domingo, janeiro 13, 2013

TEMPO DE PENSAR E NÃO DIZER

Não sei se querem realmente saber o que meus olhos andam vendo ultimamente. Olho e fico com o que vi em meu pensamento, guardado em mim mesmo. Penso e logo coloco a chave no buraco da fechadura da porta da mente. E se um pensamento de abrir a porta, por ventura, me acedia com a intenção de sugerir a exibição do guardado, volvo a chave e a jogo no bolso da camisa azul clara de corte social e botões que ainda não comprei.

Compartilhar o que penso? Não tenho tido vontade. Nem sou obrigado. Acho que tudo que havia para eu pensar em segurança já foi pensado e apenas as idéias um tanto quanto originais possuem o apelo do qual necessito para imprimir minhas poupas digitais contra as cretinas teclas enfileiradas no teclado. Não escrevo mais.

E acho até mesmo que nunca mais escrever será como já foi em minha vida. O tempo da empolgação agora conhece suas cinzas. Cerquei-me de blocos de notas, pequenas cadernetas, diversas canetas esferográficas pretas, única cor que gosto de usar no papel branco virgem, andei com esse aparato de coisas no bolso ou em pequenas bolsas por todos os lugares onde estive durante cerca de doze dias. E o máximo que consegui produzir foi um pensamento nada original que acabou por abalar ainda mais o meu ânimo para com a escrita. Ocorreu que, diante o mar, numa tarde ordinária de pouco sol ou sol nenhum, no final daquela mesma tarde, pus-me a contemplar e ouvir o marulho das ondas que lavavam a areia da praia. Então pensei já com a chave da porta do pensamento empunhada:

“O mar, com sua marulhada, diz algo que jamais saberei exprimir em forma de palavras. E já dizia muito antes de eu estar aqui. E continuará dizendo muito depois de eu partir.”

Hoje, sozinho em casa, de modo contraditório, achei de compartilhar isso. Quis dividir minha chateação para com minha condição de reles ser humano finito e insignificante diante da eternidade da criação exuberante e eterna do Pai. Tomei a chave em minha mão, coloquei-a no buraco da fechadura da mente e, após abrir um pouco a porta, apenas o suficiente para alcançar este pensamento supracitado entre aspas, tirei-o de dentro da pequena caixa mais próxima e vim colocá-lo aqui onde coloco tudo que quero mostrar.

Duzentas e noventa e três vezes eu postei algum texto aqui em meu blog. São quatro anos de atividade ininterrupta. Porém vivo um momento em que não sinto vontade de escrever e nem de postar. É como se eu tivesse durante este período inteiro de trabalho apenas plantando empilhado algo. Penso que seja tempo de olhar para dentro do cômodo da mente, adentrá-lo, organizar as caixas, ver o que pode ser aproveitado e jogar o que não terá utilidade fora.

31 Comentários:

Blogger JAN disse...

Olá Jefh!
Vejo um toque de surrealismo nos botões que você ainda não comprou; na "chave" que abre a porta do pensamento; e, em otras cositas mais ;-)
Eu nunca tinha visto surrealismo em um texto literário... ou este seria um 'não texto'? ;-)

Abração
Jan

13 de janeiro de 2013 11:57  
Blogger Célia Rangel disse...

Jeferson,
Li e meditei sua linha de pensamento. Normal sentirmo-nos assim, meio desmotivados no exercício da escrita. Um tempo é o melhor hiato para..." Tomei a chave em minha mão, coloquei-a no buraco da fechadura da mente"... e só então analisar o que é bom para nós, o que realmente queremos e podemos executar. Estando bem em nosso interior, basta-nos! Ocupemos o espaço do nosso vazio-fértil!!
Abraço, Célia.

13 de janeiro de 2013 14:35  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Sim. Eu acho que a expressão 'não texto' define bem a liberdade que tomei. Beijo, JAN! E obrigado!

13 de janeiro de 2013 15:08  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Estou traquilo. Talvez o hiato seja o tempo da colheita. Tentarei sim aproveitar da melhor forma possível. Sem aflição. Obrigado, Célia! Beijo!

13 de janeiro de 2013 15:11  
Blogger Sonia disse...

Muitas vezes nosso íntimo necessita de uma pausa para descartar ou reorganizar pensamentos.Fazemos isso, uma pausa, com nossas coisas a cada final de ano - descartamos, organizamos, reorganizamos para que se abram novos espaços para novas coisas ou novos pensamentos. Não seria este o seu momento?
Grande abraço!
Sonia

14 de janeiro de 2013 05:30  
Blogger Rafael Castellar das Neves disse...

Grande Jefão!

Fortes as suas palavras e difícil o seu momento, mas acho que isso faz parte. A parte principal de escrever, bem como você sabe, não está na transferência de uma ideia para o papel, mas a abertura para formação desta ideia. Pelo que vejo e pelo que penso, você ainda continua com esta abertura, talvez um pouco atrofiada neste momento, mas o próprio fato de notá-la já lhe garante a continuidade. Não me lembro qual escritor famoso falou muito sobre os "bloqueios do escritor" e acredito ser isso pelo que esteja passando. Este mesmo escritor diz que quem é verdadeiramente um escritor, e não um produtor de textos em linha, tem estes bloqueios.

Não deve haver relutância agora, apenas uma espera impaciente... Seu talento é mais que notório e sua sede por escrever evidente... Então meu caro, se prepara que logo vem uma avalanche de ideias...esteja a postos...rsrs...

Não desanima não, continue usando isso para suas escritas!

Enquanto isso, estaremos por aqui...

Abraço forte...

14 de janeiro de 2013 05:43  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Sonia, é o tal "tempo ao tempo", eu sei. Estou tranquilo. Obrigado! Beijo!

14 de janeiro de 2013 14:45  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Castellar, é sempre bom saber que com meus amigos posso contar. Obrigado e um grande abraço!

14 de janeiro de 2013 14:46  
Blogger Adriana Dezerto disse...

“Mesmo que a felicidade lhe caia do céu, é preciso estar na hora e no lugar certo. Mova-se!”(Jefhcardoso).
Força!Beijo no coração.Um prazer enorme conhecer este cantinho!Adriana.

14 de janeiro de 2013 15:17  
Blogger Janice Adja disse...

Passo por este pensamento e não quero deixar de escrever.
Adotei o blogger como um arquivo pessoal aberto ao público.
Beijos!!

14 de janeiro de 2013 17:21  
Blogger Tallita Monteiro disse...

Acho que todo escritor ja passou por isso, enfim o importante é nunca parar de escrever. Força!!!

Seus leitores sempre estarão lhe apoiando!
bjss

15 de janeiro de 2013 14:32  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Tallita, obrigado pela força. Estou tranquilo. Beijo!

15 de janeiro de 2013 16:10  
Anonymous Lucimara Souza disse...

Muito bom o seu blog! E esse texto…
Esse texto reflete tudo aquilo que venho vivendo. Sem tirar, nem pôr.
Grande abraço! Obrigada por compartilhá-lo conosco. Agradeço também a oportunidade de conhecer seu espaço. Volte mais vezes ao meu também. Os dias dirão se ele continuará vivo.

Ah, você gostou da última postagem?
É bem daquele jeito que temos que nos livrar das tais centrais de banco que tentam nos “dar” cartões de crédito.
www.textos-e-reflexoes.blogspot.com

17 de janeiro de 2013 12:31  
Blogger Luzia Trindade disse...

Compreendo seu pensamento. Todos nós temos fases na vida, momentos de instropecção, de interação, momento em que queremos compartilhar nossas alegrias, enfim, são fases... fases estas que passam. Espero que esta passe logo e volte a escrever em breve. Abraços.

17 de janeiro de 2013 12:56  
Blogger Lari Moreira disse...

Bom dia bom dia! vim avisar que te indiquei um um desafio da leitura em meu blog, gostaria muuuito muito que participasse!
http://dicionario-feminino.blogspot.com.br/

17 de janeiro de 2013 13:07  
Blogger Dayane Pereira disse...

Acho mto válido um momento de retiro. Ter um blog não é uma obrigação, e sim algo que te faz bem, nas horas vagas, um espaço para desabafo, é assim que eu penso. Se virar uma obrigação se torna chato. É normal termos essas baixas de criatividade ou vontade de escrever..

17 de janeiro de 2013 14:42  
Blogger Helena Vicente disse...

Realmente um bom texto cheio de essência. Parabéns Jefh, você escreve muito bem e consegue transpassar o que sente sem muito esforço.

17 de janeiro de 2013 17:58  
Blogger LLaranjaS disse...

Excelente texto. Parabéns pela maneira que você se expressa.
Realmente as vezes é necessário um "ócio criativo", dizem que todo escritor passa pela fase de se ausentar um pouco da escrita. Talvez seja os pensamentos passando por uma reciclagem.
Abraço.

18 de janeiro de 2013 03:09  
Blogger nisia disse...

A graça da vida é que tudo e todos nós mudamos a cada dia...
Abraços e ...obriga por me visitar!

18 de janeiro de 2013 03:58  
Blogger Aline Teles disse...

Magnífico o seu texto. Eu gosto quando o escritor pensa sobre o que escreve e deseja descobrir o que ainda pode ser dito. Algumas vezes, o poeta acredita que as palavras se esgotaram. Porém, é só uma fase. Um ciclo. Para um novo começo. Pois, sempre há algo a ser dito. Beijos.

18 de janeiro de 2013 08:27  
Blogger Ana Carolina disse...

É assim mesmo... com meu blog também passei um tempo bem parada... No meu caso, fui me deixando levar pela correria do dia a dia e parece que não me sobrava ânimo pra mais nada, não me vinha nenhuma ideia e, afinal, são tantos blogs de moda por aí que fazer mais um não fazia sentido. Mas de repente resolvi voltar a escrever e a postar. Sabe, podem ter vários mas só tem um que é meu. E ninguém é igual a ninguém... Sei que você tá tranquilo com sua decisão de dar um tempo. E dar um tempo é realmente saudável às vezes... Mas sem dúvida você tem um talento aí. Comigo acontece muito isso que você descreveu... Eu costumava escrever muitas canções. Compunha letras e melodias enquanto andava de ônibus, ou no meio da noite, tomando banho... enfim. Não que fossem grandes canções. Mas parei de repente... e faz muito tempo que não escrevo nenhuma. Parece que é um dom adormecido. Mas quem sabe um dia... :)

18 de janeiro de 2013 19:12  
Blogger Camila Qub disse...

Oi,Jeferson! Obrigada pela visita e comment lá no blog das camaleônicas,hehe. Passando para conhecer o seu.

18 de janeiro de 2013 19:36  
Blogger Amanda Inácio disse...

Ótimo texto!!
Beijos

Am
http://www.vinteepoucos.com.br/

19 de janeiro de 2013 10:53  
Blogger Ana Liliam disse...

Também acho muito bom não ter nada em mente para dizer... e encontrar o vazio, ou o quase vazio, por que alguma coisa tem que esvaziar para poder entrar algo novo e produzir.
às vezes não tenho vontade de escrever nada nos muitos blogs, as receitinhas andam até esquecidas, que bom que você me lembrou com doces palavras!
Mas por enquanto vou ficando no marasmo, no final algo novo pode chegar!
Abraços!

19 de janeiro de 2013 12:55  
Blogger Erica Santos disse...

Oi amore, sigo seu blog há um tempinho já e adoro seus posts!

Meu blog, está concorrendo uma enquete de parceria nestes Blogs ->
http://www.foconamoda.com.br/ e http://pequenomuffin.blogspot.com.br/
Dá uma forcinha lá.. qdo votar me avisa tá!

Meu blog - Docii Encanto (http://dociiencanto.blogspot.com.br)

Super beijo! Valeu..

19 de janeiro de 2013 13:40  
Blogger Bruna Lago disse...

bem, eu adoro textos que outros blogueiros escrevem. Me sinto mais forte para escrever os meus também ;
Bjs, http://bhulago.blogspot.com.br/

19 de janeiro de 2013 20:13  
Blogger Cadica disse...

Jefh,

A dificuldade, muitas vezes está apenas na nossa mente. Muito do que vemos como difícil é apenas o nosso psicologico nos fazendo sentir medo ou dúvidas... Acredite em você, tudo vai dar certo, você vai voltar a escrever (na verdade voltou) e será de acordo com a vontade de Deus. Sucesso!!! Sou sua fã. Abraços

Cláudia Couto(CADICA)

20 de janeiro de 2013 07:41  
Blogger Nyce Pinto. disse...

Jefh, passo tanto tempo sem conseguir ler e comentar teus textos e quando chego aqui é um momento de grandes reflexões... Texto lindo, verdadeiro, sentido! Não pare...não... Vamos lá...assim como o mágico você tem sempre um "texto na cartola"... Um grande abraço amiga Jefh e sempre muita luz na tua vida!

4 de fevereiro de 2013 14:23  
Blogger Magda Elizabeth disse...

Adorei saber que não estou só nessas fases de indecisões... fases de falta de inspiração!!!
O melhor é saber que isso passa... e tudo volta ao seu lugar de ordem!
Parabéns pelo blog!
Abs...

6 de fevereiro de 2013 03:38  
Blogger Mess Meister disse...

Olá,
Me identifiquei muito com o seu texto,muitas vezes eu penso em parar,mais sempre
percebo que a vida fica mais sem graça quando não escrevo,e se você mesmo nessa fase consegue escrever um texto tão reflexivo e inspirador,é sinal que seu caminho é esse mesmo,então continue firme.
bjs!

19 de fevereiro de 2013 07:24  
Anonymous Paula disse...

Olá,

Me encontro assim ultimamente, não tenho conseguido escrever nada. Tentei rascunhar alguns pensamentos mas não consegui grande coisa..rs... Espero que assim como você(que já conseguiu voltar a escrever) eu também consiga logo voltar a escrita.

Obriga pela visita e comentário!
Gostei do seu blog e textos!

20 de fevereiro de 2013 18:19  

Postar um comentário

Comente. É isso que o autor espera de você, leitor.

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial