domingo, abril 18, 2010

O Sr. e o Dr.


Ao ser levado à presença daquele Sr de seus maturados 84 anos, estava na verdade indo rever um bom pedaço de minha infância. Afinal, aquele homem de baixa estatura, tórax roliço e finas pernas de passarinho era figura muito frequente nas ruas mais movimentadas de minha terra, há uns 20 anos. Vestido com um jaleco branco sentava com boa postura em sua “motoquinha”, percorria toda cidade com seu jeito lépido. Mas agora ele se encontrava muitos anos à frente daqueles dias; e já não mais conservara sua autonomia para o “ir e vir” a toda parte. Pior ainda, naquele momento sofria com a recuperação de uma fratura no fêmur, ocorrida após uma queda dentro de sua própria casa. _Quão dura é a realidade do ancião que de andar dentro do próprio lar, pode quebrar-se ao chão, isso quando não se quebra de pé, sem mais nem menos, indo apenas posteriormente ao solo, ao que chamam de fratura espontânea. Mas retornemos ao nosso “continho”. Dia após dia, sessão após sessão, meu novo amigo ancião, recuperava sua capacidade para as atividades de locomoção, até atingir o ponto de dar os novos primeiros passos. _Digo novos, pois os primeiros verdadeiros são dados na tenra infância, quando nossos corpos, constituídos daquelas carnes parecidas com borracha de apagar lápis, não sofrem com as quedas, que significam nada, senão umas desventuras mínimas, próprias daquele aprendizado. E foi justamente após os tais novos primeiros passos, que ocorreu a situação que merece agora ser narrada. _É que, quando envelhecemos e passamos para guarda dos nossos descendentes, a coisa toda toma contornos bem engraçados. Meu amigo ha muito ostentava uma fama de sujeito levado, manhoso, teimoso, e especulativo, o que eram até certo ponto verdades. No entanto, quando a recomendação fora para que o homem, munido de um andador, e com uma acompanhante ao lado, fizesse pequenas caminhadas no interior da sua casa, logo veio o mal falado e em tom confidencial: _Dr, fale com ele, pois ele está terrível, não quer andar nada, esta preguiçoso que só vendo. Com bom humor cumpri o mandado dizendo: _O senhor precisa caminhar, ainda que por cinco minutinhos a cada período, isso fortalecerá suas pernas, os músculos e os ossos. Ele me olhou atento, concordou com uma inclinação de cabeça, e um levantamento do ângulo de uma sobrancelha, de maneira que poucos sabem usar tal expressão como sinal de concordância. Na sessão seguinte nova queixa: _Dr., ele esta impossível, vai da sala ao banheiro desacompanhado, em tempo de sofrer uma queda, mas ele é mesmo rebelado, não espera por ninguém. Converse com ele Dr., ao senhor ele irá ouvir. Meu serviço dessa vez foi mais sujo, me vali do terror, mas sem perder o bom humor: _Olha, o senhor não deve andar desacompanhado; eu disse, _para evitar um acidente, um outro tombo pode deixá-lo complicado. E com ele a olhar-me conclui: _ Seja lá, qual for o caso, de incêndio a urgência de banheiro, só ande se acompanhado. Ele não sorriu como eu esperava, mas com a cabeça inclinada para o lado e o ângulo da sobrancelha levantado, pareceu-me ter concordado. Mas não vá pensando que acabou aí o caso, veio nova sessão, novo recado: _Dr, eu preciso falar novamente com o Sr, é que o seu paciente está muito acomodado, ele agora só quer ficar deitado, toma café e vai para o sofá, de onde não sai nem com reza brava. Fale com ele, Doutor. Temendo entrar numa difícil rotina de sermões ao ancião, tratei de convocar todos à sala, para por logo um fim aquela questão. Fui catedrático na exposição da sentença do réu, que naquela altura já parecia um réu pagão: _O Sr precisa andar, mas só acompanhado, e esse negócio de ficar o tempo todo deitado, pode lhe resultar em um pulmão infeccionado, portanto, tome cuidado. Com todos em redor e o pobre no centro sentado, dessa vez ele só me olhava, acho que já se sentia por demais sentenciado. Seus inquisidores, não contentes, fizeram questão de tornar o terror dobrado e disseram: _Dr, se ele fizer algo errado, nós ligaremos para o senhor. Eu já não podia mais compactuar com aquele engessamento generalizado do pobre coitado. Então, com expressão séria, voz firme, e olhar vidrado, disparei: _Isso, me liguem, me liguem que chamarei meus capangas e eles darão um jeito nesse danado. Ele novamente não riu, tampouco inclinou a cabeça para o lado, em contraposição seus inquisidores gargalhavam. Pois é, se toda brincadeira tem mesmo seu fundo de verdade, meu novo amigo ancião continuará recebendo sermão, por ficar de pé, deitado e certamente quando sentado.

Obs. Este conto é na verdade uma reedição de meu blog. Sua postagem original ocorreu em 13.02.09; sendo naquela ocasião a minha terceira postagem em ordem cronológica. Naqueles dias este texto não recebeu nenhum comentário.
Agradecerei a todos que tiverem a paciência de ler e comentar. Abraço!
Jefhcardoso

174 Comentários:

Blogger Dóris disse...

Pobre ancião...
Tudo o que faz, leva sermão. Se anda desacompanhado leva sermão, se não anda, leva sermão, se fica apenas deitado...leva sermão igual? Quem deveria de levar sermão são os familiares e quem cuida. Poxa, o ancião, algumas vezes precisa de sermão....mas quando é demais, tem coisa errada. Na maioria das vezes necessita é de mais carinho, paciência e atenção, para poder fazer o que um fisio pede.

Abraços Jeferson

18 de abril de 2010 21:00  
Blogger REVOLUÇÃO-TEEN disse...

Retribuindo a visita..
seu blog está muito interessante.. Parabéns!

By: revolucao-teen.blogspot.com

18 de abril de 2010 23:42  
Blogger legalmente loira... disse...

jef querido, eu adorei o texto. pena não ter sido comentado antes vale a pena.
bem sou novinha mas estou tão cheia de coisinhas que não vou falar muito a respeito quero um descanso de médicos rsrsrs.
amigo eu adorei seu carinho no meu blog a gente da uma levantada geral hehehehe agora fiquei curiosa sobre as fotos com adriana calcanhoto(da uma dica para que possa ver vou adorar)acabei não colocando o nome da interprete e dos compositores falha nossa rsrsrs farei isto.
uma otima semana de muitas boas energias
com carinho da amiga rita.
seu blog é um show arrazando total....

19 de abril de 2010 00:00  
Blogger Wilson Torres Nanini disse...

Em certas idades se atinge um estado que o ser humano fica uma coisa alheia, pairando sobre o bem e o mal. Isso ao ver dos mais jovens, em especial de entes que se deixaram levar pelo fato de que a debilidade física, e por vezes mental, que a idade impõe a seus ancestrais lhes confere a autoridade para administrar os passos daqueles que lhes ensinaram a andar.

Forte abraço! E parabéns pelo belo texto!!!

19 de abril de 2010 00:38  
Blogger Amapola disse...

Bravo!!! Amei...

É por isso que eu adoro ler... foi um transporte emocionante. Obrigada. Parabéns!

Um grande abraço, amigo. Boa semana.

19 de abril de 2010 03:40  
Blogger Eliane disse...

Oi bom dia Jefh, quem tá precisando de sermão é a familia , se anda reclamam, senão reclamam tambem, que que eles querem um robozinho.(KKkkkk)
Sei que isso é só um conto mas meu caro amigo, a gente ve isso todos os dias Idosos sendo tratados como bonecos sem noção nenhuma da vida, e as vezes nem notamos oque estamos fazendo. Um abraço da Eliane.

19 de abril de 2010 03:49  
Anonymous Roberta Feijo disse...

Ótimo texto, assim como todos os outros seus que eu já consegui ler...

Estou sempre por aqui...
um abraço

Roberta Feijó

19 de abril de 2010 04:48  
Blogger Pelos caminhos da vida. disse...

O envelhecer não é visto com bons olhos as pessoas, eles já se sentem descriminados, (estorvos para alguns),e os cuidados se tornam maiores, eu digo que eles voltam a ser criança, mas penso assim uma criança que dever ser tratada com muito amor e carinho,minha mãe tem 74 anos, mas graças a Deus é uma mulher(bem mais forte que eu),mas mesmo assim eu me preocupo com ela, sempre atenta para pequenos detalhes para que ela não venha a se machcucar, cair.
Não sei se meu comentário foi de acordo com seu texto, mas esse é o meu ponto de vista.
Devemos amá-los mais ainda pois é nessa idade que eles se sentem desemparados.

Bom dia.

beijooo.

19 de abril de 2010 05:26  
Blogger IVANCEZAR disse...

Pois é ... Dizem que a fratura de fêmur é tida como o primeiro sinal de que as coisas não vão bem ... mas o fato é que voce retrata com maestria a rotina dos problemas que enfrentam pessoas que outrora foram protagonistas da dinâmica social de nossas próprias vidas . Um texto que, certamente, vai muito além das "dificuldades" motoras da velhice . Parabéns !

19 de abril de 2010 06:34  
Blogger Flor Gyn... disse...

oiiii obrigada pelo comentário,,e infelismente ainda não tenho essa pessoa, almejo muito mas ainda não aconteçeu...bjuu da flor...xauzinho...háaaa deixei aqui o comentário porque ainda não sei mecher muito no blog tá rsrsrs....

19 de abril de 2010 06:35  
Blogger Laura disse...

Realmente um texto longo, mas comecei a ler e me envolver com a história, sensacional.
Abraços!!

19 de abril de 2010 06:52  
Blogger HelaynePeresCardoso disse...

Oi,

A gente cresce? A gente "cresce" mesmo ou continuamos aquela criança que sempre fomos em corpo "de gente grande"?

(...) Ao ler seu conto imaginei esse homem obeservando toda aquela gente fazendo um burburim* ao seu redor de modo tão passivo e silêncioso.

Ninguém satisfeito? Tá deitado ou tá andando, todo mundo resolveu meter a colher... E acabou que virou debate!

Digno de quem carrega uma bagagem tremenda de história. O silêncio dele gritou, sorriu e com certeza chorou por dentro.

Suas "fugas" ao banheiro eram a representação mais digna da necessidade de liberdade.

Nós somos exigentes demais conosco e com os outros.

Lindo conto!

19 de abril de 2010 07:33  
Anonymous Sulla Mino disse...

Coitado...Sentado, deitado ou em pé...Haja sermão! Belo Conto, narrativa maravilhosa, parabéns mais uma vez. Obrigada pela visita poeta, é sempre um prazer enorme tê-lo em minha página. Me avise sempre de seus rascunhos, isto faz parte também da minha andança nas palavras! Bjks,

Sulla Mino

19 de abril de 2010 08:40  
Anonymous Anônimo disse...

Um bom texto que demonstra como deve ser dificil para o idoso ser dependente dos outros. O silêncio dele ja dizia tudo. bjs claudia

19 de abril de 2010 09:03  
Blogger Sil.. disse...

Jefh. Li sua história com a maior atenção (Adoro fazer isso), mas vi meu pai nessa história, mas em versão diferente rs.
Seu ancião é meio rebelde, mas nem tanto. Leva sermão se anda sózinho, se senta, se dorme rsrsrs. Que complicação.
Meu pai é diferente, porque obedece todas as ordens de seus fisioterapeutas. Acho que é a vontade de voltar a andar, e não ser tão dependente da gente, coisa que eu sei que deve ser terrivel (Visto que seu ancião queria andar sózinho).
Meu pai trava uma luta grandiosa contra sua doença (Parkison), faz sagradamente sua fisioterapia de segunda a segunda.
Parece um aluno que obedece fiélmente seu professor, o que muito nos alegra, tendo em vista a garra, a gana que ele tem.
Enfins..adorei a história, e parabéns pelo trabalho que profissionais como voces exercem.
Fica aqui meu grande abraço.
Adorei seu espaço, voltarei!

19 de abril de 2010 12:23  
Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

Está interessante este seu conto. Sabe meu amigo, raramente as pessoas gostam que se lhes
diga o que devem ou não fazer, mesmo quando
estão debeis...

Virei mais vezes visitá-lo,mas estou com
dificuldade em enviar comentários, veremos
se este fica.
Insira mais contos, tem muito interesse,
um beijinho/Irene/Portugal

19 de abril de 2010 12:30  
Blogger Fernanda Matos disse...

Caro efh, hj mesmo outro amigo perguntou: Como é envelhecer? eu lhe respondi:
Em veia Ser.
Em pé, deitado, sentado, sozinho ou acompanhado, Ser e não Sermão... Sermão ninguém gosta, tanto faz, alguns obedecem pelo costume, ou pelo medo... Em vez de ser mão sugiro "Darmão". Que o Dr, reconheça no Sr maisa sabedoria do que teimosia... Parabéns pelo conto!!! Adoro lê-los! E longe de mim de dar sermão, dou-te minha contradição... só porque é minha opinião, e para a gente trocar de antemão... kkkk... Boa semana meu amigo.

19 de abril de 2010 13:15  
Blogger RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, querido!

- Hoje trago-te uma coisa da terra que é bonita e tem lá dentro alegria. Chama-se vinho. Quem bebe fica cheio de alegria. (...) - É muito encarnado e muito perfumado - disse ela - Conta-me o que é o vinho.- (...) O seu sabor não sei contar. Bebe, se queres saber como é. E a menina do mar bebeu o vinho, riu-se e disse: - É bom e é alegre. Agora já sei o que é a terra. Agora já sei o que é o sabor da Primavera, do Verão e do Outono. Já sei o que é o sabor dos frutos. Já sei o que é a frescura das árvores. Já sei como é o calor de uma montanha ao sol.

Sophia de Mello Breyner Andresen

Porque assim como eu preciso, você também precisa. A palavra é Solidariedade.
Estou voltando; aos poucos, melhor agora, depois que pude ler esta maravilhosa narrativa de vida.
Beijosssss
Tudo de bom!

19 de abril de 2010 13:21  
Anonymous Anônimo disse...

A pentelha chegou rs.
Pois é meu grande amigo os idoso são um bucadinho teimosos.Voltam a ser crianças e a paciência neste caso é uma virtude.
Porém todavia se ele tentava andar sozinho e as pessoas se queixavam e se resolvia ficar deitado as pessoas também reclamavam,acho q o senhorzinho ficou confuso e de saco cheio concorda?
Beijokas.
Tomara q eu tenha dessa vez acertado rs.
Gosto de ler as suas postagens são longas mas bastante interessantes.
Beijokas.

19 de abril de 2010 14:10  
Blogger Espaço Compartilhar disse...

Gostei Jefhcardoso, o Sr. e o Dr. é bastante interessante, parabéns.

19 de abril de 2010 14:57  
Blogger Deni Maciel disse...

mto bom seu cantinho aqui
parabens e virei mais por aqui
xD^

enfim
ótima semana com feriado.
tiradentes...jesus...
são todos parecidos.
ainda bem que um morreu d roupa pra saber diferenciar *-*
abraços e feliz dia do banco de onibus sem almofada...
pq viajar sentado é coisa pra poucos.. [momento protesto~]

19 de abril de 2010 17:25  
Blogger jefhcardoso disse...

Dóris, lindo o seu comentário. Tão cheio de sinceridade. Muito obrigado! E sermão, pensando no que disse, se fosse bom seria pago, assim como conselhos. (sorrio). Abraço!

Revolução Teen, prazer imenso lhe ter aqui. Espero que volte. Abraço!

Rita Legalmente Loira, como é que você está? Que bom que o texto lhe agradou! Delícia de visita cheia de assuntos! Bem, eu e a Dri (sorrio) fomos fotografados na feira do livro de Ribeirão Preto no ano passado; as fotos eu postei em meio a minha série “Cartas a Tás”, estão datadas de 23.06.09, e na postagem Cartas a Tás (17 de 60; Parte I). Aguardo o seu comentário. Abraço e muito obrigado por seu carinho e atenção!

Wilson Torres; cara, muito forte o seu comentário. Incrível o quanto essa questão pode ser discutida. Fico muito grato que tenha expressado a sua visão e enriquecido este espaço. Obrigado, amigo!

Amapola, que gracinha o seu comentário! (sorrio). Fez boa viagem? (sorrio novamente). Forte abraço e muito obrigado!

Eliane, obrigado por seu forte comentário! Sua visita me alegrou e complementou o assunto, a postagem. Obrigado e um forte abraço!

Roberta Feijó, fico muito feliz que tenha gostado e que esteja freqüentando este blog. Muito obrigado e conto com você! Abraço!

Pelos Caminhos da Vida, o seu comentário veio a enriquecer este blog. Gostei muito de você ter compartilhado aqui as suas observações e até a sua experiência de vida. Um beijão para você e outro para a sua mãe!

IvanCezar, obrigado por seu comentário, obrigado por referir-se ao meu texto com tamanha generosidade. Fiquei muito feliz com as suas palavras. Valorizou o meu texto. Obrigado, amigo!

Flor Gyn, você ter comentado já foi um presente para mim. Muito obrigado. E que você tenha toda a sorte do mundo no amor. Abraço!

Laura, fico feliz que o texto tenha lhe “capturado”! Abraço e muito obrigado por vir!

HelaynePeresCardoso, acho que continuamos crianças. Lindo foi o seu comentário. Parabéns! Delicioso. Abraço e até breve!

Sulla Mino, obrigado por seu doce carinho, por sua atenção cuidadosa. Pode ter certeza que sempre será minha convidada para comentar meus textos. Forte abraço!

Claudia, obrigado por sua leitura atenta e sensível! O silêncio fala. Abraço e até breve!


Irene, seu comentário ficou ótimo. Essa vida não é fácil. Abraço e obrigado!

Fernanda Matos, sua contradição veio-me como um sermão, ainda que na contra mão, escapou-lhe o sermão. Sermão não! Sermão não! Riu, pois brinco, amiga. Abração e obrigado pelo sermão, digo, comentário. (sorrio).

Pérola, a jóia chegou, e seu comentário foi um presente. Muito legal você ter ressaltado a virtude da paciência! Você acertou em seu comentário como quem dá um presente e agrada em cheio, como acontece todas as vezes que você vem e demonstra o seu carinho e atenção aqui. Abraço e muito obrigado, amiga!

Espaço Compartilhar, muito obrigado por seu generoso comentário e pronta atenção. Abraço e tenha uma ótima semana!

Deni, obrigado por seu carinho e atenção! Tenha também uma ótima semana, um longo e agradável feriado e use este espaço para protestar à vontade. Viva do dia do banco de ônibus sem almofada! Viva! Abraço!

19 de abril de 2010 18:09  
Blogger Livinha disse...

Dois lados difícieis e em contra partida cobradores de lado. Um dependente, já no fim da vida, coitado, a seu próprio caso, subordinado. Ele abraçado aos limites impostos pelas desventura de assim haver se tornado, tentando no seu jeito meio escuso, um haver sem reparo.
-Por que não me deixar viver, da forma como desejo, se assim se faz o necessário? não quero me sentir uma criança, com uma babá do meu lado...
Nas chamativas da atenção, sem discurso e sem razão, ele se cala enrugando a sobrancelha a seu grado.
Não é fácil, do imperativo, torna-se um dependente numa mudança radical, em fim de idade.
Até o nobre Dr. sentiu-se enfadonhado, com tantos recites ao pé do ouvido, coagido a um preâmbulo esgotado.
O parecer foi dado, a situação aclarado. o Paciente por teimosia é claro, sempre agirá do contrário. Ele sabe, ele pode melhor que ninguém conhecer o seus limites, então que todos se calem e esperem o digerir da nova situação, afinal da noite pro dia, é difícil a transformação.

Meu amigo, belo texto descritivo, rico em detalhes, metafórico, suave, excêntrico. Acrescido de poesia, como proprio da vida, que nos ensina a remar, nas rimas da letargia...

Eu adorei.
Parabéns!

bjs
Livinha

19 de abril de 2010 18:52  
Blogger Chris... ჱܓ disse...

Olá!
Gostei do texto...
Realmente qdo idoso, voltamos a ser como criança...
Como no conto, ele voltou a dar os primeiros passos... Mas não voltou a ser como antes, indo e vindo sempre.
Apesar de que sempre recebia reclamação, se de pé, sentado ou deitado.
Coitadinho... rsrs
Gostei do conto... Nos faz pensar, meditar.
Como é a vida. O tempo... Tudo muda!
E passa...

Uma linda semana de paz!

Bjos mil...

19 de abril de 2010 20:00  
Blogger Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Jefh! Li o conto, muito bem coordenado e retrata fielmente o que ocorre atualmente com os nossos idosos. As conclusões que cheguei foram: 1ª) O velho já está puto da vida por estar sendo repreendido por todos e por tudo que faz. 2ª) Antes o velho não andava e a recomendação era para ele andar e não atrofiar; depois, não poderia andar só para não cair e se complicar mais, tinha que andar acompanhado; em seguida, foi repreendido porque não saia da poltrona, por tudo isso, concluí que o que o velho não queria mesmo, era a companhis da acompanhante. Rsrs.

Abraços e fique com DEUS.

Furtado.

19 de abril de 2010 20:04  
Anonymous INFETO disse...

Só não se dar jeito pra morte né?! Grande abraço e sucesso nas escriturações da vida!

19 de abril de 2010 20:36  
Blogger Caminhos do Turismo pelo Turismólogo disse...

São as limitações que a vida nos impõe. Felizes daquele que encotram profissionais como voce pelo caminho, que olhem o outro lado. O trabalho com os idosos requer sabedoria e sensibilidade.E vc teve. Parabéns!

19 de abril de 2010 20:59  
Blogger ♥Fabi♥ disse...

Enquanto lia me lembrava da minha professora do curso "Cuidador de Idoso" , ela sempre fala : " é muito importante ficar atento para que qualquer coisa em relação a mudança na rotina do idoso seja feita de modo menos desagradável o possível..."

Mas poxa , eu cá nos meus 18 anos( quase 19) de pura ignorância,me atrevo a pensar : " envelhecer é desagradável de qualquer jeito ..."

Bjos jefh e parabéns pelo post. ;)

19 de abril de 2010 21:27  
Blogger Jacque disse...

Oi amigo. Vim covidar pra ver meu novo vídeo no BLOG: SENTIMENTOS.
http://sentimentos-jacque.blogspot.com/

Beijo

Jacque

19 de abril de 2010 23:19  
Blogger Izidoro Azevedo dos Santos disse...

Você leva jeito para contista.
Prossiga, grande Cardoso. Dê tratos à bola e produza novas peças.
O conto retrata a vida, a costumeira incompreensão com os velhos (detesto esta coisa de "melhor idade" e babozeiras do gênero).
Tenho mais de 60 e também não gosto de ser excessivamente mimado ou de preocupações familiares que beiram à imobilização, para não dizer enclausuramento.
Amar não é fazer tentativa de inutilização total do que, de certa forma, está com seu tempo "vencendo", mas ainda não foi totalmente derrotado.
Ninguém pode esquecer-se de que, desde que somos concebidos, passamos a envelhecer e que, portanto, a cada dia, todos, eu disse todos, estamos mais idosos, independentemente de termos 20, 40, 60 ou 80 anos.
Agradeço tua visita no meu blog e espero que o leias também.
Um abraço forte.

20 de abril de 2010 04:59  
Blogger CANTOR MOISÉS VIEIRA disse...

My God, saber que um dia serei ancião, misericórdia kkkk. Abração.
Retribuindo sua visita.
visitem meu blog. www.cantormoisesvieira.blogspot.com

20 de abril de 2010 05:48  
Blogger Jornal da Lulu Teen - By Luíza disse...

Nossa vc escreve pra caramba!!!!! hehehe
bjnsssss
Luíza
http://jornaldalulutee.blogspot.com

20 de abril de 2010 07:31  
Blogger Ana Cláudia disse...

Fiquei com dó do pobre homem... nada pode ele fazer que alguém não faça terrorismo, falando que vai ligar pro doutor.

O conto é bacana, mas fiquei com aquela sensação de quero mais, como sempre! rs Contos me deixam muito curiosa sabe, por isso leio mais romances!

Bjo

20 de abril de 2010 09:59  
Blogger Cintia Liana disse...

Olá! Obrigada pela visita em meu espaço e gostei muito do convite de conhecer o seu. Parabéns pelo trabalho e sensibilidade. Só imaginava o olhar do ancião e como ele poderia tocar os que conseguem enxergá-lo. Um abraço.

20 de abril de 2010 10:57  
Blogger T@CITO/XANADU disse...

Nada como a velhice para nos fazer ver como ironica e paradoxal é a vida...

Belo Texto!

Vou deixar aqui um Hai Cai sobre a velhice.

" O cabelo branco.
No rosto a ruga, indisposto,
Segue o tempo manco."

Tácito

20 de abril de 2010 11:36  
Blogger Mary disse...

Olá, lembrei da minha vó ao ler esse texto, ela era muito teimosa e não obedecia ordens de ninguém. Tinha um bom humor incrível, gostava de contar histórias engraçadas, meus irmãos e eu adorávamos esse momento. Tenho um amor enorme pelos nossos velhinhos, eles são encantadores.
Obrigada por sua visita, seja sempre bem-vindo.
Um abraço

20 de abril de 2010 14:56  
Anonymous Meu deus! disse...

Entendo perfeitamente por que esse texto nao foi comentado nunca.

20 de abril de 2010 15:06  
Blogger Tânia regina Contreiras disse...

Meu amigo, seu texto é uma jóia, porque aborda, ao meu ver, um problema muito sério que vem com a idade: o respeito ao Ser que habita em cada um de nós, independenetemente da idade que tenhamos. Mais do que moletas, andadores, bengalas, quando a idade avança vamos precisando mais e mais de escuta, essa coisa cada vez mais rara. Nas entrelinhas da sua narrativa, nota-se que o sábio continua silenciosamente sábio, embora tratado como tolo. E precisa de escuta, muito mais do que de sermões.

Mas, enfim, quero te dizer que a sua escrita é envolvente e que é maravilhoso saber falar de coisas sérias com bom humor.

Agradeço de coração a tua visita, já te sigo e certamente continuarei a ler outras pérolas.

Grande abraço,

20 de abril de 2010 16:28  
Anonymous Anônimo disse...

Então eu acertei amado!!!Hua hua hua hua.
Obrigado pelo seu carinho também
Uma linda noite.
Beijokas.
Beijos da Pérola rsrsrsrsr

20 de abril de 2010 17:13  
Blogger Igor Michel ... disse...

Kra... belo texto.
Tenha uma opnião sobre o texto...
Sermões e conselhos, muitas das vezes eh muito importante e ajuda muito...
eu sou conselheiro nato..
e odeio... a cultura de quê conselho se fosse bom seria pago... essa eh minha visão.
Sem tira critério do texto... mais sim dos comentárrios dados.
Obrigado pela visita no meu blog... qualquer apoio, por mim eh bem visto.
Continue me acompanhando... adoro seus textos, e serei sempre um bom leitor...
Px.: naum sou muito de comentários. pq sou critico demais, mais sei que isso eh muito importante para nos escritores... intaum começara a me ver mais aki.
Ps2.: sou muito informal em comentários...kkkk" XD!

20 de abril de 2010 18:04  
Blogger Igor Michel ... disse...

Olá kra... Obrigado por sua visita no meu blog.
Estou aki para falar algo comun, mais que considero, e é de suma importancia para nos escritorees. Um simples comentário. Adorei seu texto. Muito bom mesmo. Soh não gostei de uns comentários aki. Exemplificarei. Eu acredito de muita importância para muitos um simples sermão ou conselho, ajuda muito, principalmente quando estamos errados. Eu simplesmente sou um conselheiro nato. faço isso direto em reto. E odeio do coração, a cultura de que conselho se fosse bom, se cobrava ou não se daria de graça. Para mim, isso eh exatamente equivocado, simplesmente pq haá excessões. Essa é minha opnião, que não fere de modo algum na qualidade do texto, e sim do que acho em ponto de partida de certos comentários,q na minnha opnião de ter sido zuando..kk sei lah... eh uma ideia minha, ignore se quiser. Muito Obrigado por sua vista no meu blog. E continue me acompanhando. ando sem tempo para postar... mais quando der ...vai tah lah...kkk.. eu continuarei a te acompanha... abração ae.
Ps.: não gosto muito de comentar por esse fato critico demais meu. Mas como vejo isso como algo de encentivo e de ser gostoso de ser para um escritor... estarei aki ...sempre que der.
Ps2.: sou muito informal em meus comentários...kkk.... XD!!

20 de abril de 2010 18:22  
Anonymous Anônimo disse...

Nossa!!!!!!!!!!!!! este texto retrata uma grande verdade, quando somos velhos nos tornamos crianças novamente e temos que receber sermão de nossos filhos, mas será que isso é o certo? Creio eu, que não. O que nos falta é a sabedoria de entender como uma pessoa idosa age, temos que nos colocar no lugar dele e ver o como ele vê, assim fazemos também com nossas crianças, a diferença está elas não sabem.Por isso ensinamos repetidas vezes e com paciência, porque não fazer o mesmo com o idoso, eu sei que ele já entende e sabe o que deve fazer, só temos que redobrar o carinho, amor, e principalmente muita paciência para entender a maneira diferente que eles nos dizem, podemos a té não concordar mas se tivermos paciência obteremos uma resposta, idoso não é um peso, um estorvo da familia pelo contrário é o ser mais sábio e amoroso que uma familia pode ter.E não se esqueça nós um dia seremos idosos também, portanto cuide bem do idoso que você tem em casa ou de amigo, pois um dia você esará na mesma posição.

20 de abril de 2010 18:40  
Blogger Fátima disse...

Olá Jefh , como vai tudo.
Sabe, esse senta...levanta...deita...não deita...chama...ai como chama...enche bem o saco , e faz com que a vida que já não está lá essas coisas e se esvaindo pelas mãos, fique ainda pior e sem sentido.
Mais vale dizer :se vier até aqui andando direitinho e acompanhado, vai ganhar um baita abraço.
- Sempre que seguir as recomendações do Dr Jefh, rsr, vou encher você de beijos. É disso que os nossos velhinhos precisam , muito carinho para irem se despedindo da vida com grande estoque de emoção e sentimentos para levarem em sua bagagem...

Beijo.

20 de abril de 2010 20:56  
Blogger Susan Lee disse...

Obrigada pela visita ao meu Blog. Também adorei o seu e já sou mais uma seguidora! E vamos em frente! Beijos.....

21 de abril de 2010 00:33  
Blogger Jeronimo Netto disse...

Parabéns, belo texto, e vou divulgar seu blog nos meus parceiros.

21 de abril de 2010 01:51  
Blogger Jose Sousa disse...

Passei por aqui e gostei do qe escreve. Vou ser seu leitor assiduo. conheça os meus blog's em: www.congulolundo.blogspot.com
www.queriaserselvagem.blogspot.com
Um abração e fique bem.

21 de abril de 2010 02:11  
Blogger ShAyLyNhA disse...

Andanças...
Essas andanças nos trazem cada surpresa.
Em uma de minhas andanças achei o "Áspera Seda", que bom que agora foi você que me achou e convidou-me à conhecer "O Sr. e o Dr.".
Referente ao seu conto fiquei encantanda com a história que me transportou diretamente para as cenas, gostei também da sua forma de colocar as palavras. Imaginei o olhar e o silêncio daquele ancião, que já devia estar cansado de contestar e resolveu acatar o que lhe foi dito. Pobre ancião, que confusão deve ter ficado em sua cabeça, ora pode andar, ora não pode. Mesmo sabendo que seria um tanto irresponsável deixá-lo andando sem acompanhamento, acho que ele preferia fazer suas coisas sozinho. Judiação!
Muitíssimo obrigada pela visita e pelo convite também.
Abraços ternos.

21 de abril de 2010 02:40  
Blogger José disse...

Muitas vezes não é o idoso que não faz nada certo, é mais quem está por perto, é nos lares, é alguns familiares, o que é triste mesmo é envelhecer, sem ter um carinho de ninguém.

um abraço,
José.

21 de abril de 2010 02:59  
Blogger Sílvia disse...

Temos sempre de encontrar a nossa maneira de mandarmos na nossa própria vida, mesmo que para isso recebamos sermões durante todo o tempo.

BEijo

21 de abril de 2010 04:58  
Blogger Pelos caminhos da vida. disse...

A coisa mais importante que você possui hoje, é o dia de hoje.

O dia de hoje, mesmo que esteja espremido entre o ontem e o amanhã, deve merecer total prioridade.

Só hoje você pode ser feliz...

O amanhã ainda não chegou... e já é muito tarde para ter sido feliz ontem.

A maior parte das nossas dores é fruto dos restos de ontem ou de medos do amanhã.

Viva o dia de hoje com sabedoria...

Decida como irá alimentar os seus minutos, o seu trabalho, o seu descanso...

Faça tudo o que seja possível para que o dia de hoje seja seu, já que ele lhe foi dado tão generosamente.

Respeite-o de tal maneira que, quando for dormir, você possa dizer: hoje eu fui capaz de viver e amar...

Hoje fui feliz!!!

Bom dia!

beijooo.

21 de abril de 2010 04:58  
Blogger La Gata Coqueta disse...

¡¡Extraordinario! Es un poquito de texto Amplio Pero ESO ha echo mal que interesante, que es acercarme Decirte Tengo placeres de la ONU que cada semana un Tus habitaciones.

Un abrazo de afecto

Marí

21 de abril de 2010 05:25  
Blogger Deby Dias disse...

- Oii Parabéns pelo seu blog muiiito legal, e a postagem também muito massa ^^,

Seguindo moço se cuida e um ótimo feriado pra vc também :*

21 de abril de 2010 05:36  
Blogger Juan Carlos Eberhardt disse...

hola hombre comun!!!
no entiendo el portuges ,pero quiero agradecer tu visita ,y va todo mi apoyo a tu blog
un abrazo

21 de abril de 2010 05:45  
Blogger Mariana disse...

A fase da velhice deveria ser algo divino e respeitado, pois nela há a experiência da vida, mas no Brasil mts são abandonados e despresados.
Quem tem um idoso q possa lhe ensinar e transmitir sabedoria é privilegiado.

21 de abril de 2010 06:28  
Blogger Isabel disse...

Muito obrigada pelo comentário.
Decidi passar pelo seu blog e gostei muito.
Um beijo

21 de abril de 2010 06:40  
Blogger L. Rafael Nolli disse...

Opa! Bacana o texto! Gostei. Vim direto do blog Poema Dia. É isso, abraços.

21 de abril de 2010 07:18  
Blogger LUCAS TITO disse...

Foi um prazer conhecer teu blog. O conto é de fato envolvente e interessante! Que dilema para o velhinho! hein!

Sucesso,

Lucas Tito
http://aprendizdacruz.blogspot.com

21 de abril de 2010 07:47  
Blogger La Gata Coqueta disse...

Es un texto un poco extenso pero a la vez esta escrito con el corazón.

Cada vez que me acerco a esta tu casa y te leo tengo la sensación que al otro lado de la pantalla hay una persona que ama la vida con ilusión y alegría algo que no se percibe muy frecuentemente por los espacios.

Si esta entrada ya debuto en otro tiempo y no ha sido aplaudida, queda claro que no fue leída por las personas adecuadas como sucede en este caso.

Así que en este momento te felicito por volver a sacarla a la luz y regalarnos este rato tan agradable.

Un abrazo para ti y hasta otro momento.

María del Carmen

21 de abril de 2010 09:58  
Blogger Daniel disse...

Saludos.

Como dije, estaría encantado de publicar sus escritos en mi Blog. Crearía un gadget de listas para poner dichos textos como enlace, en el que se destaque claramente su autor, además de escribirte en cada una de esas entradas como el escritor. ¿Te parecería bien?

Gracias por tu atención, me halaga mucho que quieras que te publique en mi Blog.

PD: Le mandé éste mismo mensaje al email, quizá no le ha llegado o está en correo no deseado.

Un Cordial Saludo.
Daniel Herrán

21 de abril de 2010 10:36  
Blogger Daniel Costa disse...

Contas muito bem e um género literário de que gosto, entre outros, é de contos.
Curiosamente, na blogosfera não abundam, eu que me inciei foi como contista, perdi o ritmo no jornalismo. Passei a obras de livro e à poesia, contudo não perdi o gosto de ler os contistas. Confesso que tratas bel o assunto.
Abraço
Daniel

21 de abril de 2010 11:37  
Anonymous Anônimo disse...

Segue? http://nossadiversidade.blogspot.com/

21 de abril de 2010 12:18  
Blogger Canteiro Pessoal disse...

Interessante seu cantinho e com qualidade literária. Degustativo seu conto e reflexivo, mas não vomitarei muitas palavras por aqui no momento, pois estou de saída. Mas, com certeza retornarei com sabor e expressão literária. Apenas, exprimo: Cada vivente divagando por olhos à procura. Do dentro que fala e viventes não escutam. Poucos se atrevem nesta sina, como amadurecimento. Um olhar por leitura do que está por trás. Cada vida com sua sina, faz-me pensar no mais. Porque a vida fala e não se escuta. Nisto, muitos racionais pronunciam: - A vida já não me fala! E nas ânsias negras do pensamento, não se clama o pedido para romper o mar com a voz. Para partir o ar com a dança e deixar-se tocar de dentro, onde não há tocado nada. Pois, conduz um vivente a refletir ao encontro, precisamente, [re] encontro por dentro.

Abraços e paz!

Priscila Cáliga

21 de abril de 2010 13:17  
Blogger Adriano Vinícius disse...

Bacana seus textos, profundamente verdadeiros e imbuidos de uma sensibilidade tocante. Fico feliz que tenha entrado no meu blog, e estarei te acompanhando daqui pra frente. Sucesso sempre. Abraço.

21 de abril de 2010 13:25  
Blogger Observando e Absorvendo disse...

Passei pra te ler, pra dizer olá
e pra convidar pra conhecer esse espaço meu ainda em construção.

Vou adorar te ver por aqui também.
Bjins entre sonhos e delírios

21 de abril de 2010 13:39  
Blogger Lu Dantas disse...

Oi, Jef. Vim retribuir a sua visita, viu! Gostei do texto. Na verdade, acredito que tudo depende da intenção.

Bjs

21 de abril de 2010 14:35  
Blogger Amós Barros Web Designer disse...

Envelhecer é bem complicado.
Muito o texto, parabéns!!


http://amosbarros.blogspot.com

21 de abril de 2010 15:07  
Blogger Kim Sousa disse...

Ola meu amigo Jeff...desculpa a demora...a explicação está no meu blog...da uma olhada lá depois...

Bem...tava com saudades daqui...havia esquecido o quão bem vc escrevia, suas histórias são sempre boas de se lê...

Abração...ótimo feriado...

21 de abril de 2010 15:09  
Blogger Pelos caminhos da vida. disse...

MOMENTO DE AGRADECIMENTO.

É muito gratificante cada vez que abro a página do meu espaço e encontro meus amigos por aqui.
Cada visita, cada comentário, mesmo que seja um simples OI me dá uma satisfação grande em continuar abri-la diariamente.
Vocês enriquecem meus dias.
Me esforço a cada dia para somar emoções com vocês, e as vezes nem respondo à altura.
A quase dois anos de blog, cresci muito, aprendi muito, devo isso a todos vocês meus amigos e seguidores.
Não importa o sexo, religião, valores e sim a dedicação diária em comentarem no blog.
Tenho um respeito enorme por vocês.
Obrigado por vocês existirem.
Obrigado a todos vocês amigos e seguidores que votaram no meu blog. Se ele chegou até aqui devo tudo isso a vocês.
Obrigado por vocês caminharem junto comigo "Pelos Caminhos da Vida".
Vamos aguardar a próxima votação.

Ana.

Fiquem com Deus.

beijooo.

21 de abril de 2010 16:04  
Anonymous Anônimo disse...

Beijokas meu lindo.
Fica com Deus.

21 de abril de 2010 16:39  
Blogger Liila disse...

Desculpe a demora em vista-lo, estava eu sem internet...sniffff
Agora tudo perfect, menos a falta de senso de humor do pobre velhinho...antes tratar o seu essencial do que o caminhar, não acha???
Amei o texto e amei conhecer o Sr. e o Dr.
Bjs

21 de abril de 2010 17:05  
Blogger legalmente loira... disse...

jef querido,
adoro receber seus recados la no meu cantinho são muitos enriquecedores e deliciosas de le-los.
amigo ja falei sobre este seu texto e afirmo é genial.
bem eu tenho o muito o que falar mas hoje vim te ver (feriado com a familia do sogrão toda reunida muita gente da um cansaço geral rsrsrs)
ja fui até as fotos e adorei voceis estão lindos e vc heimmm so pertinho dela hahahaha que coisa boa.
eu vou postar comentarios la esta bem!
hoje não esta semana.
ja fui a dois show dela e amei.adoro música sou suspeita rsrsrs.
mas você veio bem perto de minha cidade que é marília.
ribeirão eu adoro estou sempre pela cit meu filho mora la olha so.
e quando vier de novo venha nos visitar é so avisar porque estou sempre viajando hahahaha
mas sera um prazer.
amigo você é meu escritor superlativo e como hehehehehe.
ah esta faltando me seguir tadinha de mim rsrsrsrs ja viu quando seguidores eu tenho snif nossa como é dificil a gente tenta e tenta logo eu que sou tão simpatica kkkkkk super brincadeira heimmmmm.
esta semana vou colocar aquele poesia sua lembra?? com muito carinho.
meu abraço fraterno da amiga rita.
bjos.

21 de abril de 2010 17:12  
Blogger cantinho she disse...

Oie! Pôxa quem não leu da outra vez até o fim perdeu um texto magnífico... gostei de ler, embora tenha me trazido recordações tristes.
Os meus avós paternos morreram com Mal de Alzheimer, enfim me fez lembrar um pouco... dia 24 agora só faz 4 meses que a minha avó se foi, deu dor no coração, mas já passou, afinal c'est la vie!
Bjo, bjo! ;)

21 de abril de 2010 18:02  
Blogger Antônia Maciel disse...

Quero sentir sempre
PACIENCIA
MUITO AMOR
porque não sabemos o que estamos fazendo, só encontro respostas é neste espaço que é o agora.
Assim encontro o outro.
abraços
Sucesso

21 de abril de 2010 18:20  
Blogger L.N.J. disse...

Besos.

21 de abril de 2010 18:21  
Blogger jefhcardoso disse...

A desventura de assim haver se tornado... quão desventurou o futuro ao descortinar-se. E quem é que sabe como será o futuro? Todos acreditam em um futuro melhor que os do presente, porém negam, e assim mentem.
Obrigado, Livinha por seu delicioso comentário. Na verdade eu ganhei uma crônica do conto. E que crônica magnífica, poética, lírica... Abraço do Jefhcardoso e até!

Chris... a vida vai passando e quando vemos... tudo mudou. (sorrio amigavelmente).
Obrigado por seu carinhoso comentário, minha amiga!

Rosemildo, estou aqui rindo do seu espirituoso comentário. Gosto muito quando vocês, meus amigos, aqui comentam e me alegram com a energia de suas palavras. Grande abraço e um ótimo feriado, amigo!

Infeto, já dizia o sábio: “A morte é o único mal irremediável”. Abraço amigo e sigamos.

Turismólogo amigo, lembro que o conto, na verdade é uma criação baseada em alguma situação cotidiana, mas há muito de invenção ali. Se bem que a pessoa que me inspirou em criar o conto é mesmo uma figura rara. (sorrio). Abraço, amigo, e um ótimo feriado!

Fabi, quer saber, envelhecer não é nada agradável. Eu cá com meus 36 já sei bem disso; não por minha idade, mas pelos séculos de vida que tenho presenciado com minha Fisioterapia.

Jacque, obrigado por lembrar-se de mim. Obrigado por seu convite. Irei sim, posso demorar um pouquinho, pois estou de plantão no hospital e isso toma todo o meu tempo, mas irei sim. Mantenha o contato e se ver que estou demorando demais não deixe de vir me convidar novamente. (sorrio). Abraço e ótimo feriado pra você!

Izidoro, com todo o respeito e admiração que me arrancou de imediato, quero dizer, ratificando o que você já disse, que é isso mesmo; envelhecer é todos os dias e a terceira idade é apenas mais uma fase inevitável a quem vive. Abraço e muito obrigado por seu comentário!

Cantor Moisés, todos, todos seremos. (sorrio). Abraço e obrigado por sua tenção e carinho em vir!

Lulu Teen, eu gosto muito de escrever. (sorrio). Abraço e obrigado por sua atenção!

Ana Cláudia, essa sua vontade de ler mais me deixou com uma baita vontade de escrever mais. (sorrio). Muito obrigado por sua atenção e delicioso comentário! Abraço!

Cintia Liana, obrigado por sua atenta e sensível leitura em meu conto. Um grande abraço e tenha um ótimo feriado!

Tácito, é isso mesmo amigo; o tempo e suas mancadas. (sorrio). Obrigado por seu carinho e atenção, amigo!

Mary, obrigado por seu comentário, e obrigado por comentar algo de sua intimidada familiar. Fico feliz que o conto lhe tenha trazido estas lembranças que tanto nos ensinam. Abraço e tenha um ótimo feriado!

Meu deus!, fico feliz que tenha expressado a sua opinião. Espero lhe ver mais vezes nesta casa. Obrigado!

Tânia, que delícia de comentário você deixou em meu conto. Que o sábio continue sábio, ainda que em silêncio! (sorrio). Espero lhe ver aqui muitas outras vezes e espero corresponder as suas expectativas. Grande abraço e tenha um ótimo feriado!

Pérola, você sempre acerta. Não há como errar sendo tão meiga e sincera como você é todas as vezes que te leio. Abraço e beijos para você! Tenha um ótimo feriado!

Igor, sua crítica só vem a enriquecer este espaço. Fique totalmente à vontade para expressar a sua opinião. Mesmo que se posicione contrariamente a algo que eu diga você sempre será muito bem vindo e seus comentários muito apreciados, amigo. Forte abraço e quer um conselho? ... (sorrio). Brincadeira!
Bem, e publico os dois comentários, mesmo percebendo que um foi preparação para o que seria, pois percebi particularidades em cada um. Muito obrigado, amigo!

21 de abril de 2010 20:44  
Blogger jefhcardoso disse...

Lu Saldanha, é mesmo uma fase difícil esta da terceira idade; ficamos cheios de tutores, mas me parece ser um fato natural e inevitável. Coisas da vida. Mesmo os idosos que conheço, que são tratados com o maior carinho, acabam vivenciando alguma situação como a que fora retratada neste conto, que foi baseado em fatos reais.
Obrigado por seu lindo comentário. Suas palavras enriqueceram muito a minha postagem. Abraço!

Fátima, às vezes é o carinho desmedido que leva ao cuidado excessivo, ou às vezes são as bases das relações que revelam muito mimo, muita criancice, enfim o conto é muito mais uma brincadeira com coisa séria, do que outra coisa. (sorrio). Abraço e obrigado por seu comentário, amiga minha!

Susan Lee, sou eu quem agradece por seu carinho, apoio e atenção. Sigamos. He ho, let’s go!

Jeronimo Neto, muito obrigado por sua atenção e por este apoio declarado. Amigo, com este tipo de atitude eu um dia serei o meu sonho. (sorrio). Abraço!

Jose Sousa, obrigado por sua visita e conto com as suas leituras nesta casa. Obrigado pelo convite a conhecer os seus blogs. Será um grande prazer. Abraço, amigo!

ShayLyNha, que bom que minha andança lhe trouxe aqui! Obrigado por sua atenta e carinhosa leitura em meu conto; obrigado pelo que compartilhou! Ternos abraços!

José, você tem toda razão quando diz que triste mesmo é envelhecer sem ter o carinho de ninguém. Essa seria sem qualquer dúvida a face mais triste da velhice. Abraço, amigo e obrigado!

Sílvia, é isso aí. Temos que nos adaptar sempre. E que venham os sermões! (sorrio). Abraço, querida amiga!

Pelos Caminhos da Vida, a vida é agora, e não deixe para depois, pois... Abraço e muito obrigado pelas belas palavras!

La Gata, estoy feliz de que ha gustado mi historia; esta historia y mi blog viven otro momento. Ahora soy un hombre rico, porque tengo más amigos que antes. Siempre he sido un apasionado de la vida. Estoy muy feliz y honrado cuando llegue aquí. Abrazo de cariño.

Deby Dias, muito obrigado por seu carinho, atenção e apoio ao meu blog. Abraço e se cuide também!

Juan Carlos, gracias por su apoyo y atención! Gran abrazo!

Mariana, o país que respeita os seus idosos é um país culturalmente e humanamente mais rico. Abraço e muito obrigado por seu comentário!

Isabel, fico feliz que tenha vindo e gostado do meu blog. Espero lhe encontrar aqui outras vezes. Abraço!

L. Rafael Nolli, obrigado por ter vindo e que bom que gostou do texto! Abraço e até breve!

Lucas Tito, os idosos vivem situações realmente emblemáticas. (sorrio). Foi um prazer receber o seu comentário, espero ler outros aqui. Grande abraço e sucesso pra ti também!

Daniel, muchas gracias! Estoy enviando. Un abrazo!

21 de abril de 2010 20:44  
Blogger jefhcardoso disse...

Daniel Costa, fico honrado com tuas palavras. Conto com suas leituras, amigo. Forte abraço! Espero escrever de maneira a valer o seu tempo empreendido em ler.
Daniel, muito bonita essa história de amizade, poesia, depoimento e Orkut... não há como uma relação de diálogo ser mais contemporânea. Incrível esse fenômeno da comunicação que nos permite conhecer tantas pessoas e sem sequer sair do lugar, sem nem mesmo dia raiar, como ocorreu as 5 da matina. Parabéns, amigo! Somos mais ricos cada vez que expandimos o nosso mundo.

Anônimo, agradeço por seu convite. Seguirei. Abraço!

Priscila Cáliga, se quando de saída você me deixou este magnífico comentário, quero imaginar o que me deixará quando vier para ficar comentando sem pressa. (sorrio). Muito obrigado por suas palavras, por compartilhar e por seu carinho. Abraço de paz.

Adriano Vinícius, feliz fiquei eu por você ter vindo, comentado e gostado, amigo. Contarei com sua atenção e lhe desejo tudo de bom. Abraço!

Observando e Absorvendo, obrigado por sua atenção e por convidar-me. Abraço e até breve!

Lu Dantas, obrigado por vir e compartilhar a sua opinião. Conto com você para continuar a postar. Ok? Abraço e até breve!

Amós, obrigado por sua atenção, amigo. Grande abraço!

Obrigado Kim! Senti a sua falta aqui, amigo. Também tenho andado em falta com os blogs amigos. Abraço e irei lá ver o que houve!

Boa sorte Ana, e quero saber o resultado. Abraço!

Pérola, amém. (sorrio). Que você fique com Deus também. Abraço!

Liila, que bom que amou o meu O Sr. e o Dr.! Eu também gosto muito deste texto e estou muito feliz que você tenha vindo e depositado aqui o seu carinho. Abraço!

Rita, defina para mim (sorrio): como é ser um escritor superlativo? Linda, obrigado por seu convite; considere-o aceito; e que legal você ter um filho morando em Ribeirão, eu amo aquela cidade e tenho muitos familiares ali. A Adriana foi muito agradável, até levou alguns textos meus para ler na viagem. Só não sei se leu. (sorrio). Conte com minha atenção ao seu blog, querida. Abraço e muito obrigado pelo quanto tem me agraciado com a sua amizade. Quanto ao meu conto: será uma honra.

She, toda vez que leio o seu apelido de blog eu me lembro da música do Green Day. (sorrio). Sinto por seus avós. A chaga pela perda de sua avó é ainda muito recente. Lamento se a leitura lhe causou dor. Agradeço a sua atenção e carinho e sigamos, pois a vida é feita de fases e o fim é mais uma delas. Abraço!

Antônia, obrigado pelas palavras e pelo carinho. Que a vida seja boa agora e sempre. Abraço!

L.N.J. , gracias. (sorrio).

21 de abril de 2010 20:45  
Blogger Tati Rodrigues disse...

Éééé... dizem q qdo a gente envelhece vira criança novamente e é fato... levar sermão, andar acompanhado, não rir das piadas dos adultos hahaha... muito bom o texto Jeff... e parabéns pelo crescimento do blog, estás a fazer sucesso amigo... haha

beijos guri, bom restinho de semana!

21 de abril de 2010 20:47  
Blogger Rejane-Enajer disse...

Jefh, desculpe-me se não faço algum comentário cabível em algum poema .Poetizar confesso, é uma praia que eu me afogaria.Eu invejo muito a capacidade de vocês, pois o poema, (como bem diz você :"só fiquei livre desse manto sufocante e frio da dor, pelos minutinhos em que me ocupei de construir estas frases jogadas ao papel" )é uma maneira de se fazer uma bela catárse nas dores da alma.

Obrigada pelas visitas e uma boa semana para você.
Um abraço!

22 de abril de 2010 05:10  
Blogger Rejane-Enajer disse...

A grande importânica de um conto como esse, é provocar no leitor uma reflexão acerca das limitações do idoso.Pobre coitado desse ançião!!belo conto!! nessa praia já posso respirar sem me afogar(rsrs)
Um abraço!

22 de abril de 2010 05:32  
Blogger Jana disse...

Muito obrigada pela visita carinhosa ao meu blog... E, também, pelo convite a conhecer este conto... Me fez lembrar daquela passagem bíblica que diz mais ou menos assim: "quando eras jovens, tu te cingias e ias por onde querias; quando fores velho, outros te cingirão e te levarão aonde não queres...". Gostei muitíssimo!!! Com calma, vou ler as demais postagens, ok? Grande beijo.

22 de abril de 2010 05:46  
Blogger Solange disse...

obrigada pela visita meu querido..
aposto que se o ancião andasse como deveria, acompanhado e tudo mais, também levaria um pito..rs

gosto de seus contos, são como abrir um champagne..todos esperam, ávidos, o estouro final, pra depois se deliciarem com o conteúdo..

bjs. Sol

22 de abril de 2010 06:19  
Blogger Flor Gyn... disse...

adoreii o texto...muito lindo..mas tadinho do ancião..em tudo leva sermão. rsrsrs adorei muitoooo........

22 de abril de 2010 06:21  
Blogger Flor Gyn... disse...

háa quanto ao meu, sim com certeza alguém perdeu sim esse amor que eu tinha, mas sabe, Deus está a frente de tudo, até mesmo das decepçoes.bjuuu meu amigoooo.

22 de abril de 2010 06:23  
Blogger Manifesto Interno disse...

Eh Jefh, os tempos são outros e vc recebeu muitos comentários dessa vez, o meu é dispensável, porém, tornei-me sua seguidora, porque gosto mesmo do jeito como vc escreve, já havia falado sobre isto, e continuarei para aprender, acho difícil escrever contos, crônicas, me acho melhor na poesia,

Prazer em vir aqui! Abraço fraterno,

Ester.~

22 de abril de 2010 06:24  
Blogger Fátima disse...

Olá querido Jefh !
Você é muito fofo, gentil em suas respostas aos comentários, isso faz muita diferença.
Entendo que a proposta é falar de coisas sérias com pitadas de humor, e eu adoro, viu!
Obrigada pelo carinho.
Beijo.

p.s.: em relação ao seu P.S. acima, olha o tanto de comentários...delícia né.

22 de abril de 2010 06:44  
Blogger Eduardo Acacio disse...

Ótimo conto ... Coisas da Idade ... !!!

Parabéns !!!

E obrigado pela honra de sua visita ao meu blog !!!
http://porqueeucorro.blogspot.com/

22 de abril de 2010 06:49  
Blogger Eurice disse...

Jefh.
Li com atenção esta história que eu Teide que se traduzem em que não ler ou escrever Português, mas eu acho que capturou a essência cuidadosamente. Eu sou uma enfermeira e viveram para a minha profissão, muitas destas circunstâncias.
Um prazer ler você, mas com a ajuda de um tradutor, eu acho que eu entendi perfeitamente. A natureza das doenças neurológicas está complicada para o paciente e para a família, mas todos os ursos, com paciência e carinho.
Um abraço e prazer em lê-lo novamente.

22 de abril de 2010 06:52  
Blogger Paulo Braccini disse...

muito triste isto ... as pessoas se esquecem que um dia também estarão na mesma situação ... suplicando carinho e compreensão e só recebendo sermão ...

bjux

;-)

22 de abril de 2010 07:16  
Anonymous Anônimo disse...

Oi...Jefh...estava em falta com você...mas...
Adorei seu texto...
Deve ser difícil mesmo viver a vida toda saracotendo de motoquinha pela cidade...e depois de alguns anos precisar passar para a guarda dos descendentes...
Sei que existe coisa pior que isso...mas mesmo assim...deve ser um duro aprendizado esse...
Adorei a sua constatação em...
"com a cabeça inclinada para o lado e o ângulo da sobrancelha levantado, pareceu-me ter concordado"...
E o que dizer desse outro trecho...
"Pois é, se toda brincadeira tem mesmo seu fundo de verdade, meu novo amigo ancião continuará recebendo sermão, por ficar de pé, deitado e certamente quando sentado."...
Difícil envelhecer...tomando tanto sermão...será que é verdade que viramos bebezões ao envelhecer???

Muitos beijos e parabéns...
Leca

22 de abril de 2010 08:07  
Blogger Adrisol disse...

hermoso texto que merece ser aplaudido de pie!!!!
gracias por sacarlo a la luz..

abrazosss

22 de abril de 2010 08:12  
Blogger Tétis Burlamaqui disse...

Meu Deus do Céu, que blog mais badalado! rsrs
O seu texto me surpreendeu no desfecho. Achei que iria acontecer algo extraordinário mas você tocou num ponto tão óbvio e simples que muita gente acaba mesmo sem enxergar. Muito sensível! Um abraço!

22 de abril de 2010 08:14  
Blogger María Jesús Verdú disse...

Un placer visitar tu blog. Gracias por pasar por el mío y comentar

22 de abril de 2010 09:17  
Blogger M.Barth disse...

Já tentei ser fisioterapeuta, entrei na faculdade e tudo mas não deu pra mim, meu sonho era trabalhar em países miseráveis. Hoje eu faço design, e quero ajudar o planeta com projetos sustentáveis.

Espero que vcs, profissionais da saúde jamais esqueçam-se dos seu sonhos quando optaram por tal profissão, nós precisamos de vocês!

22 de abril de 2010 09:26  
Blogger Tiêgo disse...

Seu blog vale cada palavra que eu comento. Adorei! O conto tá impecável! Amei!

Abraços ;)

22 de abril de 2010 09:48  
Blogger Isabel disse...

Eu visitarei :)
Muito obrigada pelas palavras.
Um beijo

22 de abril de 2010 11:00  
Blogger Uinnie disse...

Eu adorei o texto meu querido, PARABENS!!!
Voltarei sempre.

22 de abril de 2010 11:45  
Blogger Mary disse...

Fazia tempo que não lia um bom texto como este,parabéns...

22 de abril de 2010 11:57  
Anonymous Anônimo disse...

Olá, não disse que voltaria??

Então ...

Adorei, a verdade é que quando envelhecermos valtaremos a ser ciranças novamente.Porque os nossos filhos nos tratarão como crianças.E como já diz uma letra da Música O Caderno de Toquinho: " ...Só peço a você um favor se puder, não me esqueça num canto qualquer ..." . Na verdade é exatamente isso o que queremos quando envelhecermos, que não sejamos abaandonados por quem demos a vida ,mesmo levando alguns sermões dos nossos filhos.

Isso por que nem tenho filhos e não sou velhinha, mas quando eu for eu velhinha, bem velhinha, quero isso: Cuidado, amor e atenção. Agora sermão não !

Bjsssssssssssssssssssssssss

22 de abril de 2010 11:57  
Blogger Sissym disse...

Jeff, muito obrigada pelo convite à leitura.
Quando li o que narrou fiz uma viagem mas não tão longe assim. O avô de meu ex-marido foi um grande médico que de repente tudo mudou na sua vida com o Mal de Azheimer que começou, felizmente, tardiamente, dando-lhe tempo, ainda no início da doença, continuar tratando alguns pacientes que confiavam em suas habilidades. Até o dia que dos médico ele passou a precisar, deixando de ser DR para ser SR até os fins do seu tempo na terra.

Beijocas

22 de abril de 2010 12:08  
Blogger EDUARDO BARROS disse...

Obrigado por me vistar e deixar algo la pra eu ler, seus comentários são bem melhores do que ficar ouvindo bobagens aqui embaixo do prédio.
ah! eu tenho um blog espírita se vc quiser passar la pra dar uma olhadinha.

http://blogespiritualizado.blogspot.com

Abraços e muita luz no seu caminho...Paz!

22 de abril de 2010 12:26  
Blogger Daniel disse...

Hola, Jeferson.

Ya he colgado tu relato en mi Blog, le he hecho antes unos arreglos que el traductor no logró traducir. También he corregido algo de ortografía y "reparado" algunas oraciones para que tuviesen pleno sentido en castellano.

Te dejo aquí el link de la entrada:
http://durilan.blogspot.com/2010/04/el-jardin-de-la-muerte.html

Y gracias de nuevo por enviarme el relato, estoy muy halagado de que quieras que publique cosas tuyas en mi Blog. Me tienes a tu disposición para todo lo que necesites.

Un Abrazo.
Daniel Herrán.

22 de abril de 2010 13:34  
Anonymous Anônimo disse...

Jeff,um conto bem divertido por trás de todo sofrimento do personagem!O idoso realmente é sempre tratado como uma criança,se adoece está perdido porque alguns não se conformam por não ter a mesma agilidade de antes!Triste,mas no ponto certo!Adorei!

22 de abril de 2010 13:42  
Anonymous Anônimo disse...

Oi "vizim", como sempre li seu conto e adorei, apesar de tantos comentários (bem diferente da primeira vez heim) também gosto de dizer o que pensei enquanto lia seu conto,tem um filme "Cidade dos Anjos" onde o ator que faz o papel de anjo pede a moça que descreva as frutas e quando ela o faz todos sentimos até mesmo o gosto, assim são seus contos nos fazem sentir como se estivessemos lá, como se fosse parte de nós.
Obrigada por isso

Aline Moraes

22 de abril de 2010 13:47  
Blogger MAR disse...

Hey tuve la paciencia porque era bien largo tu post!!! al leerlo llegue a la conclusión de que sin importar la edad cada cual puede hacer lo que quiera con su vida.
Besos y cariños para ti.
mar

22 de abril de 2010 15:27  
Anonymous Anônimo disse...

Gostei muito mesmo!
Quando é que sai o livro mesmo?
Bjs.

22 de abril de 2010 15:42  
Blogger DíH disse...

Oiee..
Tudo bem?!
obrigada pela visita ao meu blog, e principalmente, pelo convite a uma leitura tão agradável.

Gostei muito.. virei sempre para me deliciar nas suas palavras!

Bjinhoss
Dih Nascimento

22 de abril de 2010 17:23  
Blogger *May Lopes disse...

Mt bom!
Quando sair o livro já sabe neh?
Quero saber...
=)

22 de abril de 2010 17:26  
Blogger Carol Lina disse...

Sempre pensei que eu era a única que ficava triste com textos pouco comentados! heheeh

Não lembro em que filme uma mulher falava com o sogro como se ele fosse uma criança. Ele, então, olhou para ela e disse: "Sou velho, você precisa falar alto porque eu não escuto, mas não sou idiota"... Seu conto me lembrou dele!

22 de abril de 2010 17:46  
Blogger João Mario disse...

Que chato ter que comentar depois de 104 pessoas, pois há muita sensibilidAde franca. Tú és um escritos e estou à sua caça. No bom sentido. Longo, porém contundente.
Um abraço
João Mario

22 de abril de 2010 18:06  
Blogger Vampira Dea disse...

Nossos ciclos,a vida de um homem é um circulo e tem um momento esse descrito no seu texto no qual somos tudo e ao mesmo tempo nada... Parabéns.

22 de abril de 2010 19:27  
Blogger Jean Valjean disse...

Rapaz, um texto muito bonito e triste. Me fez pensar sobre o declínio da vida, mas também sobre o papel da solidariedade. Algum teólogo - já não me lembro qual - disse que Deus visita a criatura pela criatura. É bem por aí.
Olha, para um texto que na primeira vez não foi comentado, ou mal foi comentado, o Ibope aqui mostra a sua força, hein?
Parabéns!

22 de abril de 2010 20:17  
Blogger marcelo dalla disse...

Olá rapaz!!!!
Excelente conto para reinaugurar o blog. Gostei muito. Se me permite um crítica construtiva: tenho deficuldade de ler blogs com letras brancas e fundos pretos, elas embaralham minha visão...
De qualquer forma, já virei freguês!!!
grande abraço e muito prazer!

22 de abril de 2010 20:43  
Blogger Chá das Cinco disse...

Olha,depois dessa!
Pensei como me sentira, me reportei no tempo, me coloquei num futuro bem distante.
Confesso que me assustei, me senti presa num corpo que não condiz com a minha mente.
Sei lá, nem vou escrever mais nada.

Parabéns!

Um grande abraço amigo
Gemária Sampaio

22 de abril de 2010 21:22  
Blogger Sônia Silvino disse...

Tadinho do velhinho!!!
Vim conhecer o seu blog e te sigo, amigo!
Convido você a conhecer os meus outros blogs. Ficarei muito feliz!
Bjkas, muitas!

22 de abril de 2010 22:13  
Blogger Poetiza disse...

Jef, un placer leer tus letras. Te dejo saludo y beso amigo, cuidate.

22 de abril de 2010 23:58  
Blogger La Gata Coqueta disse...

Una palabra
y la visita
de cada día.

Emociona
y nos acerca
un poco más.

Brotando cada
fin de semana
para despedirla

Una poesía
suave melodía
para ti pensada.

María del Carmen

23 de abril de 2010 00:20  
Blogger Marcia disse...

oi Jefh,
valeu apena reeditar; normalmente os nossos primeiros posts ninguém os lê. Mas trata-se de quase um documentário de como é difícil a vida de um anciao. Precisamos muito ter paciência e amor com os desta idade, a sua mente já nao é mas a mesma, gradativamente perde-se o interesse da vida, o corpo já nao é mais o mesmo, enfim. E se nao morrermos, ficaremos assim.
Valeu pelo convite.
Fique com Deus e beijos.

23 de abril de 2010 00:45  
Blogger GRAÇA disse...

Está vendo como a vida é!na altura não teve nenhum comentário agora eu sou a 107,a vida dá muitas voltas.....
Adorei o seu conto ,é real!!!
Quando se é velho tense as suas manias?abitos?costumes?teimosia?e um finito de defeitos...
Não se devia de envelhecer"eu digo isto desde os meus 5 anos foi a 1ª vezes que me confrontei com a morte e a minha reação foi essa porque as pessoas tem que envelhecer????"
Não seria nesseçario chegar a tanto.....
Que pensas sobre isto????
Bjs e bom fim de semana
Graça

23 de abril de 2010 03:05  
Blogger Leci Irene disse...

Bom dia,guri! Sou visitante assídua, porém, acho que nunca comentei texto nenhum seu. Não me considero na lista dos "capazes" de fazer isto,pois bvc escreve divinamente! Qto a este texto, eu que convivo com meus pais em idade avançada e eu quase chegando lá, posso confirmar que realmente a gente tende a tratar nossos idosos como crianças... Dificilmente a gente pergunta o pq de não seguirem ordens médicas...

23 de abril de 2010 04:00  
Blogger Léo Santos disse...

Penso diariamente em como deverão ser os meus dias de velhice... Tomara Deus que sejam agradáveis!

Um abraço!

23 de abril de 2010 05:36  
Blogger IT. disse...

Oi! Jeff.

Sou visita, e serei breve com as palavras.

Há,por vezes, pontos de vistas a serem considerados, mediante fatos como estes,que descrevestes tão bem. Tentaremos fazer todos os papéis; família,médicos e sobretudo, o idoso. A essência é; Amor, paciência,
dedicação, carinho.Enfim, é a ordem naturaL,
envelhecer é inevitável.

Um olhar de admiração ao Jeff

23 de abril de 2010 06:17  
Blogger João Mario disse...

Acho que não suportaria a velhice, exatamente por esta dependência inevitável e ridícula a que os vovôs geralmente são submetidos. Quebrem-se as pernas, mas não firam a alma de ser humano algum.
O conto é bem escrito, interessante e adorei estar por aqui. Voltarei sempre.
um abraço
João Mario

23 de abril de 2010 07:16  
Blogger Bianca Feijó disse...

Pois é...fiquei com a sensação que já tinha lido esse texto.
É bastante instigante!

BEIJOS

23 de abril de 2010 07:46  
Blogger John disse...

Muito legal. Adoro ler e escrever. Não escrevo muito bem e tenho um estilo que não agrada a todos, mas fazer o que? :p

Queria eu ter mais de 600 incentivadores e receber mais de 100 comentários.. hehehe...

Você está de parabéns! Ótimo trabalho.

Até mais! o/"

23 de abril de 2010 07:51  
Blogger Rosa Carioca disse...

Obrigada pela visita. Gostei muito do texto. Mas deixou-me um pouco melancólica. Não deve ser nada fácil, depois de uma vida activa, ter que depender sempre de alguém...

23 de abril de 2010 08:01  
Anonymous Anônimo disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog Pelos Caminhos da Vida. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Divulgar é preciso! Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado, além sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

23 de abril de 2010 09:46  
Blogger Luciana disse...

Olá
Retribuindo a visita gostei muito do teu Blog.

Bjs

Lu

23 de abril de 2010 16:01  
Blogger Petro disse...

Então, o meu comentário será o 107, imagino. De certo, este conto naquele época passou despercebido. Hj vejo que quem não o leu, perdeu, mas teve a chance e terá sempre aqui...para vivenciar uma história, um conto, muito belo. Parabéns...que fineza!
P.

23 de abril de 2010 17:31  
Blogger Dóris disse...

Oi Jeferson....passando para divulgar este belo filme.
Ajude a divulgar com seus amigos.
Beijos.

http://www.youtube.com/watch?v=6egg_jlwYcw

23 de abril de 2010 20:11  
Blogger Conciencia Personal disse...

Rendiremos tributo a él, iremos perdiendo memoria, pasos, pesos. Cómo se llega a la vejez dignamente sin la lástima que ello provoca...

Un abrazo, Monique.

23 de abril de 2010 23:20  
Blogger La sonrisa de Hiperión disse...

Un placer siempre pasar por tu espacio... Genial siempre.


Saludos y un abrazo enorme.

24 de abril de 2010 01:38  
Blogger Pedrasnuas disse...

AQUI ESTOU...É PENA QUE COM A IDADE NOS TORNEMOS TÃO ACOMODADOS...O PORTUGUÊS QUANDO ENVELHECE COLOCA ROUPA ESCURA,VAI SENTAR-SE NUM BANCO DO JARDIM ...TIPO CÃO ABANDONADO...ENQUANTO OS ESTRANGEIROS VESTEM CALÇÕES, BERMUDAS, CAMISOLA E VÃO ANDAR DE BICICLETA, FAZER CAMINHADAS...COM UMA APARÊNCIA MUITO JOVIAL...ENVELHECEM MAIS TARDE...É UMA PENA QUE A NOSSA CULTURA SEJA TÃO FATÍDICA,TÃO FADISTA E CINZENTA

ABRAÇO

24 de abril de 2010 03:26  
Blogger *AMOR E SONHOS* disse...

Oi!

Amigo,obrigada p/ visita e carinho de sempre!
Voltarei com mais tempo p/ comentar seu texto, Aindo estou pensando em tudo que li..rs

FELIZ FIM DE SEMANA!

BEIJOS!!!

24 de abril de 2010 10:28  
Blogger Sika disse...

Muito legal o texto!
Adorei! ^^

Fiquei feliz com sua visita lá no meu blog
e agora já não são nem 607, nem 627..
hahaha agora comigo serão mais de 628 incentivadores!

Estou seguindo!

Um beijo!

24 de abril de 2010 11:13  
Blogger Ná Lima disse...

Fico imaginando se existem pessoas assim mesmo.
Muito bom ler textos que contribuem para meu intelecto.

Estou seguindo!

24 de abril de 2010 12:55  
Blogger LUÁLIS ROSA disse...

Me lembrei do meu Avô com esse post... Todo mundo na família trata o coitado assim... Apesar dos seus quase 80 anos, ele ainda é meio arteiro... Tipo sobe em cadeiras ou escadas pra caçar um gato da casa ou quer fazer pequenos consertos na casa... E como ele tem diabetes, qualquer machucado acaba se tornando grave, então a gente acaba proibindo o coitado de tudo...

24 de abril de 2010 14:02  
Blogger Flavio Ferrari disse...

Depois de 106 comentários quem precisa de mais um ? Já tem mais comentário do que o velho tem de reclamação ...

24 de abril de 2010 18:47  
Blogger Deni Maciel disse...

é nóis
quando atualizar é só avisar.


abraço
e meu são bernardo está na primeira divisão do campeonato paulista em 2011
aheee rumo a tóquioooo.
barcelona que se cuideeee...
não...são bernardo num tem nada a ver.
é com a inter de milão mesmo

fuii e se não gosta de futebol...não tem problemaa....eu tbm não.. *-*

24 de abril de 2010 21:12  
Blogger legalmente loira... disse...

oi querido jeff, a postagen esta melhor ainda.com a releitura a gente vai entrando de varias formas dentro dela.
amigo adoro seus recados e a nossa troca de boas energias. então ja esta combinado é so avisar e tamos na espera. ribeirão é uma otima cidade que super você ter parentes la heimmm.
meu filho fez faculdade la e continuou de tanto que gostou. eu o que mais gosto dela é o pinguim rsrsrs (so eu mesma hahaha)
mas você me fala para definir superlativo ta brincando né você sabe mais do que eu mas ai vai:
"que exprime uma qualidade num grau elevado ou no grau mais elevado" você e mario quintana são assim.enfim uma pessoa que considero o meu poeta maior em todos os sentidos.
amigo você tem seguidores de dar gosto que maravilha mas esta esquecendo de me seguir olha que audacia rsrsrs to precisando dar uma melhorada ainda estou fraquinha hehehehe.
agradeço por tudo.
lindo domingo e uma otima semana com carinho da amiga rita.
bjos.

24 de abril de 2010 22:02  
Blogger Cris Teles disse...

Olá!!
Vim agradecer o carinho no meu blog e dizer que o seu espaço é interessantíssimooooo!! Estou seguindo e estarei sempre por aqui!!
Grande beijos!!

25 de abril de 2010 13:41  
Blogger Tânia regina Contreiras disse...

Eu estou aqui na cola, esperando o novo conto: cadê????? rsrs

Abraços

25 de abril de 2010 21:39  
Blogger La Gata Coqueta disse...

Mi segundo cumpleaños

Soy un intrépido pájaro
que a tu verja se acerca.
En el pico traigo
con regocijo una misiva
de azahar y tomillo

Sumisa pincelada
de aroma y sentimiento
que al trinar me recuerda,
en lejanía y con sosiego
la danza de una acacia.

Con atrevida delicadeza
te invito a mi aposento
de formas en armonía
para brindar contigo
por la esmerada compañía
que me has dedicado
en estos dos años de vida.

En la entrada te espero
oyéndose al fondo la nota
de un timple alborozado
haciendo sentir su esencia.
Asumiendo con respeto
la amistad que nos aúna
desde hace largo tiempo.

Un presente te acerco
para no ser olvidada...
como saludo un maullido
y al tacto una virtual caricia
para ti con mi aprecio.

Tuya siempre...

María del Carmen

25/04/08 - 25/04/10

26 de abril de 2010 02:48  
Blogger Angel disse...

Passei por aqui!

26 de abril de 2010 05:14  
Anonymous Anônimo disse...

Hi, I enjoyed the read. Will definitely be back again.^^

26 de abril de 2010 05:26  
Anonymous Anônimo disse...

Bacana, também retribuindo a visita
beijos.

26 de abril de 2010 05:37  
Blogger Julio Cesar disse...

Olá Jef, vou ler sim, ok. Tive com certa correria, mas amanhã vou ler com calma. Abraço
Post comentario depois.

26 de abril de 2010 14:47  
Blogger Juliana Carla disse...

Olá

Um tanto atrasada, mas vim conferir o texto. Obrigada pelo convite.

Bom, grande confusão na cabeça do ancião... No que na verdade conferia uma dosagem; e não limitação.

Chateação? Pelo contrário vejo cuidado... Quantas pessoas espancam, internam... Ao invés de cuidar com carinho da pessoa que um dia fez o mesmo.

Com minha avó, a palavra paciência ganhou maiores sentidos.

Bjuxxxx e xeroooo

26 de abril de 2010 15:13  
Blogger jefhcardoso disse...

DíH, fico muito feliz que tenha gostado do meu blog. Espero que volte muitas vezes. Abraço e obrigado!

May Lopes, contarei com a venda do seu exemplar. Com este eu já terei uns dois exemplares vendidos. (sorrio). Abraço e até breve!

Carol Lina, acho que todo aquele que publica um texto tem o desejo de compartilhar com muitas pessoas. Fico feliz que meu conto tenha lhe despertado uma lembrança de um filme. Abraço e obrigado por seu comentário!

João Mario, obrigado por seu generoso comentário! E já que comentou que estava procurando leituras, então, leia à vontade; tenho diversos textos que ainda não foram comentados. (sorrio). Grande abraço, amigo e obrigado pelo incentivo!

Vampira Dea, sigamos os ciclos da vida, amiga! Abraço e obrigado por seu comentário!

Jean Valjean, obrigado por seu comentário; a citação que fez ao teólogo que disse que Deus visita a criatura pela criatura, foi algo fantástico; muito obrigado. E quanto ao meu texto, creio que meu blog viva um momento mais expansivo, e também fiz amigos; generosos amigos. Abraço!

Marcelo Dalla, obrigado por sua visita e por seu comentário. Você não foi a primeira pessoa que falou sobre as letras brancas sobre o fundo preto. Certa vez um amigo comentou o mesmo e então, na ocasião do aniversário de um ano do blog, eu queria fazer algumas mudanças e tal; então inverti, coloquei a letra em negro e o fundo em branco, porém não consegui sustentar a mudança; descobri que sou conservador, eu creio. (sorrio). De qualquer forma eu agradeço por seu cuidado em falar-me e tenha certeza que pensarei em algo que canse menos a visão na leitura. Espero ainda que este empecilho não lhe afaste de meu blog, pois é muito importante para mim o seu comentário construtivo. Grande abraço e muito obrigado, Marcelo!

Gemaria, obrigado por seu sincero comentário! Meu conto ter lhe reportado no tempo foi algo muito gratificante para mim como criador do texto. Grande abraço, linda!

Sônia, você viu só que dureza a vida do ancião que criei? (sorrio). Obrigado por seu carinho e atenção; e visitarei os seus blogs. Até!

Poetiza, gracias por su amabilidad en mi blog! Es demasiado bueno ser tu amigo. Gran abrazo!

La Gata María del Carmen, gracias por la poesía que animó mi día! Disculpe la demora en responder. Yo estaba de viaje. Gran abrazo!

Márcia, obrigado por seu carinho e sensível comentário em meu conto. Grande abraço e até breve!

Graça, sobre envelhecer eu creio ser algo que temos que passar se a vida se prolonga, e se é assim devemos nos preparar. Quanto as dificuldades da velhice eu creio que seja a fase mais difícil da vida, mas também a mais íntima com a própria existência.
Quanto ao que disse em seu comentário sobre seu primeiro confronto com a morte; poderia dizer o que houve aos 5 anos? Quem você perdeu tão jovem?

Leci Irene, que lindo o seu comentário! Fiquei comovido em saber que você sempre vem, lê e parte em silêncio; porém, não deixe de comentar. Eu escrevo com a simplicidade do que sou. Não tenho erudição. Não sou culto. Eu apenas escrevo. Não precisa cerimônia para comigo. Um grande abraço para os seus pais e diga a eles para que tenham juízo eim. (sorrio, pois estou brincando). Até breve, querida!

Léo Santos, eu creio que essas reflexões sobre o envelhecer seja algo que todos pensamos em alguns momentos. O negocio é ir valorizando quem está nessa fase e quem sabe assim criará uma cultura que explore melhor o potencial e a sabedoria de nossos anciãos. Abraço, amigo e obrigado por sua atenção!

IT., obrigado por seu gentil e cuidadoso comentário! Gostei muito. Grande abraço!

João Mario, obrigado por seu vigoroso comentário; foi cheio de energia. Grande abraço, amigo e contarei com mais visitas de sua parte!

Bianca Feijó, quem sabe você não leu meu conto em sua publicação primeira. (sorrio). Grande abraço e obrigado por sua atenção!

26 de abril de 2010 18:17  
Blogger jefhcardoso disse...

John, valeu demais cara! Tudo o que rola no blog é trabalho. Eu não sou um escritor e isso não me impede de sentir o sabor da produção literária. Grande abraço e continue em seus trabalhos, amigo. Os intensifique se achar que deve. Até breve, amigo!

Rosa Carioca, fico feliz que tenha gostado do texto. E quanto a melancolia que lhe causou; eu tenho alguns poemas de amor, alguns contos cômicos, quem sabe não seria indicado ler algo mais por aqui e sair mais up. (sorrio). Obrigado, linda! Um grande abraço!

Fabrício, obrigado por seu convite. Gostei da sua proposta. Irei seguir o seu trabalho no blog. Grande abraço, amigo!

Luciana, obrigado! Bjo.

Petro, muito obrigado por seu generoso comentário! Grande abraço, amigo e conto com mais visitas suas!

Dóris, vou ver o filme e passarei para meus amigos. Abraço e obrigado!

Monique, la vejez depende de nosotros; hoy. Abraço e gracias!

La Sonrisa de Hiperión, es un placer recibir osted. Gracias e un saludo!

Pedrasnuas, meu avô era português. Morreu aos 75 anos. Gozou a velhice caminhando pelo bairro de São Paulo onde teve parte de sua vida, onde criou os filho, onde construiu e viu ruir um pequeno patrimônio. Era um homem fantástico. Eu sinto saudades.
Obrigado por compartilhar sua cultura aqui em meu blog. Isso me honra. Grande abraço!

Amor e Sonhos, sou eu quem agradece. E que bom que ficou a pensar. (sorrio). Abraço!

Sika, obrigado por seu carinho e apoio ao meu blog. Conto com você. Grande abraço!

Ná Lima, obrigado por seu generoso comentário! Grande abraço e obrigado por seu apoio. Conto com você.

Luális Rosa, seu ave deve ser um barato. Dê um ábaco meu nele e tenham muita calma com as artes deste danado. (sorrio). Grande abraço para todos de sua casa!

Flavio Ferrari, seu comentário é muito bem vindo, amigo. Grande abraço e muito obrigado!

Deni, meu Palestra quase me mata de raiva; amo e odeio aquele clube, mas o que podemos fazer? Também sofro desse vício pelo futebol. (sorrio). Parabéns e sucesso para o seu São Bernardo. O São Caetano marcou época, o Santo André é campeão da Copa do Brasil e finalista deste paulistão, certamente será vice, e que se time também marque época, amigo. Abraço!

Rita, eu fui ao seu blog e deu um problema com o quadro de seguidores, logo eu saí de viajem, e hoje estou indo ao seu blog novamente. Não foi por descuido. Mas me desculpe. Obrigado por seu acolhimento de coração. Sei que tenho um lugar que me receberia com toda amizade. Isso não tem preço. Quanto ao superlativo, continuo precisando entender-me nesta definição. E você veio e fez pior; falou de Quintana me colocando ao lado. Quer me fazer chorar, querida? Quem me dera um dia ter um livro publicado que fosse. (sorrio). Muito obrigado por seu carinho que já me parece incondicional. (sorrio). Estou lhe seguindo. Abraço, Rita!
Obs. Aquele conjunto arquitetônico que abrange o Pingüim é uma das coisas mais charmosas que já vi em minha vida.

Cris Teles, muito obrigado por seu generoso comentário e por seu valioso apoio! Grande abraço, amiga; e conto com você!

Tânia Regina, estou com muitos trabalhos para dar andamento. Aflige-me a vontade de postar algo para vir falar com vocês e ver o que acham. Vou preparar algo. Aviso-lhe quando postar. Obrigado e um grande abraço!


La Gata María del Carmen, es el hermoso poema. Enriquece este espacio. ¡Gracias!

Angel, obrigado por seu carinho e atenção. Fique sempre por aqui. Abraço!

Sashindoubutsu, tanks for atention!

Sarah, obrigado pelo carinho e atenção. Abraço!

Obrigado Julio! Estou no aguardo. Abraço!

26 de abril de 2010 18:38  
Blogger Isabel Ruiz, disse...

Olá Jefh
Demorei mas apareci. Depois de atualizar o Senhora Persona, me dei de presente uma visita ao blog do amigo.É sempre muito bom ler os seus textos e esse está explendido. Com o tempo vou lendos os mais antigos. Na verdade, me atualizando.
Um grande abraço.
Bel

26 de abril de 2010 19:25  
Blogger Roberta disse...

parabéns pelo blog, bjs

26 de abril de 2010 19:38  
Blogger Livinha disse...

Jefh, passando pra deixar um abraço e dizer que o teu compromisso comigo é na continuação de trazer teus contos maravilhosos a todos que por aqui passam.
Obrigado pelas palavras colocadas em favor de minha expressão.
Estou no aguardo de mais aventuras como estas disponibilizada.

Lindo dia pra ti
Bjs
Livinha

27 de abril de 2010 07:35  
Blogger Fabiola Vasconcelos, disse...

Amigo, adorei o texto da vida real.Às vezes nos comportamos assim com os idosos, sentimos como se fôssemos donos e reais inquisidores deles. Tenho uma mãe de 83 anos, diabética e hipertensa e acima do peso. Sempre estou no pé dela, reclamando da quantidade de carboidratos. É difícil mesmo, não é?
Espero sua visitinha, viu?
Beijos

27 de abril de 2010 07:38  
Blogger Elisabete disse...

Olá, parabéns pelo conto!!! Adorei, realmente se não tivermos cuidado acabamos "engessando" nossas emoções e sentimentos, em relação ao outro, seja uma criança, um desconhecido ou à nossa querida terceira idade, como vc tão bem defendeu, parabéns pelo talento... um abraço

27 de abril de 2010 08:13  
Blogger Joyce disse...

Bem, sou a 151º leitora que teve paciência e foi até o fim =)
Adoro anciões, acho uma fase fantástica da vida, e tento fazer com que as pessoas que eu convivo que vivem essa fase, se sintam especiais por isso.
Adoro conversar, ouvir e sugar um pouco das experiências e lindas histórias ou estórias rs.

Adorei!

Bom seria se todos tentássemos fazer da vida deles um pouco mais doce...

Beijos Atrevidamenete Doces

27 de abril de 2010 08:20  
Anonymous Anônimo disse...

Jefferson,
Foi um enorme prazer receber sua visita no Mosaico e, a partir daí, descobrir a existência de um blog tão lindo quanto o seu!
A história do ancião parece tão familiar a qualquer situação rotineira... Se reparar bem, qualquer coisa que façamos (ou deixemos de fazer) certamente desagradará a alguém. A diferença é que podemos, em nossa idade, nos dar ao luxo de desagradar a quem quisermos. Isso não ocorre com crianças e idosos.

Nosso país tem, a cada ano, elevado seu número de idosos. Nossa realidade é, em pouco tempo, sermos um país com muitos idosos, estejam eles produtivos ou não. Espero que sua postagem sirva para que seus leitores possam repensar o tratamento aos idosos. É preciso lançar um novo olhar sobre essa realidade.

Abraços
Parabéns pelo blog!

27 de abril de 2010 08:38  
Blogger Impulsiva disse...

Olá, atendi seu convite e vim conhecer teu blog.
(Complicado ler teus comentários, nunca tinha visto tantos, rsrs)

Que legal um fisioterapeuta com talento pra escrita...em geral não associamos profissionais da saúde com gosto pela literatura (desculpe, preconceito, eu sei, rs).

"Tadinho" deste senhor do conto, digam, o que ele pode fazer??? Parece que não lhe restou muita coisa, complicado esta idade...

Gostei daqui, estou te seguindo.
Abraços,
Kenia.

27 de abril de 2010 14:45  
Blogger Aleska disse...

gente rss eu pensei que teria uns 3 comentarios pelo que vc falou no meu blog, encontrar 158 foi uma bela surpresa. Foi um conto bem contado rs vc tem dom. Parabens!

27 de abril de 2010 18:54  
Anonymous Caesar Moura disse...

Olá, Cardoso! Atendi seu chamado e dei uma parada por aqui. Primeiro de tudo, adorei essa história de reeditar o conto/post! Uma coisa meio "Como puderam deixar passar esse aqui?" Gosto de quem gosta do que escreve. Eu, como bom virginiano, tenho sempre "se" e "mas" para o que escrevo, sempre "poderia ser melhor", "ah, se eu escrevesse isso hoje", coisas afins. Adorei a narrativa! Me lembrou e muito o tom de um grande amigo (Ruy Póvoas) e escritor premiado na Bahia, mesmo que por lá o foco dos contos seja outro, vindo da África. Parabéns!

28 de abril de 2010 09:45  
Blogger Fábio disse...

Velhice é um tema que eu gosto de abordar também.

Abraços

28 de abril de 2010 12:26  
Blogger jefhcardoso disse...

Isabel, senti a sua falta. Sempre torci para que você atualizasse o Senhora Persona, pois ali encontrei textos de grande conteúdo e qualidade. Obrigado por seu carinho e espero lhe ver mais vezes por aqui. Grande abraço e irei ao seu blog para ver a sua atualização!

Roberta, obrigado!

Livinha, obrigado por sua atenção e carinho. A propósito; adoro a sua cidade. Grande abraço!

Fabíola Vasconcelos, sim. É muito difícil administrar uma relação com o idoso dependente. Principalmente se este for dotado de temperamento forte e espírito arteiro. (sorrio).

Elisabete, obrigado por seu carinhoso comentário. Grande abraço!

Joyce, você faz muito bem ao aprender com os idosos. Eles são o que seremos se formos. Façamos nossa parte, pois é a ação possível. Grande abraço!

Patrícia, gosto muito de tratar desse tema. Atualmente é um dos temas que mais me fascina. Talvez pela proximidade de meu convívio com os idosos eu os tenho como meus mestres, e criar histórias, tratar crônicas e retratar a vida através de um olhar mais maduro é uma tarefa a qual tenho me dedicado. Obrigado por seu carinho e atenção. Grande abraço!

Kenia, adorei o seu comentário. Pois é, a Fisioterapia tem me encinado muitas coisas nesta vida e eu vou tentando aproveitar. (sorrio). Fico feliz que tenha gostado daqui. Conto com as suas visitas. Abraço!

Aleska, muito obrigado por seu comentário. (sorrio). Grande abraço!

Caesar Moura, fico feliz que tenha apreciado a leitura de meu conto. É bom ser comparado a escritores. Fico muito lisonjeado. Sou um homem comum, minha rotina é de trabalho constante, então sinto muito prazer ao ver as pessoas lembrarem-se dos profissionais da literatura quando lêem as minhas errantes letras amadoras. Grande abraço amigo, e que seus escritos lhe satisfaçam mais a cada vez. Obrigado!

Fábio, é com a velhice que aprendemos a ser jovens. (sorrio). Grande abraço e obrigado pela atenção, amigo!

28 de abril de 2010 16:58  
Blogger Amana C. disse...

Obrigada, Jefh. Fico feliz que tenha gostado do meu comentário!

:)

AbraçoOo!

29 de abril de 2010 20:42  
Blogger Mislene Lopes disse...

É fácil determinar ao outros o que devem fazer! Dificil é entender o que realmente necessitamos!
Se obedecemos ainda somos errados e se somos errados é por que deixamos de obedecer! O ser humano é imprevisivél! Nada está bom! Adorei o conto!

30 de abril de 2010 17:25  
Anonymous Anônimo disse...

A gente é tão acostumado a fazer tudo o que achamos certo, no tal tempo certo que na maioria das vezes esquecemos de prestar atenção no outro; de prestar atenção em quem mais precisa.
Neste caso, se os familiares (ou sei quem quem cuidava do Sr) prestasse atenção, um minuto sequer, veriam que o que ele mais queria era andar 'com as próprias pernas'.
Uma falta de visão que muitos de nós sofremos diariamente!

16 de maio de 2010 21:46  
Blogger jefhcardoso disse...

Amanda, sou eu quem lhe agradece. Abraço!

Mislene Lopes, é isso. Ninguém jamais está plenamente contente. (sorrio). Abraço!

Camila Valeriano, o seu comentário é mesmo para pensar. Obrigado!

17 de maio de 2010 14:07  
Blogger Catarina Silvestre disse...

Muito obrigada (;
Pelo comentário e pelas suas palavras !
~Gostei bastante do seu blog :p
Continue ...

30 de junho de 2010 09:13  
Blogger Nilredloh disse...

Caro Jefh,

uma doente minha, com mais de 80 anos, disse-me: ai Dr!, estas dores de cabeça, isto já é da idade! E eu respondi-lhe: Não não, D. Jacinta, são da tensão alta! Por isso é que a vamos baixar.:)

E uma outra, fumadora inveterada, com 90 e muitos mas cheia de saúde, queixava-se-me de que lá no Lar onde estava, os senhores viam com maus olhos esse seu tabagismo por ela ser mulher. Ia sempre ao meu gabinete acompanhada por uma senhora do Lar que fica sempre muito chocada quando eu ofereço à doente cigarros! hehe:) não é agora que lhe vão fazer mal, penso eu! Sou Psiquiatra e trabalho no sistema nacional de saúde, não faço privada. A maioria dos meus doentes que vivem em Lares sofrem apenas de Solidão; por isso e também para ver como andam a ser tratados, por serem tão desprotegidos, marco-lhes consultas com regularidade.
Um grande abraço, Jefh!
P.S.: também fiquei triste com a eliminação do Brasil, que já deu ao mundo o futebol mais espectacular e melhor de sempre.

9 de julho de 2010 03:59  
Blogger jefhcardoso disse...

Em tempos de tímido futebol brasileiro, acanhado, resta-nos conversarmos sobre as tantas outras coisas que nos absorvem. Fico muito grato ao Sr. por compartilhar as suas experiências, muito interessantes por sinal, aqui em meu blog. Sabemos que nem todo aquele que fuma desenvolve as doenças do cigarro, bem como sabemos que há incômodos muito maiores que os males da carne. Às vezes um bom papo é a verdadeira ‘queixa principal’, Dr. (sorrio e deixou um grato abraço), muito obrigado por sua atenção ao vir e comentar uma postagem pela qual possuo muito carinho.

9 de julho de 2010 04:41  
Blogger Nilredloh disse...

Ai Jefh, fiquei tão embaraçado quando na sua visita ao meu blog, amável como sempre, me tratou por "Dr. Nilredloh"! "Dr" só dentro do gabinete médico! Todos os meus professores de vida nem licenciados são!:)
Um abraço,
Jorge

9 de julho de 2010 05:48  
Blogger Nilredloh disse...

Caro Jefh,
Portugal é um país de Drs! Os meus heróis, Budha, Jesus,Camões, Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro, Herman Hesse, Jim Morrison, Lou Reed, David Bowie, "coitados", nem licenciatura tinham!
Um abraço com amizade,
Jorge

9 de julho de 2010 06:00  
Blogger jefhcardoso disse...

Jorge, por força do hábito, questão cultural e educacional sempre trato por Doutor todo aquele que é dono do título, contudo, uma vez dispensadas as formalidade por quem a possui por direito, fico à vontade para tratar pelo primeiro nome. (sorrio). Achei muito linda a sua eclética lista de não licenciados, porém mestres. Abraço e muito obrigado por sua atenção!

9 de julho de 2010 07:59  
Blogger Erika disse...

Oi Jefh, ha um tempo você me indicou esse texto, recebi a mensagem por e-mail que você deixou no meu blog, porém eu não conseguia ler, pois moro na China e o acesso é bloqueado !!!
Agora que consegui acessar, quero primeiramente agradecer sua visita pela oportunidade de me apresentar seu blog, adorei o conto !!! É tao complicado lhe dar com situações que achamos que estamos só fazendo o bem, mas esquecemos de como fazer "o outro" se sentir bem !!!
Parabéns !!!
Grande Abraço, enviado do outro lado do mundo !!!
Érika.

29 de julho de 2010 12:34  
Blogger jefhcardoso disse...

Erika, nossa, como você esta longe, menina! O que faz aí na china? (sorrio). Obrigado por seu carinho e por sua atenção. Espero que não haja mais bloqueios para abrir o meu blog. Conto com mais visitas suas. Grande abraço do outro lado do mundo!

29 de julho de 2010 16:05  

Postar um comentário

Comente. É isso que o autor espera de você, leitor.

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial