Amigos

domingo, outubro 09, 2011

O NAMORO FOI UM FILME

Ela chegava sempre no horário certo ao trabalho. Não adiantava nem atrasava. Frustrada pelo casamento que resultou em filhos, conflitos, calúnias, vivia uma vida dura, dupla. Se por um lado se realizava em ver os filhos crescerem sob seus cuidados de mãe zelosa e trabalhadora, por outro ficava frustrada por ainda amar o cafajeste que tanto lhe causou danos à vida. De dia era uma trabalhadora mãe exemplar, à noite uma mulher triste e solitária.

Era apenas uma menina quando se apaixonou por aquele inútil. Ele veio cheio de mimos, zelos, obséquios, perfumes, sorrisos, camisas de corte social de cores da moda, frases de efeito, sapatos de pelica, carinhos, calças bem ajustadas, afagos, ouro no pescoço, dentes brancos reluzentes, cartola e fraque de Mandrake.

Como não se apaixonaria por aquele arsenal sedutor operado por um homem, ainda por cima, mais velho e experiente? Parecia o príncipe loiro dos contos de fadas, mas numa versão ruiva. Entretanto aquilo era apenas o namoro, e namoro é maquiagem, é cena, é artifício, é filme. Se você atualmente namora e agora se ofende com o que digo, não se ofenda. No entanto se já namorou na vida e hoje sabe que o namoro é a fase do conto de fadas do relacionamento afetivo, concordará que não exagero nem minto. ‘Vá comer um quilo de sal lado a lado para saber quem está junto de você na verdade’, assim dizia as avós dos netos mais velhos que andam por aí em nossos dias.

Ela pagou o preço caro por apaixonar-se por um canalha. Quando veio a monotonia do casamento, ele já flertava a muito com uma movimentada vida de solteiro. Queria voltar à esbórnia, farra, orgia, pândega, boemia. Queria perder-se nas madrugadas, virar os olhos diante de caras pintadas inalando os fortes perfumes que não custam caro e por isso são derramados aos litros nos pescoços suados floridos por hematomas em formato de bocas tortas alcoolizadas. Queria as mulheres que na maioria não namoram nem se casam; as que se dedicam a fins comerciais. Começou a chegar tarde o traste. Chegava com os colarinhos sujos por batons baratos com desenhos de fissuras de lábios não caros. Suas roupas cheiravam a almíscar falsificado; as íntimas cheiravam à náusea dos becos que ninguém sonda; becos insondáveis. Chegava faminto e furioso. Bastava a mínima palavra dela para que explodisse e lhe descesse o braço impiedosamente. Noite de espetáculo. Crianças assustadas chorando e pedindo a Deus para que, por misericórdia, não deixasse a mãe morrer em meio aos socos, pontapés, desaforos do pai carrasco. Aquilo durou até o traste ter a brilhante idéia de difamá-la. Disse aos quatro ventos que ‘Aquela vagabunda é uma infiel, anda com os crápulas do trabalho, eu sei; pensa que me engana; safada! cachorra! ordinária!’. As surras desta fase eram as mais violentas. Um demônio corno se apossava do traste e ele era tomado pela fúria do chifrudo maldito que encenava com maestria. Quem sabe fosse filho de corno furioso e aquilo estivesse entalhado no mais recôndito confim de sua natureza obscura. Ela não o traia, mas sua vocação para corno era notória. Tanto bateu na pobre coitada que a opinião pública começou a duvidar da boa índole da moça. ‘Se tanto apanha, certo que deve haver algum motivo’. Fato era que tinha alguns crápulas por colegas de trabalho. Ele fora ardil, maquiavélico no sentido mais próprio da palavra. Escolheu justamente o mais sem qualidades dentre os crápulas reconhecidos pela opinião pública e lhe empossou do cargo de amante de sua esposa infiel. Ela jamais o traiu, possivelmente nem em pensamento. Ela jamais traiu os filhos, os votos, os preceitos da moral, o sentimento. Quando a situação atingiu o ápice da calúnia e se tornou insustentável, ela viu-se na obrigação de expulsa-lo de casa. Ele saiu com mala em punho proferindo impropérios e bravatas. Três quarteirões adiante, ria à larga. Foi buscar no meretrício aquela que, supostamente, lhe faria o homem honrado que ele sempre fora. Ela continuou em sua rotina de trabalho. Chegava sempre no horário. Suspirava ao saber notícias do traste e ironizava as más sortes do canalha. Fingia desprezo. Sentia saudades. Contudo a saudade era apenas uma confusão de coisas; era saudade do namorado, do príncipe encantado, do personagem do conto de fadas, do filme do namoro.


Obs. Esta postagem é comemorativa do terceiro ano deste blog, a completar-se no dia 01.01.12, e também a adesão de mais de 3500 generosas pessoas que me apóiam. Será uma série de singelas postagens onde pretendo revelar peculiaridades dos dias comuns de um homem comum vivendo uma vida comum. Peço o seu voto para este blog no Top Blog 2011. Caso queira, clique no selo logo abaixo do meu perfil e vote. A arte gráfica ilustrativa é de Ana Santarosa, minha filha de nove anos.

56 comentários:

  1. Olá "artesão da palavra"!
    O seu relato me fez pensar em algumas mulheres amigas que conheço... filhos criados, vida frustrada pelo desencanto de uma união com um príncipe que só existia em seus sonhos... Mas que bom que sua personagem teve coragem de expulsa-lo de casa...bem feito! Quem sabe, ainda há tempo dela refazer a vida, hein?
    Abraços com carinho, Josi.

    ResponderExcluir
  2. você se superou aqui Jefh!!!

    explendidamente comentado o lado antes e depois de tudo na vida...
    vc usou uma linguagem incomparável quando relatou sobre os beijos, perfumes, marcas, álcool, que acompanharam o homem (ou rato?) aqui descrito.
    e colocou toda a confusão de sentimentos que a mulher (mulher!) sentia.

    amor sem surpresas desagradáveis?
    só aqui..

    bjs.Sol

    ResponderExcluir
  3. Jefh!
    Concordo com Solange!
    Você conseguiu descrever bem a realidade de muitas mulheres. Mulheres que achavam que tinham um principe encantado e na verdade são as piores pessoas que podemos imaginar.
    Mas fazer o que.. Cada um sabe o que faz não é mesmo?!
    Parabéns pelo post.
    Muito realista!
    Beijo
    Com Carinho
    Jéssica Rizzardo

    ResponderExcluir
  4. Meu querido passando pra te conhecer, agora te sigo , faça o mesmo, vou amar...adorei te ler.

    Beijos

    Menduiña

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Com preguiça de atualizar agora meu blog (embora vou atualizá-lo hoje), preferi visitar os amigos primeiro. Rs
    Vim desejar uma boa semana.
    Seu texto ficou ótimo, parabéns.
    Bjokas
    Bruh!

    ResponderExcluir
  6. Jefh.. Concordo plenamente quando dizes que somos feitos de tempo.. Afinal, como saberíamos ao certo quem somos sem o tempo que passou, que esta passando e que ainda passaras?!'
    Acho que o tempo é mais que as horas que o relogio da e os dias que o calendario diz. Acho que o tempo somos nós, e ja que somos o tempo, temos o direito de fazer escolhas. Como ja disse, acho que todos nós sabemos o que fazemos.
    Muito Obrigada por sua visita em meu blog.
    Fico contente em te ver por la!
    Beijo
    Jéssica Rizzardo

    ResponderExcluir
  7. Jefhcardoso!
    Saudades de teus textos, estava viajando e nao tive oportunidade de vir aquir, tem que publicar urgentemente, para que possamos leva-los a qualquer lugar.
    Abraco meu cronista favorito

    ResponderExcluir
  8. Jefhcardoso!
    Sua filha e talentosa, muito fofa a ilustração, parabens a voce por seus tesouro que Deus te deu, sua filha e seu super talento com as palavras.
    Sucesso.
    Abraco.
    Evany.

    ResponderExcluir
  9. Gosto muito de ler seus textos cada um melhor do que o outro,lindas histórias para ler e qualquer dia da semana.Parabéns.Boa Noite e uma abeçoada semana.

    ResponderExcluir
  10. Ei Jeferson! Obrigada pelo coment no meu blog! aproveitei para fuçar o seu! rs Muito bom Parabéns!! Beijão

    ResponderExcluir
  11. Olá Jeferson!
    Adorei seu blog! textos e idéias muito bem articuladas. Esse post em especial,uma realidade para muitas mulheres. Mas é a vida sendo vivida, mesmo que as tontas, meio que "as cegas". E a sua filhinha é uma verdadeira artista! adorei a ilustração, já sei de quem ela herdou tanta inspiração.
    Quanto a sua visita ao meu blog, fico muito feliz quando novos olhares se lançam no meu humilde cantinho. Sinta-se a vontade para voltar mais vezes.
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. É JEFH... E O PRÍNCIPE "DESENCANTOU"...

    BEIJÃO
    CONTINUE ESCREVENDO
    JAN

    ResponderExcluir
  13. Ótimo, post!
    Confesso que fiquei esperando algo mais no final... querendo saber o que ela fez, o rumo novo que ousou desenhar.
    Bem, deixa a fruto da imaginação de cada, é bom, assim enquanto pintamos o que supostamente teria acontecido, refletimos o que faríamos se estivéssemos nessa situação.

    PS: O parágrafo 8 foi o meu favorito! (risos)

    ResponderExcluir
  14. o + triste de seu texto é que ele sai do papel cai em nossas realidades do dia a dia.melhor dizendo sai do nosso dia a dia a o papel...
    como um carro em alta velocidade em contra mão.

    ResponderExcluir
  15. Obrigado pelo comentário no post sobre o documentário do Ozzy, Jeff! Seu blog eh sensacional! Abraços e espero trocarmos ideias um dia desses! =)

    ResponderExcluir
  16. Que mulher nunca se apaixonou por um canalha? Se existe alguma, bem essa é uma privilegiada. Mas ainda sim, devemos buscar não amargar' a vida diante das frustrações.

    Embora namoros de filmes não existam na vida real, vida real sem sonhos não é possível existir.

    Um abraço, adorei seu blog.

    Show !

    http://no-casulo.blogspot.com

    Simone Caetano

    ResponderExcluir
  17. Oxalá essa postagem fosse somente mais uma de alguem que sabe usar as palavras e faz delas lindos artigos. Mas não infelizmente esse é o relato mais real, (e cada vez mais "usual"), da vivencia de muitas mulheres na nossa sociedade!
    Parabéns foi mais um dos seus bons escritos!
    Beijo

    ResponderExcluir
  18. Vim agradecer ao comentário em meu blog fictício
    Upgrade U.E também pra dizer o quando esta história me tocou!Confesso que chorei na parte em que ele agredia ela afirmando que ela o traia.E eu conheço muitas mulheres assim.Mas nunca uma que coloque um basta neste conto de horror.Parabéns pelas palavras,você escreve e relata os fatos muito bem.Adorei o blog.
    Ah!Obrigada por entrar na brincadeira desejando parabéns à Daphne(que não existe).Eu também faço 20 anos dia 15/10.

    ResponderExcluir
  19. Jefh,
    Conheci uma mulher assim, como você escreveu em seu texto. Sem as alegorias claro, mas com a mesma dose de esperança em ser feliz e com o mesmo fim. Mas ela renasceu, ela superou tudo e conseguiu se reinventar. Mulheres assim são poucas e têm muito valor!
    Abraços,
    Janette
    janeentrelinhas

    ResponderExcluir
  20. Post perfeito!!!
    passou na minha cabeça o filme de várias mulheres que conheço... real real!

    Parabéns

    ResponderExcluir
  21. Boa tarde Jefh!
    Um texto realista para ser analisado em cada detalhes.
    Nós mulheres costumamos dizer atualmente que estamos nos igualando aos homens.
    Mas particularmente creio que não. Apenas estamos nos sobrecarregando ainda mais de trabalhos ou seja o fora de casa e o de dona de casa. Enquanto a maioria dos homens apenas realizam seus trabalhos fora de casa e ao chegarem em casa, querem tudo limpo, organizado e uma esposa para realizar o 3º turno (se é que me entende).
    Não tendo isso tudo muito bem organizado e da forma que o homem deseja, muitas acabam sendo espancadas e ficam caladas. Pensando que irão morrer de fome ou sei lá o que. Pois não denunciam e muito menos largam desses monstros.
    Um homem quando vai se casar escolhe a dedo. E ainda há quem diga que a mulher teve sorte de se casar com o fulano.
    Tenha paciência.
    Sei lá se casamento é loteria.
    Casamento para mim é continuação do namoro.
    Um dia minha avó estava em minha casa e me disse, seu namorado chegou você não vai se arrumar. (estava de bermuda e camiseta).
    Cai na risada e respondi:
    -Se ele resolver casar vai ter que me aceitar assim, pois não sou madame e não tenho tempo de viver toda empiriquetada. kkkkk.
    Ela gostou muito não.
    Mas deu casamento sim. E graças a Deus como não fingimos um conto de fadas durante o namoro, hoje já temos 11 anos de casamento muito feliz entre amor, amizade, respeito e companheirismo.
    OBSERVAÇÃO FINAL: Agora o namoro será um conto de fadas e a mulher se igualará aos homens definitivamente quando puderem optar pela virgindade dos homens, assim como eles optam pela das mulheres. Pois por mais que digam que esteja tudo liberado, muitos homens pra não dizer a maioria preferem moças para se casarem. Por isso disse no início o que disse. E nós mulheres temos que nos dá o valor e nos respeitar e nos amar antes de mais nada.
    O resto é resultado das nossas atitudes.
    Beijos da Bia!

    ResponderExcluir
  22. Oi , hum... vc pediu lá no nosso blog para comentarmos aqui ! Mais um obs. nas Candy Teens ñ tem ngm chamada Gabie , mas adoramos sua visita ao nosso blog !!!
    Beijos , das Candy Teens ..
    P.s : O blog esta sensacional , adorei suas ideias !!!

    ResponderExcluir
  23. Muito obrigado pela visita Jefh.
    E a propósito muito bom mesmo seu blog, expressa realmente como nós podemos agir de formar oculta e inesperada se não nos conhecermos a fundo. Pois neste mundo ninguém é de ninguém né....

    Podemos conviver em harmonia com oque já foi construído, reutilizando e renovando fontes materiais, assim eu, nós, e todo ser vivo podemos compartilhar a essência de Deus.

    Abraço forte e continue expressando....

    ResponderExcluir
  24. Meu querido, que texto magnifico e tão real. E o pior é que muitas mlheres se apaixonam pelo príncipe e ao casarem, dormem com o monstro.
    Triste, mas é fato.
    Adorei... de verdade.

    Beijos meu amigo lindo e ótima semana.

    ResponderExcluir
  25. Valeu pela visita ao blog Instituto Cuidando do SER. Se quiser,se inscreva e participe. Será muito bem vindo.
    Adorei seu blog e vou me cadastrar. Parabéns pelos textos.
    Pax at Lux!

    ResponderExcluir
  26. Ola Sr. Jefh, parabéns mais uma vez o seu texto é de uma realidade surpreendende você possui o dom de retratar a vida cotidiana de uma maneira simples compreensiva e muito prazerosa de se ler.

    ResponderExcluir
  27. Nossa senhora q descrição de um canalha. Coitada, mas ainda suspirar por um lixo, é demais.
    Muito louca a tua história, porém é a realidade de algumas mulheres q caem nessas ciladas.
    Tenha uma boa noite!
    Abraço

    ResponderExcluir
  28. Boa noite, Guri!
    que seria de nós sem sonhos e amores?
    os malandros tem lábia perfeita né!? rsrsrs
    Continue escrevendo p/ nós!
    um Grande abraço!!

    ResponderExcluir
  29. Obrigada pelo carinho ....

    Beijo

    ResponderExcluir
  30. Obrigada Jefh pelo elogio a minha borboleta preta das asas lilás. :)
    ,...,E sou assim, direta e franca. Sem medo de ser feliz!
    FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!!!!

    ResponderExcluir
  31. Muito bom, esse texto amigo me add no twitter @acordacastelo

    ResponderExcluir
  32. Bom dia amigo!!! Passei para desejar um FELIZ DIA DA CRIANÇA para teus filhos e para nós que optando pela felicidade, somos eternas crianças... Linda a arte gráfica da Ana, parabéns...parabéns!!! Jefh, teus escritos sempre nos levam a grandes reflexões... Eu não permitiria tanta falta de respeito...Não teria coragem de olhar-me no espelho se deixasse que "um traste e canalha" pensasse em tal atitude...mas, sabemos que é esse o "retrato" da vida de tantas mulheres, que se perderam do "auto-amor" e nem sabem o que é respeito...e, enquanto as mulheres permitirem essa violência (seja física ou verbal)a realidade será essa...triste realidade de muitas!!! Muito interessante a reflexão deste dia... Parabéns! Grande abraço.

    ResponderExcluir
  33. Nem tão triste assim, minha história foi quase descrita aqui, mas enfim superada, E mais ainda aprendi a não me deixar enganar por palavras, ternos, palavras, chapéis brancos...
    Beijos no coração

    Ótima postagem!

    ResponderExcluir
  34. Olá Jefe,mais uma linda postagem.E uma triste realidade. O NAMORO FOI UM FILME,infelismente o filme de muitas mulheres. Casam com um principe e ele vira sapo!
    E nesse caso não a beijo q de jeito...(hehe)

    Bjinhos no seu coração!

    ResponderExcluir
  35. Obrigada pela sua visita ao meu blog! http://artesmanuaisjc.blogspot.com um abraço e parabéns pela sua criatividade adorei seus textos parabéns que Deus te dê sempre inspiração.

    ResponderExcluir
  36. Parabens pelo blog!
    Gostei muito, e ainda lhe agradeço pela visita em meu blog.

    Obrigada, Bjinhos ;*

    ResponderExcluir
  37. Adorei o texto...
    Retrata exatamente a vida de quem ainda não descobriu ou vai descobrir que a realidade uma hora vai chamar com uma certa indiferença, e cobrar uma existência que não pedimos para ser inserida nela.
    A felicidade é dos corajosos, que aprenderam a dizer não ao que lhes faz mal

    Abraços!!!
    Rosangela Sampaio

    ResponderExcluir
  38. Maaaaaan, que texto. Simples e perfeitamente real.
    O triste de tudo isso é a saudade, que bate do início, do príncipe - ruivo - daquele princípio.

    ResponderExcluir
  39. Amigo, Jeferson! Seu post descreve a realidade de muitas mulheres. Infelizmente essa é a realidade vivida por muitas delas, que se iludem na época do namoro, assim citado no começo do texto, “o namoro é a fase do conto de fadas do relacionamento afetivo”, momento esse que os olhos e ouvidos parecem se fechar diante da realidade. E com o passar do tempo, a intolerância vai tomando conta do casamento e se veem em situações extremas que já não são mais suportáveis. A separação nessas horas é o melhor remédio, tanto para ambos, quanto para os filhos que jamais poderiam crescer diante dessas cenas.
    Infelizmente seu texto acaba citando uma triste realidade, que mesmo com a frustração, muitas ainda sentem-se preocupadas, apesar que, assim como você, acredito que elas sintam falta dos momentos bons que passaram juntos, dos tempos em que somente havia alegrias e sonhos encantados.

    Excelente texto. Parabéns! Abraços, Juliandra Alencar.

    ResponderExcluir
  40. Olá Jeferson!

    Cheguei ao seu blog para agradecer o comentário que fez no blog de meu espaço terapêutico algum tempo atrás. Você havia lido meus textos sobre o outono e sobre a relação entre alimentação e emoções. Valeu pela visita!

    Agora estou concentrando meus textos em outro blog: http://julianaggarcia.blogspot.com

    Muito bons seus contos!

    ResponderExcluir
  41. Obrigada querido.
    kkkkkkkk, como minha mãe costuma dizer:
    _ A Bia só tem tamanho. Mas continua sem juízo. rsrsrs.
    Bjs...

    ResponderExcluir
  42. É Garoto não ta sendo facil não postei a foto dela no blog em respeito.
    O ponto de ônibus ficava em frente a uma casa de garotas de programa, agora com muitos protestos a prefeitura mudou. O motorista foi capturado pela policia ,segundo depoimentos dele chegou de madrugada e a casa ja esta fechada resolveu dormir em frente acordou de manhã assustado e partiu em seguida não vendo as meninas que travessava na frente do caminhão, disse ele que fugiu com medo de ser espancado pela população. Como ele era linda né jefh!?
    Que Deus Ilumine voce e sua familia.
    Um Grande abraço e muito obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  43. Olá

    É o primeiro artigo que leio no blog, e devo comentar que provavelmente vai me fazer uma leitor a assídua.

    Belíssimo post, interessante a forma realista que você abordou tratando de uma história que alguém já viveu, viu ou ouviu falar e acontece pra muitas mulheres.

    Meus parabéns, texto muito bom!!!

    Obrigada pela visita ao florada.

    ResponderExcluir
  44. acabei de conhecer esse seu espaço e é muito bom encontrar gente disposta a compartilhar seus escritos. Parabéns.

    tenho um espaço também porém mais dedicado ao cinema e literatura http://www.afinidadesculturais.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  45. Oi Jefh infelizmente essa é a realidade de muitas mulheres. Eu tenho uma irmã que passou por isso demorou muito para ela tomar uma decisão. Eu ficava revoltada com ela por ela se sujeitar a isso. E nunca a chamaei de coitada eu tinha era raiva, afinal a decisão estava nas mão dela. Quando ela finalmente resolveu acabar com o martírio, que não era só dela, teve o apoio da família. Eu até hoje não entendo o que leva uma mulher a se sujeitar a essa vida. Cansei de falar para minha irmã, que por mais que ela amasse o traste do marido devia amar a ela primeiro. Eu já avisei meu marido que eu estou em primeiro lugar, primeiro eu me amo depois eu amo a ele, deixei isso bem claro e ele entendeu o recado, estamos juntos a 19 anos e vivemos bem um respeitando o outro. Afinal quando quero ver um príncipe encantado assito aos desenhos ou filmes. E eu gosto tá tudo que está relacionado a fantasia ao irreal eu gosto, fadas, bruxas duendes, porém com o pé bem firme no chão. É apenas um escape para a loucura do dia a dia

    ResponderExcluir
  46. Oi Jefh, passar aqui, mesmo de vez enquando, mesmo só um pouquinho, vale super a pena! Pois ler você, é sempre maravilhoso!!! Parabéns pelo texto, tenha um ótimo fim de semana!!!

    ResponderExcluir
  47. Jefh Cardoso, adorei seu blog, sabe queria te pedir um favor como seu blog é suuper bombado, vários seguidores, eu estou no começo do meu blog, será que tinha como você dizer algo a respeito do meu blog, fazer um post sobre ele, pra mim receber mais acessos,mais seguidores, mais comentários, que as pessoas curtam mais através do botão curtir do facebook, por favor ? Espero atenciosamente a resposta, obrigado !

    ResponderExcluir
  48. Sou uma nova seguidora,Parabéns pelo seu blog Jefhcardoso.

    ResponderExcluir
  49. oie...gostei do seu blog,muito bonito.. estou começando agora a escrever, desejo seguidores e em uma pequena audácia leitores,rsrs.. sempre vou retribuir comentários e visitas... as palavras me movimentam.. agradeço se me seguir,eu sigo de volta! bjs e abraços!

    ResponderExcluir
  50. Oi, que legal seu texto... há varias foram de contar uma mesma história, varios angulos, e acredito que cada leitor esta em um deles...
    Me vi em alguns pontos, Sou grata a Deus por meus filhos, como os amo, como minha famila tem o "poder deme sugar e me encher"
    Obrigada por sua vista em meu blog, volte quado quiser.Parabéns pelas conquistas do seu e sua filha deve ser vua fofa! Que arte linda, não poderia imaginar que é de uma criança.

    ResponderExcluir
  51. Ola jeferson!Desculpe a demora p responder!!Tenho deixado um pouco o meu blog de lado.Fico feliz q vc tenha achado as imagens do meu blog bonitas e esclarecendo sua duvida rsrsrsrss..Imagem´em png são aquelas q tem o fundo transparente q vc pode colocar sobre outra imagem mudando o fundo etc...

    Nossa q blog maravilhoso vc tem,eu amo ler ver biografias saber mais sobre esse ser fascinante q é o ser humano parabéns amei seus textos.

    Não consegui te seguir mais Te add nos meus favoritos Bjs!!!

    ResponderExcluir
  52. O PODER DA TAL MEMÓRIA SELETIVA. DE MARTHA MEDEIROS, LI ALGO QUE ACHO DE UMA VERDADE ABSOLUTA: "NÃO É FÁCIL DESCONSTRUIR O SER AMADO".
    QUEM AMA PROFUNDAMENTE, CONHECE A DOR DE TER QUE FAZÊ-LO...PARA RENASCER!
    PARABÉNS PELO BLOG,LINDOS TRABALHOS!
    ABRAÇO!
    TANIA.

    ResponderExcluir
  53. Oi! Que maravilha esta viagem que fiz agora nessa narrativa que além de narrar de forma real , descreve fatos vistos no cotidiano de muitas mulheres...Que pena o homem chegar a tão miserável proceder.Como a humanidade está indo por caminho tão sem volta! Como seria bom o AUTOR. escrever uma outra realidade que não essa desse texto! Infelizmente essa é o "forma" da maioria dos homens...Apesar da tristeza por vc através desse texto ter me colocado diante desse fato tão corriqueiro,quero parabenizá-lo mais uma vez por sua sensibilidade no grande dom da escrita! Cada vez mais o admiro ! Fica com Deus e que Ele continue te abençoando e te fazendo cada dia mais um GRANDE ESCRITOR.Um abraço fraterno...

    ResponderExcluir
  54. Olá Jeferson.
    Vim aqui agradecer pela visita no meu blog e conhecer o seu. Nossa, como você escreve bem hein? Fiquei boba!!! Seu blog é muito mais muito legal mesmo e vou te acompanhar.
    :o)

    ResponderExcluir
  55. Assim, adorei. Perfeito de tudo, de história, de conteúdo, de verdade, de fato real.

    ResponderExcluir

Comente. É isso que o autor espera de você, leitor.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails