domingo, março 18, 2012

O LEILÃO

Passava do meio dia e incidia um resplandecente sol de domingo quando ela foi despertada por um homem magro, de estatura média, cabelos castanhos escuros e bem cortados que puxou lentamente o lençol que lhe servira por cobertura durante a madrugada fresca e chuvosa. E ao recolher o tecido, era possível inalar o forte ar de fera amanhecida. A moça que dormia até após o meio dia exalava aromas adocicados, salgados, ácidos. Tudo misturado ao cansaço do corpo e da pequena roupa íntima que trajava. Não era fácil precisar naquela hora e circunstância quantos anos ela teria. Com o rosto ainda maquiado e de ressaca, aparentava cerca de vinte e dois ou vinte e três anos. Mas ao imaginá-la sem a maquiagem, ‘de cara lavada’, como dizia Tartá, um dos sócios da Chácara da Fantasia (nome informal do estabelecimento), não seria uma surpresa se ela ainda não tivesse alcançado a maioridade.

‘Bom dia!’, disse o homem. Repetiu a saudação outras duas vezes antes de caminhar até a janela e abrir uma das partes. A moça ergueu a mão a fim de proteger os olhos dos raios fúlgidos que inundaram o pequeno e abafado vestíbulo e, ao mesmo tempo, por entre os dedos anular e médio da mão esquerda, tentava identificar quem lhe castigava com toda aquela luz. ‘Vamos embora, prenda minha. Tenho negócios a tratar e já é tarde. Venha que agora eu quero levar o meu prêmio, minha sorte grande!’

Certamente aquele seria um dos homens que na noite anterior ocupavam as cadeiras em redor da mesa de carteado. Certo que fosse. E no mais, jamais ela identificaria a face de qualquer um deles. Nem mesmo saberia dizer qual era o número de jogadores que habitava a brumosa mesa situada dentro do camarote suspenso ao pé da pista de dança, no lado oposto ao do palco onde ela e colegas de ofício rebolavam para divertir os freqüentadores da casa.

‘Quem é você?’ Ela quis saber. ‘Sou o cara que te ganhou no jogo. Ganhei do figurão que te arrematou no leilão. Agora sou seu dono’ Disse ele. E ela recebeu a informação esfregando o rosto e bocejando ao mesmo tempo. ‘Vamos, não posso me atrasar. Vista uma roupa e vamos embora que a viagem é longa’ ‘Mas pra onde vamos e quem é você?’ Ela insistiu. Ele fechou o cenho, atirou pra ela uma blusa que encontrou ali no chão e fez um gesto que apontava para a estreita porta do acanhado banheiro. ‘Não importa quem eu seja. Importa que você agora é minha. Ganhei e sou seu dono, Gypsi. Seu nome é a Gypsi, não é?’ Ela concordou de modo derrotado, quase inaudível. Tomou na mão a camiseta e enrolou-se no lençol que ficara embolado aos seus pés. Cambaleante, caminhou até o banheiro. Com dificuldade, fechou a porta atrás de si. Sentada no vaso, com o lençol ainda sobre o dorso, começou a recordar-se da noite anterior.

Lembrou da figura tresloucada de Tartá subindo ao palco com o microfone, girando e anunciando uma coreografia. Gypsi e outras duas garotas dançariam em disputa para definir quem era a melhor dançarina, explicou o desvairado apresentador. Tartá era um sujeito gordo, dono de uma imensa papada sob o suposto queixo, tinha os cabelos crespos, compridos e falava com a língua solta; esta língua sanduíche que todos insistem em dizer tratar-se de língua presa. Usava roupas coloridas, largas e extravagantes.

Os votos para as dançarinas seriam computados na forma de bebidas deixadas pagas para elas no bar do estabelecimento. Tartá fazia questão de dizer que elas consumiriam sim todos os votos e para que os freqüentadores não tivessem preguiça para votar em sua preferida. Alguns votos eram servidos às garotas ainda sobre o palco. De tempo em tempo, Tartá subia com as parciais. Naquela noite Gypsi seria a vencedora. Como vencedora, além de embebedar-se, deveria permanecer firme para a dança final. E foi em meio à confusão do momento e o tropel das intenções ali expostas que Gypsi fora anunciada por Tartá como ‘A vencedora e prenda na Dança do Leilão!’

E só agora tudo fazia sentido. O vencedor estava de pé ali fora aguardando para levar a mercadoria para desfrutar em algum lugar distante. Ela se lembrou de sua família em Cuiabá, de sua vida de estudante, de sua casa, cachorros. Deixou o lençol sobre o boxe. Chorou um pouco diante do espelho. Lavou o rosto na pequena pia branca. Escovou os dentes com o dedo indicador. Vestiu a camiseta e saiu para encontrar mais um pouco de seu destino, sua realidade.

Lá fora o homem permanecia de pé aguardando sem indícios de impaciência. Parecia até mesmo que esperaria por mais tempo sem queixar-se. Dava essa impressão. ‘Prenda minha, pegue suas coisas e vamos’. Ela juntou todos os seus pertences em uma pequena mochila escolar. Vestiu uma calça jeans desbotada e calçou um par de tênis branco. E era tudo que ela possuía ali na Chácara da Fantasia. Ao deixar o quarto, acompanhada de seu ganhador, fora surpreendida pela grande quantidade de homens vestidos de preto e coletes que faziam companhia a Tartá e Mendonça, seu sócio. Fora da casa ainda encontraria algumas meninas e dois ou três clientes em posse dos policiais. Os proprietários da casa estavam com caras chorosas e mãos para trás, algemados. E foi só então que o homem que lhe acordara revelou sua verdade: ‘A casa caiu! Bora pra delegacia que temos muita coisa pra esclarecer por lá pro delegado. Bora!’

64 Comentários:

Anonymous Tânia disse...

Nossa, não imaginava este final, rs
Perfeito, atraente e empolgante, como todos os seus textos.
Abraços

18 de março de 2012 11:27  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Que legal! Fico muito feliz. E especialmente por vir de você, colega que tanto gosto, respeito e admiro. Obrigado! Abraço, Tânia!

18 de março de 2012 13:36  
Blogger JAN disse...

É... a casa caiu.
Aliás, acho que a Gypsi nem tem casa;-)

O conto foi bem elaborado e é bem intrigante, como de costume.

Beijo
Jan

18 de março de 2012 15:58  
Blogger Rosangela Sampaio disse...

Senti uma certa inspiração divina... Você tem muito talento, falta só expandir para livros. Parabéns!

18 de março de 2012 16:31  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Obrigado, JAN! Fico feliz que tenha vindo e gostado do conto. Um beijo, linda!

18 de março de 2012 20:22  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Obrigado! Bem que eu gostaria... 'º~º' Beijo!

18 de março de 2012 20:22  
Blogger SILVIA MENDONÇA disse...

Jefferson querido, seu conto é instigante, intrigante... impossível tirar os olhos da leitura por um momento sequer... muito bom... final surpreendente... adorei... beijos de VC

19 de março de 2012 01:36  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Uau! Que maravilha, Silvia. Muito obrigado, linda! Beijo!

19 de março de 2012 03:01  
Blogger Andréia Sales disse...

Ai que surpresa o final.
Adorei isso.
Prende a nossa atenção do início ao fim.
Parabéns pelo seu talento.
Andréia
www.cantinhodosam.com

19 de março de 2012 04:27  
Blogger Débora Tfardoski disse...

Obrigado Jeferson pela visita ao meu blog. Gostei d seu blog, muito interessante, vou visitar frequentemente com certeza.
ótima semana
Abraços
Débora

19 de março de 2012 05:03  
Blogger Casa Très Chic disse...

Concordo com Rosangela, seus livros venderiam muito.
Parabéns, seus textos são fantásticos.
Tenha uma ótima semana.
Tereza

19 de março de 2012 05:18  
Blogger Walnizia disse...

Oi, Jeferson, bom dia!
Parabéns pelo excelente trabalho!
Gostei muitíssimo desse texto, tão criativo e bem escrito.
Vou ler os outros.
Um abraço

19 de março de 2012 05:33  
Blogger Eterno Amor disse...

Linda mensagem Jeferson adorei continue assim...

19 de março de 2012 06:09  
Anonymous Giovanna disse...

Amei..
fiquei contagiada em ler até o fim...

Abraços
Giovanna

19 de março de 2012 06:20  
Blogger Eliany Trassi disse...

Vim retribuir sua visita e comentario em uma postagem no meu blog.
É seu texto/conto é mesmo intrigante e ao mesmo tempo surpreendente!gostei!
volto ,para ler mais.

19 de março de 2012 12:01  
Blogger NOSSATURMA disse...

Retribuindo sua visita e comentário em meu blog!!

A -D -O - R - E- I seu texto!! Parabéns!!
E parabéns pelo cantinho da leitura em casa, rss!!
bjs, Indi
:)

20 de março de 2012 04:49  
Blogger Érika Dêgelo disse...

Excelente, parabens! divulguei no meu face e blog.

20 de março de 2012 09:54  
Blogger Taise disse...

Nossa que final surpreendente! Quando terminou ficou aquele gostinho de "ué já acabou?"! Aquela vontade de ler mais... Muito bom a maneira que você escreve, consegue prender a atenção da gente desde o início.

Parabens!
http://territoriorosa.blogspot.com.br/

20 de março de 2012 11:11  
Blogger Thaís Livramento disse...

Bacana seu cantinho, hein?
Gostei tanto, que tô seguindo o blog!
Aproveito para te convidar a conhecer "Sinais de Mim". Na Área Vim tem um espaço reservado para você, basta clicar em 'seguir'... rsrsrs
Beijocas! ^^

http://www.sinaisdemimtl.blogspot.com.br/

20 de março de 2012 16:39  
Blogger Luciana disse...

Antes de mais nada quero dizer que adorei não só esse texto,mas alguns outros que tive a oportunidade de ler nessa passadinha rápida para conhecer o seu cantinho e agradecer a sua visita ao meu blog,com certeza essa será a primeira de muitas outras visitas que farei.É incrível o poder que as palavras têem de nos transportar para aquele momento da história,a gente se sente como uma mosquinha observando os acontecimentos é uma delícia,foi um prazer conhecer o seu espaço.
Beijos

20 de março de 2012 17:50  
Blogger Maria Teresa Fheliz Benedito disse...

Olá!
Qualquer dia tiro uma foto da tal florzinha e posto no blog.
Belo texto e surpreendente final.
O que deixa triste a mim e meu marido é o que vemos pelas ruas, garotos e garotas se deixando leiloarem...grande dor...
Obrigada pela visita

21 de março de 2012 05:18  
Blogger Andrezza Cavalcanti disse...

Minha nossa! O final é relamente impressionante...
Estarei aqui sempre, e divulgarei também.
Obrigada pela visita.
Simplesmente A-DO-REI.
Beijos
Dezza

21 de março de 2012 05:51  
Blogger Marília disse...

oI jEFF! aMEI o lEILÃO!!! vC ESCREVE MUITO BEM! vISITE TB O BLOG http://cardealescritor.blogspot.com.br/

21 de março de 2012 06:09  
Anonymous Anônimo disse...

espetacular!

21 de março de 2012 10:35  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Obrigado! Beijo!

21 de março de 2012 16:39  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Débora, contarei com sua presença. Beijo!

21 de março de 2012 16:40  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Uau! Caso eu publique, quero lhe vender um "º~º" [sorrio]. Beijo! Obrigado!

21 de março de 2012 16:41  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Gostou? Então chame seus amigos. Eu estou precisando de muitos amigos, milhares. Beijo!

21 de março de 2012 16:42  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Obrigado, linda! Um beijo!

21 de março de 2012 16:42  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Legal! Pois leia, lei tudo! Beijo!

21 de março de 2012 16:43  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Que bom que gostou! Beijo, Eliany!

21 de março de 2012 16:43  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Legal! Muito obrigado! Abraço!

21 de março de 2012 16:44  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Érika, muito obrigado! É disso que preciso, bastante divulgação pra ver se vira livro 'º~º'...
Beijo, linda!

21 de março de 2012 16:45  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Legal! Tem bem mais de onde veio este. Tem mais 259 textos. Pode ler todos [sorrio] Beijo!

21 de março de 2012 16:46  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Thaís, muito obrigado e seja muito bem vinda, linda! Forte abraço!

21 de março de 2012 16:49  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Obrigado! Ficarei lhe esperando para outras leituras e comentários. Beijo!

21 de março de 2012 16:50  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

É mesmo uma realidade triste e dura... Obrigado pelo carinho da atenção. Abraço ao lindo casal! Beijo!

21 de março de 2012 16:54  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Oi! Obrigado! Contarei com sua divulgação. Só assim este blog virará um livro... Beijo e obrigado!

21 de março de 2012 16:55  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Visito sim. Obrigado! Beijo!

21 de março de 2012 17:06  
Blogger Jeferson Cardoso disse...

Bondade. Obrigado, velho! Forte abraço!

21 de março de 2012 17:06  
Blogger ANDREIA disse...

Surpreendente, adorei. Obrigada pela visita.
Tenha um ótimo dia.
Abração Mineiro

Andreia Fargnoli

22 de março de 2012 03:59  
Blogger Cláudia disse...

Jeferson,

Minha visita ao seu blog, depois de sua visita ao meu blog. Comecei a ler, se o tempo não fosse tão indiferente à alegria dos meus olhos, eu continuaria aqui, lendo e lendo, viajando no pensamento. Tem aqui mais uma leitora, que voltará muitas vezes para esquecer um pouco a vida ao redor e encontrar-se nas suas histórias. Estórias?
Cláudia

22 de março de 2012 04:00  
Blogger Lúcia Helena disse...

Escritura muito boa. Seja um colaborador da Casa Agostinho da Silva enviando seus escritos. Nosso email
alethoar@gmail.com
www.casagostinhodasilva.blogspot.com
conheça a revista IDENTIDADES de iniciativa da Casa Agostinho da Silva (CAS)

22 de março de 2012 04:08  
Blogger BLOODY CINE disse...

Conto interessante, envolvente e com um final inesperado que não deixa espaço para especulações da mente. Os personagens lembrando do passado e com um sentimento que mescla saudade, medo do incerto e melancolia, assim como em bons enredos de livros e filmes de suspense. É a primeira vez que leio um conto seu, mas está muito bem escrito. Parabéns pela criatividade.

22 de março de 2012 04:41  
Blogger Simplesmente Sônia Maria disse...

Execelente , a historia,a cronica, seja lá o que for, retrata vida das mulheres-meninas, que se envolvem na ilha da fantasia, no caminho da marginalidade e prostituição.Algo que contém o que acontece na realidade da vida mitas mulheres. Trabalhei com mulheres durante anos na Saúde Pública como Enfermeira vistava espaços para falar sobre a aids, consegui me conetar com aquela visão e o que você escreve nesta cronica...A Prostituição de suas almas, mais do que do corpo.. Você consegue retratar a vida em todas suas dimensões.-a gente entra na cena... O sub mundo revelado, o leilão das mulheres, como no passado nos mercados, hoje o leilão acontece em cassinos, na tráfego de mulheres para Europa, nas áreas pobres e TURÍSTICAS do Nordeste e da AMAZÔNIA. PARABÉNS PARA VOCÊ QUE NASCEU COM O DOM DA EXPRESSÃO, IMAGINAÇÃO, E DEVE CONTINUAR EXPLORANDO ESTA POTENCIALIDADE DADA POR DEUS..TENHO UMA CRONICA , NA REALIDADE UMA HISTORIA VERDADEIRA DE UMA MENINA-ADOLESCENTE GRÁVIDA QUE EU ATENDIA NO PRÉ-NATAL DE ADOLESCENTES EM CURITIBA...VOU PUBLICAR NO BLOG QUALQUER HORA. SOMENTE TEMOS UM REMÉDIO PARA QUE ESTAS HISTORIAS, SEJAM MUDADAS, QUE AS MULHERES EM TODAS AS IDADES ,ACREDITEM QUE SÃO ALGO MUITO ESPECIAL E NOBRES ,PRECISAM RESGATAR E ALIMENTAR SEU EU INTERIOR. OU CONTINUAREMOS VENDENDO NOSSAS ALMAS AO DIABO? NÃO O DIABO FIGURINHAS ASSUSTADORA, FICÇÃO RELIGIOSA MAS A SUA CONDIÇÃO ANIMAL PERMITINDO SER EXPLORADA, MANIPULADA, EXALTADA. UM ABRAÇO, VOU ME INSCREVER NO SEU BLOG. SÕNIA

22 de março de 2012 04:55  
Blogger Yasmine Lemos disse...

A fantasia borrada do inferninho foi para delegacia tirar a máscara.Muito bom Jeferson.O cenário fica na nossa mente.
obrigada pela visita
bjs

22 de março de 2012 05:44  
Anonymous Roberta Bröer disse...

Vc sempre me surpreende com suas histórias. rsrsr eu tomo o maior susto. rsrsr
A realidade é bem dura, como a Gypsi,uma garota sem perspectivas existem várias por aí...
Gostei muito do que li. bj

22 de março de 2012 07:22  
Blogger Fernanda Gomes disse...

Parabéns, Jefferson pelo blog e pela postagem?
Só por curiosidade como descobriu meu blog?
Abraços,

Fernanda Gomes

22 de março de 2012 07:55  
Blogger Marizinha disse...

Olá Jeferson...adorei seu blog. Aproveito para dizer que o colocarei na lista de "meus blogs favoritos".

Grande abraço

22 de março de 2012 18:38  
Blogger Canal Educar disse...

Olá Jeferson, gostei muito de seu blog e já estou na sua lista de seguidores!!!
Quando puder faça uma visitinha no meu cantinho canaleducar.com e seja mais um de meus seguidores também...
um abraço

23 de março de 2012 04:32  
Blogger Si Arian disse...

Bom dia Jeferson! Parabéns pelo seu cantinho, gostei muito do que li.Identifiquei-me muito com sua forma de escrever... É rico em detalhes, consigo visualizar o cenário. Também gosto de escrever meus textos desta forma. Acredito que a poesia é o retrato da alma do poeta... Beijos na alma!

23 de março de 2012 04:42  
Blogger Blog da Profª Fátima disse...

Olá Jeferson, obrigada pela visita e o comentário que vc deixou em meu blog.
Gostei muito do seu blog e com certeza vou segui-lo e gostaria de te-lo como seguidor também.
Um grande abraço!!!!!!!!!!!!

23 de março de 2012 09:43  
Blogger Simara Pink disse...

Que texto perfeito nossa vc leva o maior jeito ja estou curiosa para conferir a proxima postagem.
Vou aguardar sua visitinha
http://www.plantaodabeleza.com.br/
BeijossssssssssssSimara ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

23 de março de 2012 12:26  
Anonymous Anônimo disse...

Parabéns excelente blog, gostei d++++! *-*

23 de março de 2012 12:49  
Anonymous Jane disse...

Retribuindo a visita e seguindo sua sugestão, acabo de ler "O Leilão"

Excelente conto, Jefferson. Muito bem elaborado, desde o início. O clima de suspense muito bem estruturado, o final surpreendente. Parabéns.
Tem que publicar!!!

24 de março de 2012 05:31  
Anonymous Anônimo disse...

Põe mais posts ae tio!
Emanuel Ferreira

24 de março de 2012 12:24  
Blogger Rossana Masiero disse...

Oi lembra de mim? Eu sou a moça do batom (batomepoesias.blogspot.com).
Minha voz continua a mesma, mas agora tenho um outro blog de crônicas, que é para ver se o tempo passa mais lento e adiciono qualidade aos meu dias, seguindo suas sábias recomendações.
Passe por lá quando puder.(http://tudoeassunto-cronicas.blogspot.com.br/)

Adorei o conto!

Abços
Rossana

24 de março de 2012 18:12  
Blogger Nyce Pinto. disse...

Boa noite amigo Jefh! Olha quando li o título imaginei tudo, nunca esse tipo de leilão, triste realidade você descreveu! Nosso mundo transita entre o bem e o mal, quero crer sempre que o bem vai vencer, que inocentes crianças, meninas, meninos, terão tempo de crescer, brincar e "desabrochar" no tempo certo como flores perfumadas, alegres, coloridas... Oremos para que isso aconteça breve! Como sempre uma reflexão profunda para todos nós... Saudade dos teus comentários lá no meu cantinho...apareça, sempre bem vindo! Um lindo domingo, muita luz! Abraçossss!

24 de março de 2012 18:25  
Anonymous Anônimo disse...

Embasbacada... é a palavra que sintetiza essa leitura.
Abçs!! Jefh!!

24 de março de 2012 19:31  
Blogger δανιελα disse...

Muito legal!
Mesmo mesmo!
Opinião de blogueira e leitora!!!
Que de intensa curiosidade não se furta perguntar:
Onde e/ou como conheceu o meu blog danielaemgrego.blogspot.com ???

24 de março de 2012 19:42  
Blogger Solange disse...

quando abrimos a porta pra entrar nesse mundo,
nem sequer imaginamos,
que, às vezes, é através dessa porta,
que vamos ganhar o pão de todo dia..

bjs.Sol

25 de março de 2012 04:47  
Blogger Cacau Jafet disse...

Olá Jefferson!
Parabéns!!!excelente!!!
bjosss

25 de março de 2012 09:39  
Blogger Sun disse...

Nossa que alivio o final, colocaria a coreana ensandecida para fora se fosse diferente!
Parabéns e nos visitemos sempre!bjsss
http://sasesisosun.blogspot.com.br/

27 de março de 2012 06:58  
Blogger Vivi Manoel disse...

Parabééeeens amei :) segui o meu blog ;) vivieanrosalves.blogspot.com

29 de março de 2012 09:15  

Postar um comentário

Comente. É isso que o autor espera de você, leitor.

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial