domingo, junho 02, 2013

GENYSIS – O PAI DO CHICO

“Ela disse que é pro senhor entrar” indo à frente, adentrando e seguindo pela casa, falou a cuidadora ao visitante, que respondeu com um gesto positivo de cabeça e seguindo após a mulher.

Havia no corredor, inundado por uma fina nevoa de luz solar salpicada de filamentos de poeira, um grande retrato em preto e branco de uma moça em traje de festa e com um largo sorriso de graúdos dentes de perolas. Ainda no corredor, seguindo à direita do visitante, à porta de entrada do vestíbulo onde a anciã o aguardava, havia uma cômoda repleta de relíquias, imagens de santos, bibelôs e porta retratos.

“Parece que ela está dormindo. Mas o senhor pode falar com ela. Se ela não acordar, o senhor terá que voltar outra hora” explicou a mulher.

“Dona Eulália, bom dia! A senhora está me ouvindo?” “Perfeitamente, meu caro. Mas quem é senhor?” “Sou o escrevente que a senhora pediu para que chamassem.” “Sim. Claro! Seja bem vindo! Qual o seu nome, meu filho?” “José.” “José?” “José.” “Ah, José!..., o senhor não sabe o quanto minha vida tem sido difícil...; mas isso não vem ao caso. O senhor trouxe papel e caneta para anotar o que vou lhe ditar? Ah, o senhor tem um desses aparelhinhos modernos de escrever!, hein, um computador! Tem certeza de que não perderá aí o que vou lhe contar?” “Fique tranqüila. Saindo daqui imprimirei tudo em bom papel. É que neste aparelho eu escrevo mais rápido. Estou muito acostumado e ele oferece algumas facilidades.”

 “O senhor viu aquela moça do retrato no corredor? É minha filha... Bonita, não? E é muito erudita, formou-se em História; é doutora em História! Saiu de casa muito cedo, pra ir à universidade. O pai não queria que ela fosse embora pra estudar não. Dizia que ela tinha tudo aqui e poderia ser professora como eu, dar aula nos mesmos colégios. Mas ela não quis saber. Precisou que ele assinasse uns papeis pra ela ir morar fora, quando ainda era menor de idade; o pai foi obrigado a assinar, muito contragosto. Não queria contrariá-la. Quando ela encasquetava com alguma coisa, o senhor precisava ver!, ninguém a demovia da intenção... Foi estudar na universidade onde o pai do Chico Buarque era o reitor. Ele a adorava!”

A cuidadora, que o tempo inteiro permanecia ao lado de ambos, disse em voz baixa ao visitante, para que a patroa não ouvisse: “Nem tudo que ela fala é lá muito confiável; dá umas variadas, coitada! Muita coisa é fantasia da cabecinha dela, mas outras não; isso é o Alzheimer, doença mais triste!”

22 Comentários:

Blogger Rosiane Braga disse...

Me envolveu pela narrativa e surpreendeu pela precisão do problema. Uma doença que só quem convive com as vítimas da mesma pode descrever. Afasta o sujeito da consciência de si e do outro. Lamentável.

5 de junho de 2013 18:07  
Blogger Arlete Piedade disse...

Também sou cuidadora de um doente de Alzheimer, sei como é triste. Gostei de ler. Grata pela partilha.

8 de junho de 2013 16:00  
Blogger Sandy Ferrari disse...

Realmente você tem muito talento!

11 de junho de 2013 16:02  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Ótimo! Obrigado, Rosiane!

11 de junho de 2013 18:35  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Muito bom! Obrigado por compartilhar aqui, Arlete! Tudo de bom! Beijo!

11 de junho de 2013 18:35  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Pura bondade sua, Sandy. Um beijo!

11 de junho de 2013 18:36  
Blogger Bruna Telles disse...

Oiiii retribuindo a visita rsrsrs
Gostei muito do texto, esperando os próximos capítulos.
Beijoooos ate a próxima.

11 de junho de 2013 20:17  
Blogger *Maíra* disse...

Jeferson,

Excelente texto, material, narrativa perfeita!

Ganhou uma fã!!!

Grande abraço!
Maíra

12 de junho de 2013 04:26  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Que bom! Em breve trarei novidades [sorrio] Um abraço!

12 de junho de 2013 14:44  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Você é muito gentil. Obrigado, Maíra! Beijo!

12 de junho de 2013 14:45  
Blogger deladeia disse...

Muito bom o seu blog Jefferson. Bons textos. Parabéns.

13 de junho de 2013 07:30  
Blogger Ana Laura disse...

Gostei muito do seu texto! Vou ler os outros.. Grande abraço e parabéns!

13 de junho de 2013 13:55  
Blogger Luana Sousa disse...

Adorei, ganhou uma nova leitora!

Abraços, sucesso!

14 de junho de 2013 16:57  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Obrigado! Beijo, deladeia!

15 de junho de 2013 04:06  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Leia tudo, tudo, tudo [sorrio] São mais de 300 º~º Beijo, Ana Laura!

15 de junho de 2013 04:07  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Uau! Seja bem vinda! Beijo, Luana!

15 de junho de 2013 04:07  
Blogger Raffa Marques disse...

Gostei do seu blog, virei leitora, beijos !

17 de junho de 2013 17:58  
Blogger * Carla Fabieene * disse...

Vim retribuir a visitinha e me deparo com essa história fantástica, já estou seguindo, um super abraço.
Carla Fabieene "Minhas Paixões Futilidades"

19 de junho de 2013 12:19  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Que bom que gostou! Bem vinda! Beijos!

19 de junho de 2013 17:38  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Obrigado! Seja bem vinda! Outro super abraço, Carla.

19 de junho de 2013 17:39  
Blogger Lany disse...

Olá,

Impresionante entrada....gostei....

Beijos,
Lany

23 de junho de 2013 04:22  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Que bom! Bem vinda! Beijos!

23 de junho de 2013 12:26  

Postar um comentário

Comente. É isso que o autor espera de você, leitor.

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial