ILUMINANDO ESSA SUA MENTE MARAVILHOSA! Um abraço

16 de outubro de 2011 12:55  
Blogger Denise Rodrigues disse...

Fiquei muito apreensiva pra saber de que se tratava o emprego,e juro que ainda estou... porém é comum vermos pessoas assim em bancas de atendimentos que deveriam estar em outro lugar..(..) mas enfim... adorei seu conto.. bjs

16 de outubro de 2011 13:09  
Blogger Paula Fliess disse...

Não tenho algo "certo" a dizer do texto. Mas esse é o terceiro que leio aqui, e parece meio mágico: que quando eu vejo aquele monte de linhas, bate uma ponta de preguiça para ler. Mas eu insisto. E em instantes, acabo de ler. Como se todas essas linhas fossem imaginárias.
O texto, realmente muito bom. Muito parabéns, mesmo.

16 de outubro de 2011 14:31  
Blogger osmar disse...

Boa noite, jefh!
a internet está desligando muita gente do mundo real. Não podemos esquecer que a internet é um meio de comunicação para complementar os outros. O uso indiscriminado se torna um vicio e nos torna inútil!
obrigado pela visita.
Um abraço Guri!!

16 de outubro de 2011 17:14  
Blogger ana costa disse...

Nunca tinha pensado que se podia falar da má educação duma maneira tão elegante!
Não sei se teria tanta paciência!...
Parabéns, mais uma vez e recreando um cenário muito inteligente você traz até nós uma temática muito usual nos dias de (hoje?): a falta de respeito/educação pelo ser humano.
Nada a acrescentar, nota 10!!
beijo e boa semana

17 de outubro de 2011 00:47  
Blogger Solange disse...

Jefh...

que agonia..
quero saber quem é o S.João...
se vc finalmente conseguiu o que queria..
e mais: se a loira do msn olhou pra vc..
e quem era aquele magrelo?

agora, impagável está a definição do loiro,alto e de olhos azuis, que provavelmente estava na foto de perfil daquele com quem ela conversava pelo msn...hahaha

bjs.Sol

17 de outubro de 2011 04:06  
Blogger JULIANDRA ALENCAR disse...

Obrigada Jeferson por suas palavras. Agora sou seguidora assídua de seu blog, pois adorei seus textos. Já fiz semana passada uma breve divulgação no meu Facebook, mas vou continuar a fazê-lo pois realmente assim como gostei, sei que mais gente poderá gostar. Desde já deseje-lhe mais e mais inspirações pra continuar escrevendo textos maravilhosos e sorte no concurso de blogs. Há! Assim que eu ler com mais calma seus novos textos farei um breve comentário. Otima semana pra ti.

17 de outubro de 2011 04:40  
Blogger jacirascrap disse...

Obrigada pela visita em meu blog e vim aqui te retribuir! Adorei sua história!! ÓTIMA forma de escrever que tu tens!! E vai saber quantas situações iguais a essa passamos diariamente sem nos darmos conta? Com certeza várias vezes... Boa semana!

17 de outubro de 2011 05:34  
Blogger JULIANDRA ALENCAR disse...

Amigo, me vi dentro de seu texto. Nossa! Já passei por várias situações como essa, a adentrar em um local o qual já havia passado por várias vezes em frente, mas nunca reparado em seus detalhes. Situação tambem a qual fui tratada com indiferença, quando o assunto foi "Currículo". Ao contrário do seu texto, todas as vezes, nada me conformou que aquelas atitudes não eram pessoais, talvez por minha aparência. Mas isso não vem ao caso.

Parabéns novamente por seu texto. Mais uma vez retratando a realidade vivida por muitas pessoas. Adorei!

17 de outubro de 2011 05:57  
Blogger JAN disse...

"LOJINHA" SINISTRA (SENTIDO LITERAL...)!!!!

BOA SEMANA E ABRAÇOS
JAN

17 de outubro de 2011 06:29  
Blogger Nyce Pinto. disse...

Bom dia amigo! Você descreve com tantos detalhes, com tanto sentimento que é impossível não "entrar" em cena... Adorei...e infelizmente é a realidade. A educação as vezes é vista como algo "bizarro", quando ao passar por alguém na rua dizemos "bom dia" criamos uma surpresa, receio... Enfim, os valores estão invertidos...
Mas, optamos pela felicidade...Caminhemos...
(Hoje lá no Blog, tem mensagem do teu amigo Carpinejar...) Grande abraço e APLAUSOSSSSS!!!

17 de outubro de 2011 06:41  
Blogger Elizabeth disse...

Olá Jefh! Obrigada por visitar meu blog e postar seu comentário. Na verdade, não sou blogueira, meu blog é estritamente profissional, mas adorei sua visita e comentário. Você é um escritor nato, tem riqueza de detalhes em seus escritos, isso leva o leitor ao deleite de viajar e conhecer sempre novos caminhos. Parabéns! Você ganhou uma nova seguidora. Abraços, Beth

18 de outubro de 2011 05:20  
Anonymous Anna klaudya disse...

Ola,
Gostei muito do seu texto e da riqueza de detalhes com que vc descreve o lugar e a situação.
Revivi exatamente a sena, parecia uma loja da minha vizinhança, de quando eu era criança, aqui mesmo em Ribeirão, cada detalhe me fazia visualizar aquele tempo.
Quanto à falta de boa vontade em auxiliar da moça, infelizmente cada vez mais acontece, são muito raras as pessoas se olharem nos olhos ou mesmo usar a gentileza com o outro.
Que você continue sempre escrevendo e acrescentando algo bom com suas lembranças fictícias ou não...
Que o universo continue sempre conspirando para sua felicidade.
bjsss

18 de outubro de 2011 06:54  
Blogger Jaciara disse...

Sabia que viajo com seus textos!?compartilhei no orkut e facebook. Tá faltando a segunda parte...rsrsr e o depois?

18 de outubro de 2011 07:14  
Blogger Quenia disse...

Olá, obrigada pela visita ao meu blog! Gostei muito de seus textos! Já estou te seguindo! Sucesso!

18 de outubro de 2011 15:21  
Blogger Patty Muzzi disse...

Olá Jeferson. Fiz a leitura a qual me recomendou. Postei merecidamente em meu blog. Também deixei um cometário. Também gosto de escrever. Vá até lá.

"Quando escrevo, visito-me solenemente". Por Fernando.....o Pessoa.

19 de outubro de 2011 00:15  
Blogger Láila Cintra Seregati disse...

Olá Jeferson, obrigada pela visita ao meu blog,
li sua história, A pequena loja, e com certeza educação e atenção ao próximo é uma coisa que cabe em qualquer lugaar e nunca é demais.

Se gostar de algum post do meu blog tambem conto com a sua divulgação. Seguirei seu blog.

Abraço.

19 de outubro de 2011 06:02  
Blogger Elisabeth disse...

Ei Jeferson...adorei seu blog. Sou seguidora agora ... obrigada por visitar o meu e fique à vontade...obrigada pelo comentário também...abração e um belo dia!!!!

19 de outubro de 2011 08:58  
Blogger GabyKananda disse...

Muito bom texto.. não sabemos do que se trata até o instante final, mas é isso que nos prende ao texto, parabéns muito bem produzido, acredito muito nesse tema Dia-a-dia

19 de outubro de 2011 17:02  
Blogger Cátia Amélia disse...

Já sou sua seguidora amigo!
É sempre bom conhecer um homem sensível.....tenho 2 filhos e sempre ensino a eles a serem sensíveis!
Beijo da amiga cátia
http://catiaartesmanuais--mimos.blogspot.com/

19 de outubro de 2011 17:12  
Blogger Ana Paula Lopes disse...

Bom dia Jeferson, obrigada pelo comentário no meu blog. , gostei da sua postagem e derrepente em nossa vida encontramos várias Ingrid pessoas que levam a vida com descaso e com a minima preocupação e o respeito pelo próximo,problemas todos nós temos mais o respeito e um pouquinho de atenção não custa nada. Obrigada pela visita e volte sempre vou te indicar. Um abraço

20 de outubro de 2011 04:35  
Anonymous Lucy Rielo disse...

Olá, creio que todo mundo já deva ter passado por uma situação de mal atendimento, só não podemos deixar que isso nos afete e ver como é ruim ser tratado dessa forma e prestar + atenção como estamos dando atenção a quem precisa de nosso auxílio. Um abraço

20 de outubro de 2011 05:25  
Blogger Raquel Correa disse...

Oi Jeferson, seu texto é muito rico!
Gostei muito, ja estou seguindo e você poderia seguir o plussizelovers tbm né....
Pode deixar que vou divulgar!
Bjs
www.plussizeloversblogspot.com

20 de outubro de 2011 08:29  
Blogger Maria Helena disse...

Olá, Jeferson!

Bela surpresa seu comentário no meu blog. Um grande privilégio pois acompanho suas postagens via twitter e sempre amei o que você escreve mesmo não tendo deixado antes, em palavras, a minha admiração. Hoje, através da sua atitude em visitar meu blog, estou aqui percebendo cenas do cotidiano que são marcantes e necessárias para vivermos os opostos que dão o equilíbrio, ou não! O que importa é viver e contar as histórias em versos e reversos.
Um ótimo final de semana!

21 de outubro de 2011 04:24  
Blogger Cler .**.**.**.**.** disse...

Olá,
((um pena, que em nossa vida vamos vez ou outra encontrar muitas atendentes assim... argh))
Obrigada pelo carinho,
passa lá no Momentos Cler que estarei apresentando seu blog aos meus seguidores!
;)
Ganhou mais uma amiga e seguidora!

21 de outubro de 2011 06:16  
Blogger Queti disse...

Oi
Obrigada pelo carinho deixado lá no blog.
Vim conhecer seu espaço e já virei seguidora.
Texto muito bom, infelizmente fala de uma realidade que certamente muitos já viveram.
Parabéns pelo blog.
Bjos

21 de outubro de 2011 07:01  
Blogger Silvana Oliveira disse...

Oi Jeferson! O fato é que às vezes somos tão displicentes quanto à mocinha... Andamos pelas ruas vida e não notamos o que as pessoas esperam de nós e na maioria das vezes é só um sorriso.
Abraços...já estou de seguindo...ahhhh volta lá e me segue tbm...dá uma forcinha *__*

21 de outubro de 2011 08:25  
Anonymous Bruno disse...

parabens!essa foi uma das melhores q ja vi!
continua postando ae pra gente jeferson!
da uma passadinha no meu blog
http://imprecionivel.blogspot.com/

21 de outubro de 2011 14:46  
Blogger Kamila Castro Sales disse...

seguindo seu blog! sobre a postagem? Gostei mto do Texto Grande narrador 'rsrs
continue assim! você vai longe, é so acreditar em vc" abraços :)

22 de outubro de 2011 14:57  
Blogger Cantinho das Artes da Cássia disse...

É Jefh você tem o dom de escrever sobre temas do cotidiano de uma forma poetica. Parabéns pelo seu texto. Já me vi no lugar do nosso interlocutor, e porque não acho que no lugar da Ingrid também as vezes somos os mocinhos, as vezes os bandidos é assim a vida.

22 de outubro de 2011 15:56  
Blogger ELIANA MOURA disse...

ola amigo Jefh,ja sou a 3599, adorei seu jeito de escrever,continua assim.

elianamrodrigues.blogspot.com

22 de outubro de 2011 16:34  
Blogger Cris Rosa disse...

um homem comum muito atento aos mínimos detalhes...gostei do seu olhar, da maneira que detalha as coisas, os fatos...sou professora e me atento principalmente aos detalhes.
Parabéns pelo seu blog e obrigado pela visita!

22 de outubro de 2011 17:23  
Blogger Carol Venâncio disse...

Oi Jeferson, tudo bem??
Obrigada por visitar meu blog...
Parabéns pelo seu, gostei muito dos seus textos!
www.modaetodahora.blogspot.com

22 de outubro de 2011 18:02  
Blogger Thaís Lima disse...

Olá!! Você comentou no meu blog, resolvi passar aqui para conferir o seu conforme o pedido, e não me arrependi rs.. Gostei demais da sua forma de escrever, dos seus textos!! Sou amante da leitura, com certeza voltarei aqui diariamente. Está de parabéns!!

Conforme você me pediu, irei divulgar o seu blog. O meu não trata-se de moda, a intenção inicial foi criar um espaço para postar alguns textos que admiro, porém comecei a trabalhar com comércio e estou aproveitando o espaço para divulgar a loja!! Ficarei feliz se indicar o meu blog também!!

Muito obrigada,
http://percatemponline.blogspot.com/

23 de outubro de 2011 08:19  
Anonymous Elisabete Lauriano disse...

Oi Jeferson!
Boa Tarde!
Seu texto é maravilhoso, rico em detalhes, muito interessante, gostei do seu estilo, obrigado por ter visitado meu blog, um abração.
Estou também gosto muito de escrever, e conto com suas sugestões e críticas, até a próxima...

24 de outubro de 2011 11:29  
Anonymous Marianna Rabelo disse...

Oi..acabei de ler um comentário seu no meu blo, que é por sinal é recente rs!
Quueria dizer que adorei o que você escreve Parabéns.
To começando agora com o meu,então não tem muita coisa interessante ainda mas se você puder apresentar para seus amigos eu agradeço muito, ainda não tenho ninguém lá.
Ah! e quando quiser passa lá no meu, pra ler alguma coisa . marianna-rabelo.blogspot.com
Abraço.

24 de outubro de 2011 11:53  
Blogger Bia disse...

Parabéns pelo blog...e pelo belo texto.
Abraços.
Obrigada pela visita no meu blog.

25 de outubro de 2011 04:52  
Anonymous Anônimo disse...

Parabéns pelo seu Blog, agradeço pela sua visita no nosso Blog e Muito Sucesso!!!!
Um abraço
Ana Abelha
http://anaabelha.blogspot.com/

25 de outubro de 2011 05:51  
Blogger Rose Dayanne disse...

Nos deparamos com tantas Ingrid's, até eu já fui uma dessas em alguns momentos...
Parabéns pelo blog, pelo texto! Continue inspirando-se!

Rose Dayanne

25 de outubro de 2011 08:28  
Blogger LeticiaRodrigues disse...

Ola! Adorei o blog (:
Gostei tanto que já estou seguindo, quero acompanhar cada postagem. Agradeço pelo comentário em meu blog. Abraços!

25 de outubro de 2011 11:00  
Blogger Bruna Letícia disse...

oiii realmente é difícil viver nessa sociedade!!!
Você escreve mt bm, tm talento. bjs

25 de outubro de 2011 19:58  
Blogger Pac-art disse...

Olá, como vai?
Bem legal a história...
Obrigada pela visita no meu blog :)
Aah pode deixar que irei divulga seu blog.
Abraços!

26 de outubro de 2011 14:45  
Blogger mariane fraga disse...

Olá jefherson Cardoso, vim retribuir a visita no meu blog, e estou curiosa para saber o resto da historia......
Parabéns, é ótimo começar o dia lendo uma historia interessante que não da vontade de parar....
Espero você mais vezes no meu blog.
Abraços!!!!

27 de outubro de 2011 03:06  
Blogger Ceiça disse...

Oi ! Parabéns pelo blog! Seus textos realmente são ótimos, cuja narrativas nos leve a uma viagem ao local descrito , isso não é comum à todos que escrevem. Que Deus continue te capacitando e te dando cada dia mais entusiasmo para levar às pessoas mensagem que muitas vezes nos reporta a ambientes sem nunca tê-lo visto-isso é saber escrever e transmitir com "alma " e sentimento. Parabéns! Adorei seu blog! Vc já faz parte tmb do caminharnamissao. Um abraço fraterno, Ceiça...

27 de outubro de 2011 06:57  
Blogger Gabii Roque disse...

Jefh,
Parabéns, vc tem um dom q poucos tem, outros tem mas ainda não aprenderam a usar...

abraçoss

27 de outubro de 2011 16:47  
Blogger Juliana Carvalho disse...

Olá! Gostei bastante do seu blog e dessa postagem!
Obrigada pela visita no Ma Petite Cuisine, infelizmente só vou por links e linkar blogs lá relativos a gastronomia, mas posso linkar o seu no meu blog pessoal ^^

27 de outubro de 2011 19:00  
Blogger Leonardo Camilo disse...

essa postagem me faz entender que orecisamos nos despir de toda incapacidade das pessoas respeitarem umas as outras e é tão simoles viver em harmonia assim já expressava Ghandi
Maestro é tu com as palavras

28 de outubro de 2011 17:55  
Anonymous Anônimo disse...

Olá Jeferson,
Gostei bastante do texto,que demonstra a falta de atenção tanto do rapaz que passava todo dia pela calçada e nunca havia reparado na lojinha,quanto à moça do MSN,que preferiu dar atenção ao "gordo,maníaco,tarado,escroto"do outro lado da tela do que parar e mostrar um pouco de educação e boa vontade.Isso acontece bastante por aí.
Boa narrativa e bom texto.
Parabéns...
Beijos.e bom fim de semana :)

28 de outubro de 2011 18:25  
Blogger Tayrine Castro disse...

obrigado pela nova visita e obrigado pela sugestão de postagem para que eu pudesse ler gostei muito do testo. Tenha uma otima semana.

31 de outubro de 2011 02:56  
Anonymous Alexsandra Camilo disse...

Vejo uma gama de possibilidades... talvez porque já tenha passado por parte dessa história. Gostaria de ver Ingrid "sacudida" pelo novo colega de trabalho.
Gostei muito de seus textos.
E obrigada pela visita! E com certeza vou ser a nº3649. Um grande abraço.

31 de outubro de 2011 09:12  
Blogger Viviana disse...

Agora consegui!!!!
Quando nos deparamos com alguma situação em que de fato nós estamos mesmos inseridos nela, a história é outra.Passamos a atender e claro ver coisas de maneira diferentes e isso depende muito de como nosso espírito se encontra no momento... Adoro ler seus textos!
Ótima semana bjim

31 de outubro de 2011 15:05  
Blogger Izis disse...

Mais uma vez estou aqui,para me deliciar com seus escritos.Cativante a leitura,nos leva a vivenciar a cena descrita.Bjinhos

31 de outubro de 2011 18:16  
Anonymous Anônimo disse...

Aloha!!

Parabéns pelo blog!! Dá uma passadinha no meu também. Não é tanto feito o teu, pois, estou começando agora, mas tem muita coisa legal e tem gente que gosta :)
http://www.daniellesmedeiros.blogspot.com

3 de novembro de 2011 17:41  
Blogger Thaís Laura disse...

Parabéns, adorei! Sua forma de escrever é magnífica! E alias.. temos o mesmo sobrenome. Um Beijo :*

30 de novembro de 2011 06:29  
Blogger Ana disse...

Vim aqui para lhe agradecer a visita ao meu blog e as lindas palavras que vc deixou e adorei o seu blog! Adoro ler e vc escreve muito bem! Certamente já virei fã e voltarei mais vezes. Um grande abraço e fica com Deus!
www.anacristinablogs.blogspot.com

30 de novembro de 2011 16:18  
Anonymous Anônimo disse...

Interessante como acontecem coisas na vida que nos fazem enxergar o invisível .Sempre existe algo que nos foge ao olhar rápido ,que nos escapa durante tempos e tempos ,até que um dia .....um dia ,algo acontece e você vê
o que precisa. Instinto ou milagre?
Grata pelo seu comentário no meu humilde texto .
ESCORPIANA .

1 de dezembro de 2011 04:16  
Blogger Lucimara disse...

obrigada pela visita em meu blog e pelas palavras de carinho e incetivo.

1 de dezembro de 2011 08:01  
Blogger Ana Carolina disse...

Oiiii... Li alguns de seus textos e gostei bastante! Quero também agradecer pela visita ao meu blog :) Parabéns pelo seu blog! Acredito que vai acabar virando livro! vc já escreveu algum livro? Bom, já deu pra perceber que talento vc tem de sobra! :)

2 de dezembro de 2011 04:34  
Blogger Dâmaris disse...

Gosteii muito!! Obrigada pela recomendação! Vou visitar seu blog sempre, sinta-se a vontade ao visitar o meu. :D

6 de dezembro de 2011 07:13  
Anonymous Anônimo disse...

Olá Jeferson vim agradecê-lo pela visita ao meu humilde blog...Obrigado pelo comentário, fiquei mto feliz..

Ah e quero dizer que adorei seu blog... e este texto é realmente mto boom..me identifiquei bastante com ele... Abraços!

http://coisasdaketlin.blogspot.com/

6 de dezembro de 2011 12:50  
Blogger † Vih ✪ Cabrini † disse...

Obrigada pela visita e comentário. Bem legal o texto. Mas me intrigou a saber o porque me indicou este?

8 de dezembro de 2011 14:30  
Blogger Priscila Canêdo disse...

Pois é, as pessoas vivem a vida de maneira que tudo se torna comum demais, tudo demasiadamente rotineiro e enfadonho... rs Isso acaba acontecendo mais cedo ou mais tarde... Podemos tentar não deixar que isso aconteça assim tão repetidamente... Otimo texto, te visitarei mais vezes, abraços, Pri!

8 de dezembro de 2011 16:44  
Blogger Minhas artes em crochê...."As mãos faz e desfaz" disse...

Olha...mto bom o texto.Acho q a falta de educação está em todos os lugares.E confesso q ñ tem coisa mais feia e desagradável q ser assim.Já vivi algo parecido qdo fui ao banco...fui ignorada pela atendente.Mas mesmo assim eu agradeci e ainda disse pra ela: "TENHA UMA ÓTIMA TARDE!"
Pois a minha EDUCAÇÃO levo ond eu for...pra dar a quem ñ tem!

Éh isso...
Dpois venho ler os outros posters com mais calma.

Bjinhus...

9 de dezembro de 2011 08:31  
Anonymous G@by disse...

Oii é a G@by,como ja deixei comentario no texto O GALO ERA UM BODE,vou dizer o que penso aqui:voce deveria ser escritor,deveria escrever um livro,sei que blog ja é um tipo de livro on line,e gratuito,mas do jeito que escreve,voce tem uma grande carreira pela frente!
ah!e,o começo do texto se encaixa no que meu blog procura,LEITORES!!!eu sigo meu proprio blog,mas ,esmo assim,não desisto,um dia eu consigo ter um seguidor.E,visite meu blog:
http://medo-d-eyes.blogspot.com e divirta-se!

10 de dezembro de 2011 07:43  
Blogger Letícia Myrrha disse...

Olá Jeferson! Bom saber que somos companheiros no TOPBLOG 2011! Você fez uma visita ao meu "caminho de mesa" e vim retribuir, conhecendo um pouco do seu cantinho. Muito bons os textos e nos vemos no dia 17!!

11 de dezembro de 2011 03:05  
Blogger Rávanny L. disse...

Oi ! Parabéns pelos bons textos, vou continuar lendo eles todos os dias . Obrigada pela visita no meu blog .

11 de dezembro de 2011 17:23  
Blogger Drika disse...

Não, eu não tinha lido muito interessante varios aspectos da sua historia :1)olhar melhor ao nosso redor ,as vezes a necessidade faz com que enxerguemos situações e lugares de maneiras diferentes
2)Má vontade e atendimento ruim existe em todo lugar,muito interessante o fato de voce chegar a conclusão que não era pessoal simplesmente o interesse dela estava voltado para o computador e qualquer pessoa que chegasse ali ela trataria do mesmo jeito .Resumindo adorei!!!Vou ler a continuação bjs

12 de dezembro de 2011 16:37  
Blogger jehstem disse...

Obrigada por comentar JefhCardoso :) sem dúvidas, por isto, nunca desista dos teus sonhos. adorei a pequena loja, tu discorre muito bem, parabéns! e é tão gostoso ler algo de qualidade.. rs

''os sonhos de Deus não têm fim. Os sonhos de Deus são pra mim. São eternos, são impossíveis aos olhos mortais. Quando o meu Deus me salvou, do cativeiro me livrou, fiquei como um sonhador, e nada mais..''

13 de dezembro de 2011 11:59  
Blogger Cris Caetano disse...

Menino, gostei muito. Seus contos são descritivos, o que me atrai bastante, a linguagem prende a atenção. Você precisa publicar um livro.

Beijos

14 de dezembro de 2011 14:35  
Blogger Dedo de Moça disse...

Obrigada pela visita e pelos elogios.
Adorei o texto, parabéns pela bela desenvoltura
com as palavras!
Vou passar sempre aqui...
Bjuss

16 de dezembro de 2011 09:28  
Blogger Fabí Assis Barddal disse...

Adorei! Incrível a forma como descreveu o lugar. Uma fantástica viagem durante toda leitura. Bons textos são assim... nos prendem, nos tiram da realidade, nos levam pra cena dos fatos sem sequer noz mover de nossas poltronas. Parabéns!

19 de dezembro de 2011 08:24  
Blogger Maria disse...

Oi Jeferson, obrigada pela visita ao meu blog! Vim conhecer o seu... Parabéns,pelos detalhes que prendem a leitura até o final!abs

16 de julho de 2012 16:34  
Blogger Veronica disse...

Só posso lhe dizer, Parabéns e Brilhante! Abraços! Visite-me!

30 de julho de 2012 07:29  

Postar um comentário

Comente. É isso que o autor espera de você, leitor.

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial